FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Aplicativos e Startups: ferramentas valiosas para a bovinocultura de leite

POR LIBOVIS - UFRRJ

PRODUÇÃO

EM 04/06/2020

7 MIN DE LEITURA

2
16

Anna Carla Silva Cunhaa
Lívia de Carvalho Pinheiroa
Ana Paula Lopes Marquesb

aDiscentes e b Orientadora, Grupo de Estudos Liga de Bovinos - LiBovis
Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, UFRRJ

Atualmente o agronegócio apresenta grande relevância econômica, fato comprovado pela sua participação no Produto Interno Bruto (PIB). Segundo dados da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) em parceria com a Escola de Estudos Agrários da USP (Esalq), o PIB do agronegócio brasileiro cresceu 3,81% em 2019 na comparação com 2018. O agronegócio em constante crescimento, mas a pecuária leiteira vem enfrentando problemas desde 2013. No início de 2020, quando o setor iniciava uma recuperação em seu crescimento, surgiu o novo coronavírus. As perspectivas, segundo pesquisas da Embrapa Gado de Leite, não são muito diferentes do desgaste esperado para outros setores da economia. Dessa forma, o uso de tecnologias que possam alavancar o setor em tempos de crise, tornam-se ferramentas importantes.

No sentido de pensar em novas tecnologias, houve uma popularização das startups na década de 1990. Considerando a origem da palavra, startup é sinônimo de iniciar algo e colocar em funcionamento. Em poucas palavras: são consideradas startups, as empresas que desenvolvem produtos inovadores e têm potencial de crescimento rápido. Para isso, utilizam a tecnologia, principalmente as tecnologias da informação e a internet. Um dado que mostra o quão popular as startups se tornaram nos últimos anos é que, segundo a Associação Brasileira de Startups (ABStartups), entre 2015 e 2019, o número dessas empresas no Brasil aumentou mais de três vezes, passando de 4.151 para 12.727. Essas empresas, quando voltadas ao agronegócio, têm sido um impulso no setor, por minimizar os riscos e incertezas, aumentando a produtividade e lucratividade, por meio de planejamento, controle de gastos, melhor autonomia nos negócios, aumento de capacitação e comunicação.

Outra vertente que leva tecnologia ao campo de forma mais acessível são os aplicativos para smartphones, que servem como ferramenta para coletar, monitorar e trocar dados dos negócios rurais. Essa tecnologia vem ganhando a cada dia mais espaço na vida do produtor rural e dos profissionais da área, como médicos veterinários, zootecnistas e agrônomos. Se antigamente tudo precisava do acompanhamento físico do homem na propriedade, a partir da modernização do campo, essa presença deixa de ser necessária e surge o conceito “Internet das coisas”, representada pela sigla IoT, do inglês Internet of Things, um conceito que se refere à interconexão digital de objetos cotidianos com a internet. O IoT possibilita uma gestão mais eficiente de rebanhos. Nos dias atuais é possível monitorar pelo celular o peso dos animais, tratamentos adequados que cada um deve receber, geolocalização, dentre outros. Além do aumento de produtividade, as tecnologias permitem uma economia significativa reduzindo custos de mão de obra.

As agtechs, agrotechs ou agritechs como são chamadas, surgem para trazer inovação e disrupção para a indústria global de alimentos e o agronegócio. São tecnologias individuais ou uma combinação de tecnologias relacionadas à equipamentos agrícolas, tempo, otimização de sementes, fertilizantes e inputs de colheita, irrigação, sensores remotos (incluindo drones), gerenciamento de fazenda e rebanhos e gestão de dados (big data). Diversos tipos de monitoramento de rebanhos podem ocorrer via smartphones, tablets e computadores e, estão disponíveis para o produtor a partir do uso de aplicativos, muitos deles criados via startups e disponibilizados pela internet. As funcionalidades vão desde o acompanhamento da reprodução do rebanho, ao controle do pasto e da criação, auxiliando também nos cálculos de doses e no acesso as bulas de medicamentos, e tantas funcionalidades quantas a mente se permitir pensar.

