ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Como estão as indústrias de laticínios na crise da Covid-19?

POR EDUARDO DREHER

INDÚSTRIA DE LATICÍNIOS

EM 05/04/2021

7 MIN DE LEITURA

6
12

Desde o início da movimentação no enfrentamento à pandemia da Covid-19 no Brasil, notadamente no final de fevereiro de 2020, as indústrias de laticínios buscam se adaptar à nova realidade, com grandes desafios em relação à disponibilidade de matérias-primas, impacto com mão de obra, dificuldade de fornecimento de itens essenciais, gestão à distância e, principalmente, cuidado com a saúde de seus colaboradores.

O ano de 2020 foi desafiador para o setor de lácteos e 2021 não está sendo diferente. Estamos enfrentando períodos atípicos, com preços de matérias-primas instáveis, sem previsibilidade, compressão de alguns mercados e o aumento da concorrência são algumas das dificuldades causadas pela crise da Covid-19 e seus danos econômicos.

Além disso, a pandemia mudou os hábitos dos consumidores e o perfil de consumo de produtos lácteos. Segundo um levantamento realizado pela consultoria Nielsen e um artigo publicado pela revista Exame, no primeiro semestre de 2020, o auxílio emergencial criado pelo governo federal para minimizar os impactos da pandemia favoreceu o consumo de leite e derivados pela população brasileira, sendo um fator importante para sustentar os preços mais altos pagos pelo litro no campo.

Essa mudança refletiu diretamente na cadeia de produção em relação à alta demanda de alguns produtos e retração de consumo de outros, alterando significativamente o sequenciamento de produção nas indústrias, que passaram a sofrer desabastecimento e/ou estoques altos de algumas categorias de produtos.

De acordo com uma pesquisa publicada na Revista Laticínios, os produtos fornecidos para rede de food service estacionaram a venda durante 2020 devido à redução no comércio relacionado a alimentação conjunta.

A pesquisa diária do Cepea, realizada com o apoio financeiro da Organização das Cooperativas do Brasil (OCB), registrou impactos diretos em redes atacadistas e varejistas com aumento de consumidores em busca de mantimentos para estocar em suas residências devido à recomendação de isolamento.

 

 

Planejamento e controle de produção vs. Covid-19: e agora?

 

O planejamento e controle de produção (PCP) que representa um setor chave para o enfrentamento aos desafios, precisou se reinventar. O plano de produção que antes seguia o mês corrente sem grandes alterações, passou a ser revisto regularmente, avaliando criticamente a demanda comercial e a disponibilidade de matérias-primas primárias e secundárias, como embalagens e insumos não lácteos — oriundos de fornecedores que também enfrentaram falta de matérias-primas no decorrer do ano de 2020 e seguem com desafios em 2021.

A proximidade entre as áreas comerciais, suprimentos e de planejamento e controle de produção tornou-se essencial. Quanto mais unificada e com sincronismo estas áreas conseguem trabalhar, mais assertiva será a estratégia da indústria no gerenciamento de cobertura de estoques e sequenciamento de produção.

Antecipar compras para períodos maiores, aumentar os estoques de insumos, trabalhar com fornecedores menores e regionais, estabelecer contratos de longo prazo foram algumas das alternativas que as indústrias precisaram aplicar buscando se resguardar de novas rupturas de abastecimento e aumentos de preços.

 

 Qual é a importância da inovação em tempos de crise?

Pensando em sustentar as atividades industriais em níveis viáveis, considerando o custo de produção e buscando manter sua presença no mercado em meio a quarentena, as indústrias tiveram que investir mais tempo e dinheiro em pesquisa e desenvolvimento (P&D).

Alguns insumos e matérias-primas simplesmente sumiram do mercado ou dobraram seus custos, sendo a inovação e a criatividade uma oportunidade para garantir o atendimento de demandas com estratégias técnicas que possibilitem a manutenção do custo e do nível de qualidade. A área de inovação passou a ser protagonista, ganhando ainda mais destaque na cadeia de produção.

Tratando de inovação, não podemos deixar de mencionar o uso da tecnologia de informação. A rotina de trabalho na indústria de laticínios sofreu pouco impacto, poucos setores puderam migrar para o trabalho em home office, mas de forma geral, todos tivemos que aprender a nos comunicar e a fazer gestão de forma diferente do que a que estávamos acostumados.

Reuniões e treinamentos importantes com quadro de colaboradores precisaram ser adaptados por meio de lives e reuniões entre gestores mudaram para o formato de videoconferência.  Uma menor presença da alta gestão na área industrial (chão de fábrica), pode gerar uma sensação de menor controle, e com isso, mudar a forma de pensar e planejar a estratégia do negócio.

Em um próximo artigo traremos uma discussão envolvendo a percepção do consumidor na substituição de gordura animal (creme de leite) por gordura vegetal (óleo de palma) em composto lácteo e uma análise de como essa mudança ou interação pode ser uma possível alternativa no mercado.

 

 O fator humano na pandemia

A Covid-19 não é uma Doença Transmitida pelo Alimento (DTA). Sua transmissão acontece de maneira direta, de pessoa a pessoa ou por contato das mãos com superfícies contaminadas e posterior contato com as mucosas da boca, nariz ou olhos. Deste modo, o vírus não deve ser considerado um perigo para a segurança de um alimento.

O enfrentamentamento mundial que estamos vivendo reforça ainda mais a necessidade da produção de alimentos para que a população não fique desabastecida. O leite e seus derivados lácteos são fundamentais nesta lista devido ao alto valor nutritivo, e por estar no topo das proteínas mais consumidas no mundo.

