FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Produção de queijo: incremento para a renda do agricultor familiar

POR LIBOVIS - UFRRJ

PRODUÇÃO DE LEITE

EM 10/07/2020

6 MIN DE LEITURA

0
12

Anna Carla Silva Cunha 1
Caio Nunes Christoffe Simões 1
Juliana Alves de Araújo 1
Ana Paula Lopes Marques 2

1 Discentes e 2 Orientadora, Grupo de Estudos Liga de Bovinos - LiBovis
Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, UFRRJ

 

Devido às condições de trabalho adversas, baixa remuneração, infraestrutura pública precária e limitado acesso à informação, muitas famílias do meio rural encontram na saída do campo para a cidade uma solução para os seus problemas, fenômeno denominado como êxodo rural. A migração campo-cidade teve como efeito um expressivo aumento das taxas de urbanização e favelização entre as décadas de 1960 a 1980 e segue promovendo impactos na sociedade atual (ALVES et al., 2011). Nesse sentido, a pecuária leiteira é uma alternativa para fixar a mão de obra no campo, já que as agroindústrias familiares, em alguns estados, chegam a representar quase 70% dos produtores.

Em 2018, segundo o Censo Agropecuário do IBGE, a produção de leite no Brasil ultrapassou 33 bilhões de litros, entretanto, o valor pago pelo litro do leite e os custos de produção ainda desestimulam o produtor. Dados de maio de 2020 do CEPEA indicam que o valor pago ao produtor brasileiro, em média, pelo litro de leite foi de R$ 1,3783, com custos de produção chegando à faixa de variação de 0,44%. Enquanto isso, o valor pago pelo queijo variou de R$ 18,00 a R$ 21,00. Para o produtor familiar a fabricação de queijos representa uma das formas mais eficientes de aumentar sua renda.

A lenda mais famosa sobre a origem do queijo conta que um mercador, viajante da Arábia, em uma de suas viagens por uma região montanhosa da Ásia, levava consigo tâmaras secas e um pouco de leite de cabra dentro de um cantil feito de estômago de carneiro. Quando ficou som sede, foi beber o leite, e do cantil escorreu somente um líquido fino e aquoso, o soro. O viajante cortou o cantil e viu que o leite havia se transformado em uma coalhada branca, o queijo (ALBUQUERQUE, 2002).

Já no Brasil, a produção de queijos iniciou-se com a colonização portuguesa, era produzido um queijo de características semelhantes ao Serra da Estrela, de Portugal. No século XVIII em Minas Gerais, iniciou-se a produção do queijo Minas, fabricado pelos pioneiros durante a corrida do ouro e, com a vinda de imigrantes dinamarqueses e holandeses para o Brasil, iniciou-se a produção de um queijo parecido com o Dambo e o Gouda, denominado queijo Prato (AQUARONE, 2001).

Desde o início da produção no Brasil, um dos principais entraves nas propriedades se relaciona à qualidade microbiológica da matéria-prima (leite), já que na grande maioria das vezes é utilizado o leite cru (não pasteurizado) (VICENTINI, 2015). Esse fator interfere diretamente na segurança do produto final, e pouco se sabe sobre os fatores microbiológicos e de composição do leite que conferem características próprias ao queijo produzido em vários locais.

A qualidade dos queijos produzidos nas propriedades pode ser melhorada por meio de treinamentos de produtores, melhorias na estrutura física das queijarias, regulamentação da produção e também a elevação no número de pesquisas e financiamentos por parte dos órgãos de fomento, com o intuito de aprimorar os conhecimentos sobre este assunto e possibilitar a fabricação de queijos mais seguros e de qualidade superior (SOBRAL et al., 2017) capazes de conquistar o mercado consumidor.

Se o agricultor familiar for orientado a produzir um queijo com foco na qualidade, constante monitoramento, seguindo padrões pré-estabelecidos (sejam focados em formas histórico-tradicionais, sejam focados em inovações), com tecnologia (no sentido de técnicas e controle de processos), sem automação de processos (robótica, etc), com todos os conhecimentos e cuidados envolvidos nas etapas produtivas (desde os cuidados com o animal até a maturação do produto final) (MATOS, 2019) agregará ainda mais valor a sua produção, pois poderá pleitear um selo de produtor de queijo artesanal.

Alguns exemplos de queijos artesanais, inclusive comercializados no mercado externo, são, o Queijo Colonial do Sul, Coalho do Nordeste e os Minas Artesanal, da Canastra e do Serro, evidenciando que a produção artesanal de queijo destaca-se como uma importante atividade. Porém, o principal entrave relacionado à produção e comercialização no mercado formal é atender as exigências legais desse tipo de produção de alimentos. O processo, na sua maioria, foi tecnificado, embora em algumas unidades familiares de produção ainda seja executado de maneira relativamente simples.

