ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
FAÇA SEU LOGIN E ACESSE CONTEÚDOS EXCLUSIVOS

Acesso a matérias, novidades por newsletter, interação com as notícias e muito mais.

ENTRAR SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Imposto de importação de muçarela zerado: quais possíveis impactos?

POR VALTER GALAN

E TIAGO DA CUNHA FARIA

PANORAMA DE MERCADO

EM 11/04/2022

2 MIN DE LEITURA

4
6

Atualizado em 11/04/2022

Conforme relatado na nota “Governo zera imposto de importação de queijos e outros 5 alimentos para conter inflação”, o governo anunciou no último dia 21/03 que zerou o imposto de importação do etanol e de seis produtos da cesta básica para tentar conter a inflação, entre eles, a muçarela.

Mas afinal, qual será o real impacto desta medida no mercado de muçarela, que representa aproximadamente 30% do mercado de queijos, ou seja, 12% do leite produzido no país?

Para exportar derivados lácteos ao Brasil, os países de fora do Mercosul têm alíquota de importação (TEC – Tarifa Externa Comum) de 28%; esta tarifa praticamente inviabiliza a compra de produtos lácteos advindos desses países (os principais focos seriam Nova Zelândia, União Europeia e Estados Unidos). Zerar o imposto sob importação pode causar uma mudança na estrutura do cenário internacional, e auxiliar a viabilizar a comercialização de produtos de diferentes países que hoje não tem participação relevante no mercado nacional.

A equipe do MilkPoint Mercado simulou os custos da muçarela proveniente dos Estados Unidos no mercado nacional, sem a taxação de 28% existente, e chegou ao seguinte cenário (em função dos preços da muçarela nos Estados Unidos e da taxa de câmbio R$/US$):

Tabela 1. Preços da muçarela dos Estados Unidos em R$/Kg no mercado nacional.


Fonte: Elaborado pela equipe do MilkPoint Mercado, com dados da CBOT e Banco Central.

Considerando-se os preços bases da Chicago Board of Trade (CBOT) para a muçarela dos Estados Unidos – valor de U$ 2,25 /lb–, e a taxa de câmbio de R$ 4,60/US$ (em 05/04), tem-se um valor médio dos preços do produto norte-americano chegando no mercado nacional a R$ 25,9/kg, já se desconsiderando 4% de crédito de ICMS.

Comparando-se com o preço do produto nacional, que na média da última semana de março pelo levantamento da equipe do MilkPoint Mercado foi de R$ 30,7 /kg, e descontando o crédito de 12% de ICMS, tem-se um valor de custo de R$ 27,0 /kg.

No caso da aplicação da TEC de 28%, o queijo americano chega no Brasil a R$ 33,7 /kg, ou seja, não competitivo neste momento.

Com a medida em vigor no momento, entretanto, os preços da muçarela norte-americana estariam frente a frente com os preços praticados no mercado nacional, aumentando sua competitividade significativamente. É claro que o preço do queijo no mercado americano e, principalmente, a taxa de câmbio aqui no Brasil, são fatores cruciais para esta competitividade, mas devemos ficar bastante atentos.

Um outro fator que pode contribuir para o favorecimento da importação de queijos neste cenário é a baixa disponibilidade de derivados lácteos por parte dos nossos vizinhos do Mercosul.

Bem como o Brasil, nos últimos meses os países apresentaram problemas logísticos e de produção, e o cenário que se tem hoje em dia é de menor disponibilidade de lácteos para comercialização. Muitos dos contratos para importação já estão firmados, e os países não possuem um volume grande destinado a novas negociações no comércio exterior, pelo menos não a curto prazo. Este cenário tende a mudar a partir de junho/julho, com a entrada de uma nova safra.

Um ponto talvez mais crítico na medida de corte da TEC para a muçarela é o precedente que abre para medidas semelhantes relacionadas a outras categorias lácteas, que poderiam trazer impacto maior ainda ao setor, como por exemplo, os leites em pó

'

VALTER GALAN

MilkPoint Mercado

4

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

ELISEU NARDINO

MARIPÁ - PARANÁ

EM 13/04/2022

Vamos ter um voo de galinha na recuperação dos preços pago ao produtor
VALDIR CAMPOS

EM 13/04/2022

esqueceu o frete que vai custar em torno de 2,50 de real. ou seja pelo mesmo preço do nacional , não acredito que vai ter muito interessados em importar. mesmo que o nacional fique en torno de 5 a 10 % mais caro, não será um grade negocio importar
TIAGO DA CUNHA FARIA

SÃO JOSÉ DOS CAMPOS - SÃO PAULO

EM 13/04/2022

Olá Valdir Campos! Obrigado pela colocação! Na base de cálculos que utilizamos para chegar ao valor final da muçarela importada no mercado nacional o frete foi incluso, utilizando-se um valor médio com base em pesquisa de mercado. Sendo assim, alguns dos principais fatores que podem tornar a muçarela importada competitiva são: A taxa de câmbio, e os preços da muçarela praticados no mercado nacional.
Qualquer dúvida, estamos à disposição!
Obrigado.
VANIA FERRARI PASTRE

CASCA - RIO GRANDE DO SUL - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 12/04/2022

Ou seja...
Pouco mexe no preço ao consumidor, mas pode detonar o produtor de leite e a indústria?
MilkPoint Logo MilkPoint Ventures