As agtechs facilitam o trabalho dos produtores rurais, profissionais que atuam no meio rural, indústrias e cooperativas, abatedouros, consumidores e toda a cadeia do agronegócio. Alguns exemplos de aplicativos são:

- MilkMonitor: começando pelos serviços e produtos ofertados pela AgriPoint, é um aplicativo para produtores de leite com informações de mercado sobre leite, derivados, insumos (principalmente milho e soja) e custos de produção no Brasil e no mundo. São publicados em diversos formatos como vídeos, gráficos em formato de high chart e relatórios em PDFs, conteúdos sobre tendências de produção, tendências de consumo e comércio exterior. Além disso, serão publicadas análises sobre como cada informação pode afetar os resultados do negócio do produtor de leite

- EducaPoint: também desenvolvido pela AgriPoint, é um aplicativo que possibilita o acesso a mais de uma centena de cursos, com materiais gravados em estúdio e a campo, com diversas demonstrações práticas. São dezenas de temas disponíveis, apresentados por profissionais que fazem a diferença no campo. Os materiais podem ser vistos em qualquer momento, de onde o produtor estiver e quantas vezes desejar. Com esse App, é possível acessar as aulas no celular e baixá-las para assistir quando não tiver acesso à internet.

- Roda da reprodução: um aplicativo para auxiliar o produtor e o profissional que atua na bovinocultura com gerenciamento de rebanhos. Há possibilidade de monitorar de maneira simples os estágios produtivos e reprodutivos de um rebanho, desde a cobertura ou inseminação até o parto, além de proximidade da data de secagem das vacas, identificação de animais com período de lactação curto e previsão de proximidade de retorno ao cio indicando se há problemas reprodutivos no rebanho. A Roda da Reprodução foi desenvolvida pela Embrapa, unidades Pecuária Sudeste e Informática Agropecuária e Programa Balde Cheio.

- Pastejando: um aplicativo para o produtor que calcula a necessidade de consumo de matéria seca (MS) do rebanho, a oferta de MS da propriedade, além de localizar áreas de plantio das forrageiras, utilizando-se de recursos gráficos e estatísticos para demonstrar dados como os períodos do ano em que haverá falta, atendimento ao rebanho ou sobra de pasto, além de apresentar um vasto acervo de espécies de forrageiras cadastradas e disponibilizadas para consulta. Foi desenvolvido pela Embrapa Clima Temperado em parceria com a empresa Júnior Hut8.

- Vet Smart Bovinos e Equinos: aplicativo para médicos veterinários que é um guia terapêutico e bulário com mais de 3.000 produtos veterinários revisados constantemente. Fornece dados referentes a administração e doses, apresentações e concentrações, indicações e contraindicações, além de ter um guia de doenças e de raças de grandes animais. Disponibiliza estudos, vídeos e canais de contato das principais empresas farmacêuticas de medicina veterinária do mercado brasileiro, dentre outras funcionalidades. Desenvolvido pela BivisSoft.

- 4milk Gestão Rebanho de Leite: desenvolvido pela 4hoofs, é um aplicativo voltado para a gestão de fazendas leiteiras e está ajudando pecuaristas a conseguir bons resultados mesmo em tempos de mercado em crise. Funciona também offline. A ferramenta é focada na pecuária de leite e permite gerir a parte produtiva e sanitária do rebanho. Pode realizar o controle leiteiro dos animais, montando uma ‘ordenha virtual’, cadastrar medicamentos e outras funcionalidades.

A internet é uma importante ferramenta para o agronegócio, servindo como ferramenta para cooperação, controle e gestão, além de ser um canal para comunicação, facilitando novos contatos, que podem contribuir na divulgação de produtos e na articulação entre produtores, consumidores e órgãos de assistência técnica e extensão rural. Mas, mesmo considerada uma ferramenta importante, ainda é um problema no meio rural brasileiro, considerando que mais de 70% dos estabelecimentos agropecuários ainda não possuem acesso. Nesta perspectiva, o acesso à internet tem sido um entrave para que agricultores se utilizem dessa ferramenta e possam ser beneficiados por ela.

O mercado das tecnologias vem mostrando grande avanço e, dessa forma, é importante ressaltar que a modernização do campo é um processo crescente e necessário, que ajuda o produtor a melhorar a produção e assegurar os investimentos, permitindo monitoramentos mais eficientes e tomada de decisões. Portanto é de extrema importância que o produtor e profissionais da área se mantenham atentos ao surgimento dessas inovações, para que junto aos órgãos competentes, demandem como necessidade o acesso a essas novas tecnologias, para juntos atingirem melhores resultados nas propriedades.

