FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Empresária cria foodtech que produz bebida à base de vegetais

GIRO DE NOTÍCIAS

EM 14/12/2020

2 MIN DE LEITURA

0
0

Chega ao mercado mais uma foodtech focada em alimentos à base de plantas. É a Nude, startup fundada em 2020 pela empreendedora paulista Giovanna Meneghel. A empresa acaba de lançar sua linha de bebidas à base de aveia em 100 pontos de venda no Brasil, espalhados nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo e Paraná.

A empresa conta com cinco versões da bebida: original, fórmula especial para ser tomada com café, baunilha, cacau e fortificado com cálcio. Em outubro, a foodtech levantou sua primeira rodada de investimento, no valor de R$ 2 milhões, feita por investidores-anjo. A notícia foi divulgada com exclusividade para PEGN.

Meneghel conta que a vontade de empreender surgiu ainda em 2015, quando fez um curso de inovação. À época, entretanto, estava com sua atenção totalmente focada no mercado de moda, no qual construiu sua carreira. O que poucos sabiam era que a paulista havia passado boa parte da infância no Paraná, na fazenda de seus pais, cuja produção é sumariamente focada na aveia.

Depois do curso, foi morar na Alemanha com o marido. Lá, deu uma pausa na carreira de moda para ajudar na internacionalização dos negócios da família. Nesse período, começou a estudar a possibilidade de empreender na área de alimentação - com foco em inovação. “A Alemanha é muito rica nesse tema. A cidade é considerada a capital vegana da Europa e isso me inspirou”, diz.

Nesse período, Meneghel começou a observar a aveia com um novo olhar: a ideia era usá-la como matéria-prima para a produção de bebida vegetal. A empresária conta que, nos Estados Unidos, esse já é a segunda bebida vegetal mais consumido do país, ultrapassando a de soja e ficando atrás somente da de amêndoas. “Vi que era uma categoria pouco aproveitada no Brasil”, diz.

Quando voltou ao país, no início do ano, estava determinada a tirar a ideia do papel. Vendeu o apartamento que tinha com o marido e usou o dinheiro como capital inicial da startup. Para trabalhar no desenvolvimento do produto, contratou um diretor de P&D (Pesquisa e Desenvolvimento), com PhD em tecnologia de alimentos e especialização em aveia. “Chegamos em um resultado extremamente puro e com sabor. No mercado de comida, não adianta inovar sem sabor”, diz a empresária. 

Outro investimento foi em sustentabilidade. A Nude contratou uma consultoria sueca para garantir que a startup produzisse um leite carbono neutro. A fundadora conta que a empresa é capaz de calcular o valor de carbono emitido por litro de leite. “É um passo importante, porque você mensura a cadeia e define um plano de mitigação para melhorar”, diz. 

A empresa, que tem oito pessoas no time, aplicará o aporte em pesquisa, marketing e contratação de pessoas. O objetivo é lançar novos produtos ainda em 2021. Meneghel não revelou quais, mas disse que são possíveis substitutos dos produtos lácteos. A meta é fechar o ano que vem presente em 500 pontos de venda no país.

As informações são do Pequenas Empresas & Grandes Negócios.

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

MilkPoint AgriPoint