FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

A importância da higienização no controle de biofilmes

POR LÍVIA RODRIGUES SALCEDO

INDÚSTRIA

EM 25/02/2015

1
1
Em indústrias de alimentos existe uma correlação entre falhas nos procedimentos de higiene e formação de biofilmes microbianos. Estes, se desenvolvem de forma organizada, complexa e em comunidade sobre as superfícies formando um mecanismo que dificulta a destruição através da higienização dos microrganismos envolvidos. Se apresentam como células aderentes à uma superfície inerte (abiótica) ou viva (biótica), embebidas numa matriz de exopolissacarídeos (polissacarídeos extracelulares). Essa forma de associação tem como objetivo proteger o desenvolvimento da colônia produzindo relações simbióticas a fim de sobreviver em ambientes desfavoráveis.

Indústrias processadoras de leite e produtos lácteos são muito susceptíveis à formação de biofilmes por processarem matéria-prima rica em nutrientes e, geralmente, com microbiota diversa e abundante.

Os biofilmes representam sérios riscos para este setor, uma vez que células sésseis podem se desprender e contaminar os alimentos na linha de processamento, causando problemas de ordem econômica através da diminuição da vida de prateleira dos produtos ou colocando em risco a saúde pública.

Qual tipo de material podem formar o biofilme?

Os biofilmes podem se acumular em uma variedade de superfícies como aço inox, vidro, borracha, polipropileno, fórmica, ferro, poliestileno de baixa densidade, policarbonato, entre outros.

A higienização elimina completamente o biofilme?

As operações de lavagem e sanitização, mesmo que freqüentes, não podem garantir a eliminação completa do biofilme. Isso porque a maioria das superfícies que ficam em contato com o alimento, como as tubulações e equipamentos, apresentam cantos, sulcos, rugosidades, rachaduras, e “zonas mortas” (de baixo fluxo) onde os biofilmes facilmente se desenvolvem.

Qual a melhor forma de controlar o biofilme?

Para se evitar a formação de biofilmes na indústria de alimentos é essencial a adequação das medidas de higiene e sanitização. Em geral, são necessárias duas a quatro semanas para formação de um biofilme, portanto se formam em sistemas onde a limpeza e a sanitização são deficientes.
A primeira etapa (limpeza) tem como objetivo principal a remoção de resíduos orgânicos e inorgânicos aderidos às superfícies, constituídos, principalmente, por carboidratos, proteínas, gorduras e minerais. Essa etapa é importante na tentativa de retirar as proteínas do leite que proporcionam a adesão e sedimentação das células de microrganismos e também por contribuir na eficiência da próxima etapa, a sanitização. Nesta segunda etapa, é necessário definir o sanitizante de acordo com a superfície a ser higienizada e os possíveis microrganismos que compõe a colônia.
Conclui-se que a melhor forma de controlar o biofilme é a prevenção de sua formação seguida de sua adesão de forma resistente em superfícies, equipamentos e utensílios.


Figura: Formação do biofilme ao longo do tempo (Pereira, 2001).

ARTIGO EXCLUSIVO | Este artigo é de uso exclusivo do MilkPoint, não sendo permitida sua cópia e/ou réplica sem prévia autorização do portal e do(s) autor(es) do artigo.

LÍVIA RODRIGUES SALCEDO

1

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

LÍVIA RODRIGUES SALCEDO

SÃO PAULO - SÃO PAULO

EM 01/03/2015

Olá Dr. Romão.

Obrigada pelo comentário deixado.

Segue meu email para contato: liviarodrigues81@yahoo.com.br