FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Bem-estar animal: do optativo ao obrigatório

POR EISTYS MARIA TORRES CLEMENTE DE ALMEIDA

PRODUÇÃO DE LEITE

EM 22/06/2020

3 MIN DE LEITURA

0
4

Bem-estar animal é uma das principais temáticas de interesse na produção de proteína animal moderna. “O conceito de bem-estar animal refere-se a uma boa ou satisfatória qualidade de vida que envolve determinados aspectos referentes ao animal tal como a saúde, a felicidade, a longevidade” (Tannenbaum, 1991; Fraser, 1995).  Interpretar as necessidades dos animais é de suma importância para que ocorra uma convivência harmoniosa entre animais, animal-ambiente e relação animal-humano, proporcionando rentabilidade na criação adotada.

Infelizmente, ainda existem tratamentos não adequados na produção animal, um exemplo é a condução de forma estressante dos animais. No entanto, já é comprovado cientificamente que eles são seres sencientes, ou seja, capazes de sentir emoções e sofrimentos. Por isso, é preciso dar atenção a essa questão e procurar meios para solucioná-la.

A bovinocultura é um dos principais destaques do agronegócio brasileiro no cenário mundial, ocupando o primeiro lugar no ranking mundial de cabeças de gado comerciais. Na bovinocultura leiteira, o País também oferece importantes números: são 37 milhões de fêmeas produtoras de leite, o que representa 17% do rebanho do país (EMBRAPA 2016). O conceito de bem-estar animal muito se aplica na bovinocultura leiteira, pois a saúde e o bem-estar são reflexos das práticas que estão sendo realizadas no cotidiano da propriedade e a longevidade do rebanho é um resultado almejado por todos que se dedicam a essa atividade.

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, MAPA, aprovou uma Instrução Normativa no ano de 2002 direcionada especificamente para vacas leiteiras. A IN nº 51 classifica o leite de acordo com o bem-estar animal: "entende-se por leite, sem outra especificação, o produto oriundo da ordenha completa e ininterrupta, em condições de higiene, de vacas sadias, bem alimentadas e descansadas."

Portanto, esses animais precisam estar dentro de um ambiente limpo, agradável e confortável, podendo expressar suas necessidades fisiológicas e comportamentais da espécie, bem como ter alimento disponível em boa quantidade e qualidade. A produtividade do rebanho é o reflexo do manejo ao qual o mesmo é submetido. As vacas leiteiras experimentam maior influência humana em seu cotidiano devido ao manejo diário de ordenha. Este contato direto do ordenhador com as vacas é a ação mais íntima que ele pode alcançar, por isso, é muito importante observar o comportamento do animal durante esse momento. Assim, além dos fatores ambientais, nutricionais e sanitários, se torna necessária a criação de uma rotina de boas práticas que visem o bem-estar animal e a qualidade do leite.

É possível fornecer um ambiente bem planejado para assegurar práticas de bem-estar animal. Muitas delas se adequam no simples passo de retirar ações agressivas comumente utilizadas antes. Exemplos de práticas benéficas:

  • Água fresca de qualidade e fácil acesso: o fornecimento de água à vontade e próximo aos animais faz com que eles tenham noção de que sempre podem dispor desse recurso abundante;
  • Evitar movimentações excessivas no rebanho: movimentações desnecessárias devem ser evitadas e melhor ajustadas de acordo com os horários mais frescos do dia para que não sofram, também, por estresse térmico;
  • Rotina: bovinos são animais extremamente rotineiros e a quebra da rotina os estressam. É sempre bom evitar mudanças em seu cotidiano, como troca de tratadores e horário das atividades. Além disso, vacas reconhecem animais que convivem diariamente e se sentem bem quando estão próximas. Assim, manter o rebanho normalmente como ele se organiza entre si ajuda a diminuir o estresse;
  • Evitar agressividade: tapas, gritos, chutes e empurrões não são atos agradáveis para os animais. Vacas são inteligentes e aprendem a reconhecer as pessoas pela voz, odor e até o jeito de caminhar, por isso se utilizar condutas mais leves e repetidas, elas memorizarão e facilitarão o trabalho;
  • Controlar a temperatura: a adoção de salas de resfriamento e ventiladores geram um ambiente mais agradável e, aliados a demais fatores da criação, propiciam o aumento de produção.  

Assim, sabe-se que vacas em boas condições de bem-estar produzem mais leite, apresentam melhores índices reprodutivos, têm menos problemas de saúde e, desta forma, ficam mais tempo no rebanho. Tudo isso caracteriza a importância em adotar boas práticas de bem-estar animal, visto que haverá impactos econômicos positivos ao produtor.

Referências Bibliográficas

Tannenbaum, 1991 J Tannenbaum. Ética e bem-estar animal: a conexão inextricável Geléia. Veterinário. Med. Assoc., 198 (1991), pp. 1360 - 1376.

Fraser, 1995 D. Fraser Ciência, valores e bem-estar animal: explorando a conexão inextricável “Anim. Welfare 4 (1995), pp. 103 – 117.

EISTYS MARIA TORRES CLEMENTE DE ALMEIDA

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

MilkPoint AgriPoint