ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
FAÇA SEU LOGIN E ACESSE CONTEÚDOS EXCLUSIVOS

Acesso a matérias, novidades por newsletter, interação com as notícias e muito mais.

ENTRAR SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Ordenha única: experiência de produtores no Brasil

POR STEPHANIE ALVES GONSALES

E LAURA CANDIOTTO MEDEIROS

PRODUÇÃO DE LEITE

EM 14/12/2021

7 MIN DE LEITURA

7
16

Há alguns dias, uma publicação em especial foi destaque e rendeu alguns comentários entre os leitores do MilkPoint: “Once-a-Day milking: fazendas da NZ estão optando por ordenhar as vacas uma vez ao dia”.

O artigo escrito pelo Médico Veterinário Matheus Lobo, traz a realidade das fazendas de produção de leite da Nova Zelândia, seu local de trabalho. O que nos chamou atenção, foi a quantidade de comentários nas nossas redes sociais de produtores aqui no Brasil que já utilizam o sistema.
 

Mas, o que é o sistema de ordenha única?

O Once-a-Day milking (OAD), como é chamado o sistema na Nova Zelândia, consiste em um esquema em que as vacas são ordenhadas somente uma vez ao dia durante toda a estação de produção. No país (Nova Zelândia), cerca de 9% dos rebanhos em produção adotam esse sistema. O esquema geralmente é adotado devido a uma série de fatores, entre eles: escassez de mão de obra, qualidade de vida e melhor aproveitamento de áreas distantes do local de ordenha.

Aqui no Brasil, alguns relatos de produtores que utilizam o sistema de ordenha única chamam a atenção e enfatizam a possibilidade de trazer para a realidade esse tipo de manejo.

Um dos casos é o de Suzana Holzhauser, ela comentou que a prática do sistema de ordenha única trouxe como benefício a melhoria no comportamento dos animais. “Estamos há 2 anos fazendo uma ordenha única, minhas vacas mudaram muito o comportamento, ficaram mais doces e amorosas”, destacou ela.

“O resto do rebanho também ficou mais calmo com a gente, até o nosso touro. É uma lida supertranquila e calma, elas têm um super apetite, deixam passar a mão em todo corpo, não tem briga para fazer as coisas, meus bezerros são adestrados em cabrestos e algumas novilhas e vaquinhas também”, conclui.

A produção é no Rancho Holzhauser, em Atibaia - São Paulo, e devido a mão de obra ser apenas familiar, Suzana destacou que a ordenha única foi muito benéfica para a família: “Tentamos por duas semanas a ordenha dupla, causou muito, houve desgaste físico e psicológico. Com a ordenha única sobra mais tempo para fazer outras coisas no sítio, dar atenção a outros manejos que temos”.

Aderbal, da Fazenda Mucambinho, de Capim Grosso – Bahia, adotou o sistema recentemente e diz que embora seja cedo para conclusões, não tem reclamações até o momento. Ele destacou que um dos motivos de adotar o sistema foi a redução de custos. “Comecei fazer só uma ordenha 30 dias atrás, justamente pela redução de custos dos insumos que ficaram muito caros, como também a mão de obra cada vez mais difícil, está muito cedo para fazer conclusões, mais até o momento estou satisfeito”, apontou ele.

Ao realizar o manejo as 5 horas da manhã, Aderbal relata que é possível demandar mais tempo à outras atividades no restante do dia e com a diminuição da necessidade de mão de obra, foi possível diminuir as equipes de trabalho, reduzindo custos. “Eram duas equipes, uma para alimentar as vacas e outra para ordenhar e higienizar, hoje só tenho uma”, comentou ele. Destacou também que o comportamento dos animais está diferente, “Percebo que as vacas estão mais tranquilas, pois algumas voltam a tarde só para amamentar”.

Uma das desvantagens citadas por ele é a diminuição na produção de leite, “A redução na produção do leite também foi grande, baixou em média 60%”. Mas de acordo com Aderbal, a redução dos custos também foi expressiva. “Houve redução de custos com o pessoal e com a alimentação, pois como reduzi para uma ordenha eu só alimento uma vez também, o restante do tempo as vacas ficam à pasto." Ele conclui que está satisfeito com a implementação do sistema de ordenha única e com os benefícios que esse manejo trás para a rotina: “A rotina é mais tranquila no dia a dia da fazenda, não pretendo mais voltar fazer 2 ordenhas”, conclui.