Referências

CNA. PIB do agronegócio cresce 3,81% em 2019. 2020. Disponível em: <https://www.cnabrasil.org.br/assets/arquivos/boletins/sut.pib_dez_2020.5mar2020vf.pdf>. Acesso em: 07 de maio de 2020.

NEIVA, R. Setor leiteiro pode sofrer menos que outros setores com a pandemia de Covid-19. Embrapa Gado de Leite. 2020. Disponível em: <https://www.embrapa.br/en/busca-de-noticias/-/noticia/51459883/setor-leiteiro-pode-sofrer-menos-que-outros-setores-com-a-pandemia-de-covid-19>. Acesso em: 10 de maio de 2020.

DE PAIVA, M.M.; DE ALMEIDA, R.L. O crescimento das Startups no Brasil. Revista Digital de Administração, v. 1, n. 1, 2018. Disponível em <http://revista.faciplac.edu.br/index.php/REAF/article/view/549/198>. Acesso em: 06 de maio de 2020.

CARRILO, A.F. Crescimento das startups: veja o que mudou nos últimos cinco anos! 2020. Disponível em <https://abstartups.com.br/crescimento-das-startups/>. Acesso em: 21 de maio de 2020.

DIAS, B. G. L. et al. Inovação no agronegócio utilizando IOT. 2017. Disponível em <https://www.alice.cnptia.embrapa.br/bitstream/doc/1094005/1/Internetdascoisas1.pdf>. Acesso em: 06 Maio de 2020.

GONÇALVES, C. F. B. et al. Um estudo sobre a influência da IOT no agronegócio. Gestão, Inovação e Empreendedorismo, v. 1, n. 1, 2018. Disponível em <http://ojs.ciebe.com.br/index.php/GIE-METRO/article/view/2/4>. Acesso em: 06 de maio de 2020.

ABStartups. Associação Brasileira de Startups. Mapeamento Agtech - Investigação sobre o uso das tecnologias para o Agronegócio no Brasil. Disponível em: <https://drive.google.com/file/d/1sDf9DrpNu6-UrsJYHQsa8tAhF8xwqccn/view\>. Acesso em: 08 de maio de 2020.

SANSSANOVIEZ, A.; GODOY, W. I. A Internet como Ferramenta de Desenvolvimento Rural. Cadernos de Agroecologia, v. 14, n. 1, 2019.

Se interessa pelo assunto? Aproveite para assistir o Webinar "O uso de recursos de inteligência animal e o impacto na saúde".

Gostou do conteúdo? Deixe seu like e seu comentário! Quer escrever para nós? Envie um e-mail para contato@milkpoint.com.br.

LIBOVIS - UFRRJ

A Liga de Bovinos, LiBovis, é um grupo de estudos constituído por alunos de graduação em Medicina Veterinária e áreas afins da UFRRJ. Tem como objetivos estudar, compreender e defender os interesses da bovinocultura contribuindo para sua valorização.

2

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

JOÃO LEONARDO PIRES CARVALHO FARIA

MONTES CLAROS - MINAS GERAIS - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 04/06/2020

Existem diversos e diversos aplicativos, porém, a aplicabilidade e utilização ainda é minima
ANA PAULA LOPES MARQUES

SEROPEDICA - RIO DE JANEIRO - PESQUISA/ENSINO

EM 04/06/2020

Infelizmente é verdade. Inclusive um dos pontos considerados é o acesso ainda muito limitado a um número pequeno de locais, produtores e demais profissionais que atuam no meio rural. Os desafios enfrentados hoje pelos produtores, muitas vezes, exigem aplicações de tecnologias, e a falta de acesso ou até mesmo o desconhecimento de ferramentas é um entrave a melhorias de produção. O que hoje chamamos de "agricultura de precisão", que é a agropecuária ligada à tecnologia da informação, deve fazer parte das perspectivas e ainda, deve estar presente na construção de um discurso persuasivo dos que trabalham no meio rural, para que a implantação em suas localidades seja viabilizada.