ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Qual é o seu ponto de vista?

POR RODRIGO LUIS SECHI

RODRIGO SECHI

EM 01/04/2019

1 MIN DE LEITURA

3
8

Tenho acompanhado nos últimos tempos um humorista gaúcho chamado “Badin o Colono”.  Este humorista relata de forma bem-humorada o cotidiano da vida na colônia. Um de seus bordões é: “por Deus que dá vontade de vender fora tudo”.

Particularmente a mim me chama muito a atenção esta frase e se este humorista a está utilizando, seguramente a deve ter escutado muitas vezes, e se escutou muitas vezes eu me pergunto, por quê?

Neste último mês tivemos o comunicado que um de nossos associados deixou a atividade leiteira depois de quase trinta anos no ramo. Esta explicação, segundo ele, é fácil de entender: “idade”, me disse, “já estou cansado de trabalhar com vacas”. Conversamos por quase uma hora, histórias de como iniciou com os animais, suas expectativas e alguns desgostos, que - somados - o fizeram aos poucos desistir da atividade.

Ainda bem que existem pontos de vista diferentes, onde alguns veem problemas, outros criam oportunidades. Nesta conversa pude perceber muito disso. Me relatou o senhor que a falta de mão de obra, os custos de produção altos, os baixos valores pagos pelo produto, o compromisso diário e a idade, o levaram a tomar esta decisão. Por outro lado, vejo muitas oportunidades no que me relatou este produtor, mas respeito sua opinião e sua decisão.

Vejo muitas propriedades rurais que pela escassez de mão de obra, investiram mais no trabalho familiar, outros tornaram-se ótimos gestores de pessoas e encontraram formas de trabalhar esta adversidade. Observo muitas propriedades que conseguem agregar valor a seus produtos, seja melhorando a qualidade, buscando outros mercados ou industrializando sua produção. Enfim, certa vez tive a oportunidade de conversar com um produtor de leite de noventa anos.

Como grande otimista do setor, o que gostaria de deixar bem claro, é que devemos criar oportunidades, devemos estar sempre pisando em solo firme, não podemos nos abater pelas adversidades, temos que seguir melhorando. ‘OJALA’ que um dia escutemos o bordão do humorista ser outro.

3

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

MARCO T?CARRIJO PEREIRA

UBERLÂNDIA - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 02/04/2019

Rodrigo, vc é produtor de leite?
JUSCELINO RAMOS JÚNIOR

AVELINÓPOLIS - GOIÁS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 02/04/2019

Boa noite a todos!
A questão de mão de obra na atividade leiteira, é difícil até para os produtores que trabalham em grupo familiar e fora deste contexto, ela é peculiar a cada produtor. Conheço vários amigos, ex produtores, que tiveram que abandonar a atividade exatamente por este motivo
Em particular, estou na atividades há mais de 30 anos e nunca tive problemas com mão de obra e sempre procurei me qualificar e se inteirar de todas as maneiras possíveis, para se laborar da forma mais simples e eficaz, valorizando sempre o executor das tarefas e premiando o melhor desempenho, sem deixar de lado o tratamento igualitário e respeitoso entre empregado e patrão.
LUCAS VIEIRA MOURA

UBERLÂNDIA - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 02/04/2019

Parabéns! Pode se considerar uma exceção! Já vivenciei muitas propriedades que apresentavam bom convívio entre empregados e patrão ou gerente, premiações e incentivos por resultados alcançados ou metas atingidas, participação em resultados, boas moradias oferecidas aos funcionários, etc. e mesmo assim apresentavam alta rotatividade de mão de obra......sem falar em cursos e aperfeiçoamentos oferecidos eventualmente......Infelizmente o Brasil vive o paradoxo de apresentar 13 milhões de desempregados e ao mesmo tempo setores com escassez de mão de obra. Não vamos nem entrar na questão da qualificação de mão-de-obra, qualidade do ensino e estrutura familiar brasileira.....Que Deus olhe cada vez mais p/ este país maravilhoso!!!!!!!
MilkPoint AgriPoint