Para que a produção de queijos frescais, curados ou requeijões possa ser comercializada com segurança, é importante que o produtor esteja informado e capacitado para realizar os processos observando as regras higiênico-sanitárias preconizadas pelo Mapa, nas Instruções Normativas 76 e 77. Na maioria das vezes será necessário um investimento inicial que pode ser feito de maneira comunitária, através de associações ou cooperativas, para a criação das estruturas físicas da área de produção, que deve ter refrigeração, revestimento adequado, sistema de água encanada e eletricidade e, para a compra de equipamentos como tanques, estantes, pasteurizadores, refrigeradores e veículos para transporte do produto. Vale ressaltar a existência de linhas de crédito específicas para este tipo de investimento, como Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) e suas linhas específicas como o Pronaf Agroindústria.

Neste sentido é primordial a criação de politicas públicas que ofereçam assistência técnica aos produtores familiares, orientando-os sobre o adequado manejo dos animais para obtenção do leite, condução e armazenamento de matéria-prima, instalações adequadas para processamento , embalagem e rotulagem e, principalmente, orientando quais investimentos devem ser feitos pelo produtor. É preciso também disponibilizar assistência técnica gerencial aos produtores, uma vez que a organização financeira, a boa gestão administrativa, bem como uma estratégia de negócios estruturada, é fundamental para a sustentabilidade econômica em longo prazo (ROCHA et al. 2018).

Agregar valor ao leite produzindo queijo é mais rentável do que vender apenas o leite. Nesse sentido, a pecuária leiteira para produção de queijos artesanais é mais que uma atividade econômica para aqueles que a praticam, além de ser uma forma de identidade cultural, agregação de valor ao produto primário, tornando-se uma melhor forma de renda (VINHA et al., 2010).  É necessário proteger e incentivar as famílias engajadas na atividade, garantindo um rendimento digno e diversificação da produção. A produção de queijos, que em muitas regiões já possui bases tradicionais, revela-se um dos caminhos para a melhoria de vida dos produtores brasileiros.

Fontes consultadas:

AGRO, IBGE Censo. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2018. Disponível em: <https://www.ibge.gov.br/estatisticas/economicas/agricultura-e-pecuaria.html> Acesso em 06 jun. 2020.

ALBUQUERQUE, L. C. Queijos no mundo. vol I. Juiz de Fora: CT/ILCT/ EPAMIG, 2002.

ALVES, E.R.A.; SOUZA, G.S.; MARRA, R. Êxodo e sua contribuição à urbanização de 1950 a 2010. Revista de Política Agrícola, Brasília, v. 1, n. 2, p. 80-88, 2011. Disponível em: <https://www.alice.cnptia.embrapa.br/handle/doc/910778> . Acesso em 06 jun. 2020.

AQUARONE, E. et al. Biotecnologia industrial. São Paulo: Blucher, 2001.

CEPEA. Boletim do leite 2020. Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada. 2020. Disponível em: <https://www.cepea.esalq.usp.br/br/indicador/leite.aspx> Acesso em 05 de jun. 2020.

MATOS, P. Afinal de contas, o quê é um queijo artesanal? Portal do Queijo. 2019 Disponível em: <https://portaldoqueijo.com.br/noticias_queijos/2019/05/21/afinal-de-contas-o-que-e-um-queijo-artesanal/> Acesso em 06 ju. 2020.

ROCHA, A. G. F.; PELEGRINI, D. F.; LOPES, M. A. Agregação de valor ao leite por meio da produção de queijo: análise da rentabilidade em uma propriedade familiar no município de Uberlândia/MG. Medicina Veterinária (UFRPE), v. 12, n. 4, p. 283-289, 2018. Disponível em: <http://journals.ufrpe.br/index.php/medicinaveterinaria/article/view/2458> . Acesso em 06 jun. 2020.

ROCHA, Á. G. F.; PELEGRINI, D. F.; LOPES, M. A. Agregação de valor ao leite por meio da produção de queijo: análise da rentabilidade em uma propriedade familiar no município de Uberlândia/MG. Medicina Veterinária (UFRPE), v. 12, n. 4, p. 283-289, 2019.

SOBRAL, D. et al. Principais defeitos em queijo Minas artesanal: uma revisão. Revista do Instituto de Laticínios Cândido Tostes, v. 72, n. 2, p. 108-120, 2017.

VICENTINI, N. M. Caracterização do queijo artesanal produzido em municípios inseridos no Corredor Ecológico da Mantiqueira – geração de renda para agricultura familiar e alimento seguro para os consumidores. Portal Embrapa.  2015. Disponível em: <https://www.embrapa.br/gado-de-leite/busca-de-projetos/-/projeto/208817/caracterizacao-do-queijo-artesanal-produzido-em-municipios-inseridos-no-corredor-ecologico-da-mantiqueira--geracao-de-renda-para-agricultura-familiar-e-alimento-seguro-para-os-consumidores> Acesso em 05 jun. 2020.

VINHA, M. B.; PINTO, C.L.O.; SOUZA, M.R.M.; CHAVES, J.B.P. Fatores socioeconômicos da produção de queijo minas frescal em agroindústrias familiares de Viçosa, MG. Ciência Rural, v. 40, n. 9, p. 2023-2029, 2010.

LIBOVIS - UFRRJ

A Liga de Bovinos, LiBovis, é um grupo de estudos constituído por alunos de graduação em Medicina Veterinária e áreas afins da UFRRJ. Tem como objetivos estudar, compreender e defender os interesses da bovinocultura contribuindo para sua valorização.

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.