Em virtude do cenário da pandemia, a indústria vem sofrendo impacto do aumento ascendente e contínuo do absenteísmo. A falta de colaboradores, principalmente em posições estratégicas (Operadores, Analistas, Gestores), impacta diretamente no processo de fabricação de produtos lácteos, pois esses colaboradores necessitam de tempo e treinamento para dominar sua tarefa, dificultando a operação em momentos que esses se ausentam.

Campanhas voltadas aos cuidados com os colaboradores dentro e fora da empresa, envolvendo suas famílias, também são contínuas e buscam minimizar a contaminação e disseminação do vírus.

Buscar conscientizar e mudar a rotina dos colaboradores, oferecendo condições para que eles se protejam através do uso de álcool gel e máscaras, prestar condição de distanciamento nos horários de refeição e de descanso, são medidas que estão sendo tomadas para proteger e incentivar o hábito de cuidados individuais e coletivos dentro e fora da área de trabalho.

Novamente, a indústria precisa se reinventar, mudar a forma de orientar, usar alternativas que consigam chegar até os familiares, considerando que muito dos casos de afastamento por Covid-19 estão relacionados a isolamento por familiar com suspeita ou contaminado.

 

 Ir adiante: esse é o melhor caminho!

Frente a um cenário de incertezas, a indústria de laticínios precisa definir suas estratégias e prioridades, não sendo mais possível trabalhar somente com o plano A. É necessário acompanhar as tendências, ampliar a visão de mercado, fechar parcerias com fornecedores, desenvolver alternativas que possam lhe sustentar em ocasiões distintas, imaginando diferentes cenários e tentar se antecipar aos obstáculos que podem acompanhar as diferentes situações de crises.

O Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (Mapa), publicou em 30 de março de 2020 o ofício circular nº 28/2020/DIPOA/SDA/MAPA, buscando permitir as indústrias inspecionadas por órgão estadual e municipal, comercializar para indústrias de inspeção federal.

Esse ofício facilitou a comercialização e a busca por matérias-primas e auxiliou na flexibilização das regras voltadas ao atendimento da Instrução Normativa nº 76 e nº 77 e de uso de embalagens.

Ações como estas possibilitam uma alternativa para as indústrias e com certeza foram muito utilizadas em estratégias para não perder produção e continuar atendendo a demanda em meio à crise. 

A maioria das indústrias com sistema de gestão implantado, aplicam em suas rotinas a matriz GUT, uma ferramenta de gestão interessante e que auxilia na priorização dos projetos e/ou ações a serem tomadas frente a algum desafio.

As principais lideranças avaliam as ameaças, oportunidades, forças e as fraquezas da empresa, com o objetivo de corrigir as deficiências que prejudicam a eficiência da unidade industrial.

Considerando que uma pandemia da dimensão do coronavírus dificilmente foi levantada em avaliações antes de 2019, ela mudou muitos planos previstos e obrigou as empresas a refazerem seus levantamentos a cada período. Mas, agora, com uma nova perspectiva e para um horizonte desconhecido que apresenta desafios, mas também que pode trazer grandes oportunidades.

Gostou do conteúdo? Deixe seu like e seu comentário, isso nos ajuda a saber que conteúdos são mais interessantes para você. Quer escrever para nós? Clique aqui e veja como!

Referências

Consumo de produtos lácteos, como o leite, cresce na pandemia. Revista Exame. Disponível em: https://exame.com/setores/consumo-de-produtos-lacteos-como-o-leite-cresce-na-pandemia/. Acesso em: 28. março de 2021.

Impactos da Covid-19 no setor lácteo. Revista Laticínios. Disponível em: https://fermentech.com.br/artigos-tecnicos/revista-industria-de-laticinios-n143/. Acesso em: 28. março de 2021.

Mercado lácteo: impactos do coronavírus no setor. Canal Agro, Estadão. Disponível em: https://summitagro.estadao.com.br/comercio-exterior/mercado-lacteo-impactos-coronavirus/. Acesso em: 28. março de 2021.

*Fonte das fotos do texto: economyup

*Fonte da foto do artigo: Freepik

EDUARDO DREHER

Biólogo, especialista em gestão da qualidade com MBA em Administração no Agronegócio, atua como gerente de operações na empresa Tangara Soluções Lácteas, possui 17 anos de experiência em industrias de bem de consumo de médio e grande porte.

6

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

FERNANDA PICOLI

ESTRELA - RIO GRANDE DO SUL

EM 09/04/2021

Parabéns!!! Excelente artigo.
LEANDRO DREHER DA SILVA

EM 09/04/2021

Parabéns Eduardo!!! Excelente artigo.
LIGIAPARECIDA818@GMAIL.COM

EM 06/04/2021

Parabéns ótima colocação.
MAURO SÉRGIO SORAN DALENOGARE

ESTRELA - RIO GRANDE DO SUL - INDÚSTRIA DE LATICÍNIOS

EM 06/04/2021

Parabéns, ótimo conteúdo retratando o cenário atual do seguimento.
DANIELA FARIA

INDÚSTRIA DE LATICÍNIOS

EM 05/04/2021

Ótimas pontuações, excelente artigo
ELISEU CASSOLA

ESTRELA - RIO GRANDE DO SUL - INDÚSTRIA DE LATICÍNIOS

EM 05/04/2021

Excelente artigo. Parabéns.
MilkPoint AgriPoint