Em Dianópolis - Tocantins, Paulo André da Fazenda Santa Paula trabalha com o sistema de ordenha única há 7 anos e comentou estar muito satisfeito com o sistema. “Na minha fazenda só ordenha uma vez no dia. De preferência final do dia. Não temos nada a reclamar graças a Deus”.

Paulo também comentou a redução na produção de leite, mas destacou que os benefícios são superiores. “Tivemos queda de 25% na produção, porém o benefício foi maior do que a queda”, destacou ele, que também lembrou da redução de custos e da melhoria na qualidade da mão de obra. “Custos diminuíram, pois, a ordenha passou a ser única, o que também ocasionou diminuição na ração. Meus funcionários amaram, pois não precisava mais levantar as 3 da manhã para trabalhar, o serviço anda mais rápido, pois estão mais dispostos”, ressalta ele.

Na Fazenda Santa Rita, propriedade do Marcio, localizada em Ibitirama – ES, o sistema de ordenha única foi adotado há três anos, e ele destaca que não pretende mais voltar para 2 ordenhas diárias. Embora a produção tenha caído cerca de 25%, Márcio relata uma melhora no comportamento dos animais, redução do stress e ainda destacou uma queda nas incidências de doenças.

A mudança para a ordenha única trouxe redução nos custos na Fazenda Santa Rita, e Marcio destacou que com o novo manejo, diminuiu 75% da oferta de concentrado aos animais.

Em Uberaba – MG, Matheus relata também estar satisfeito com o sistema de ordenha única e destaca melhorias na Fazenda Rincão. “Eu faço uma ordenha por dia e amamento os bezerros também uma única vez ao dia, estou bem satisfeito e consigo produzir um volume razoável de leite sem depender de mão de funcionários”, destacou. Os benefícios vão além da mão de obra dispensável segundo Matheus, “O maior ganho para os animais, no meu ponto de vista, é o conforto, eles têm mais tempo livre, e não são manejados nas horas mais quentes do dia”, citou. 

O produtor ainda destacou os benefícios relacionados à custos e qualidade de vida, “Com a redução da mão de obra, sobra mais tempo para outras atividades dentro e fora da fazenda e como esse sistema exige menos em questão de produção do animal, os animais ficam mais sadios quase não tem descartes e a alimentação é a base de pasto e concentrado, não tem necessidade de suplementar com volumoso”, completa Matheus, que reforça que a produção é menor e isso reduz custos de forma geral.

“Um outro detalhe que é importante falar é que como eu faço apenas uma ordenha ao dia, não posso forçar altas produções de leite das vacas, dessa forma não preciso de muito investimento em máquinas para dar suporte. A gente toca a fazenda com apenas um trator de 78cv e usamos muito pouco, a infraestrutura é bem simples também”, conclui ele.

No Rio Grande do Norte, a Fazenda Cajú adotou este sistema desde fevereiro de 2021 e o produtor ressaltou os benefícios para os bezerros com a implementação deste sistema. “Aqui é assim, e os bezerros agradecem... Os bezerros também mamam melhor e é mais uniforme o ganho de peso.”

A Fazenda Cajú também observou otimização de tempo e destacou que os funcionários têm mais tempo para cuidar de outros assuntos na propriedade, além de otimizar custos com a alimentação. “Só damos um trato individual após a ordenha, a tarde o trato é coletivo, antes fazíamos dois tratos”, conclui o produtor.

Relatos que coincidem com o dos produtores Mateus e Bianca Moura, de Mossamedes-GO, que destacam que após a implementação da ordenha única, também houve mais tempo para dedicação em outros manejos no Rancho Moura.  Ainda relatam que os custos relacionados a operação de ordenha diminuíram, “Houve redução dos custos associados à ordenha, como energia e produtos, e a redução do custo da ração”, pontuaram.

Os produtores relatam a queda na produção como a principal desvantagem do sistema. “A principal desvantagem que percebi é a queda no fluxo de caixa, os demais problemas associados a esse tipo de operação (como casos de mastite) não tiveram aumento”, comentaram eles, mas enfatizam a melhora no comportamento dos animais: “O tempo de ruminação é ócio aumentou bastante. Elas estão mais calmas, não vão afoitas ao cocho”, concluem.

Mas, como cada produção é uma realidade diferente, o sistema não funciona para todos. Assim foi o caso do Eduardo, da Fazenda Arco Verde no município de Baldim, em Minas Gerais. O produtor relatou uma queda muito grande perante os benefícios que o manejo de ordenha única pode trazer. “Na experiência que tive aqui na fazenda a queda foi de 50% na produção de leite”, comentou ele.

Foi questionado aos leitores a possibilidade de implementar o sistema de Ordenha Única no Brasil em uma pesquisa realizada no MilkPoint e dos 36 usuários que responderam, 64% acreditam na implementação do sistema por aqui, o que reflete as várias experiências aqui comentadas.

Embora o sistema de ordenha única pareça ser uma alternativa atrativa, cabe lembrar que relatos aqui citados foram de produtores que se disponibilizaram a passar informações e a realidade de cada propriedade é diferente, ficando para o produtor a responsabilidade de consultar um técnico especialista para avaliar o melhor caminho para a sua produção.

Se você implementou o sistema de ordenha única na sua produção, conte pra gente nos comentários como tem sido sua experiência!

STEPHANIE ALVES GONSALES

Zootecnista formada pela Universidade Estadual de Maringá e pós-graduada em Gestão do Agronegócio, Assistente de Conteúdo MilkPoint.

LAURA CANDIOTTO MEDEIROS

Cientista de Alimentos formada pela ESALQ e pós-graduanda em Gestão de Projetos na USP. Responsável pelo Marketing Digital do MilkPoint.

7

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

FERNANDO CERÊSA NETO

BRASÍLIA - DISTRITO FEDERAL - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 20/12/2021

Acredito ser viável para propriedades menores e animais com produção de até 20 kg.
Como ficaria um animal com produção entre 40 e 50 kgs diários ordenhado uma única vez?
Teríamos uma indústria de mastite e desconforto total para o animal.
MARCELO PAGES

RIO GRANDE - RIO GRANDE DO SUL - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 23/12/2021

CONCORDO PLENAMENTE ATE PORQUE ESSE PROCESSO VAI CONTRA A IDEIA E PRATICA APLICADA NA UTILIZAÇÃO DO ROBOT, QUE É ATENDER A NECESSIDADE DA VACA QUANDO SENTE DESCONFORTO. (VMS) MAS COMO FOI COMENTADO ANTERIORMENTE CADA FAZENDA UMA REALIDADE.
DANIEL RIBEIRO DOS SANTOS

ALVORADA DO NORTE - GOIÁS - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 16/12/2021

É uma alternativa, depende muito de cada realidade, há de ser estudada com mais dados técnicos, principalmente com a adaptação dos animais, pois tem a questão da mudança de rotina,que pode causar mastites,e outros transtornos.
MARCELO PAGES

RIO GRANDE - RIO GRANDE DO SUL - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 16/12/2021

Bom dia E bem interessante o OAD. Esse sistema é utilizado pelas propriedades leiteiras que vendem o leite ou também por aqueles que usam toda a produção para fazer queijo.
ARNALDO PRATA NEIVA JUNIOR

RIO POMBA - MINAS GERAIS - PESQUISA/ENSINO

EM 15/12/2021

Ótimo artigo. Parabéns as autoras...
LUCIANO FERREIRA GUIMARÃES

EM 15/12/2021

Utilizo o sistema de ordenha única desde 2018. Estou satisfeito com a mudança de manejo. Mesmo com a queda de cerca de 25% na produção, posso relacionar alguns benefícios: melhor utilização da mão de obra em outras áreas da fazenda, importante melhora na taxa de prenhez, utilização de pastagens mais afastadas do curral para as vacas de leite. Resultado financeiro melhor. Cada fazenda tem sua realidade, mas no meu caso, posso afirmar que foi vantajoso.
CARLOS HENRIQUE DA SILVA REGO

DUQUE DE CAXIAS - RIO DE JANEIRO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 15/12/2021

Bom dia sou um pequeno produtor e não tenho ordenha, gostara-se saber qual a diferença da ordenha única. Obrigado
MilkPoint AgriPoint