ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

A importância da Gestão da Manutenção nos laticínios

POR DANILA SANTOS

E WASHINGTON WAGNER DA SILVA

INDÚSTRIA DE LATICÍNIOS

EM 21/06/2021

5 MIN DE LEITURA

2
13

Começamos este artigo sobre gestão da manutenção nos laticínios com a seguinte reflexão: “Se você acha muito caro manter uma boa gestão de manutenção dos seus equipamentos, experimente não a ter”.

A partir da nossa reflexão inicial, podemos dizer que grande parte dos laticínios não possuem uma boa gestão de manutenção. Ao considerarmos que equipamentos antigos, ou novos em que acreditamos não ser preciso estabelecer reparos preventivos para se garantir uma melhor performance, acabamos atuando muito mais na manutenção corretiva, o famoso "apaga incêndio"

O que muitas vezes não percebemos é o quanto gastamos com esse “quebra, arruma”, pois muitas vezes não contabilizamos os custos de uma produção parada dentro da gestão da manutenção.

Dessa forma, para um bom sistema de Gestão de Manutenção, vamos citar alguns pilares importantes, sendo eles:

  • Pessoas;
  • Manutenção Preventiva;
  • Manutenção Corretiva;
  • Manutenção Preditiva;
  • Custo;
  • Produtividade.

 

Pilar Pessoas

Começamos pelas pessoas. Acredito que de todos os pilares, esse seja o mais importante — assim como em qualquer sistema — as pessoas sempre serão mais importantes, pois são elas que realizam todo o processo, e para a gestão de manutenção, isso não é diferente!

Pessoas capacitadas e bem motivadas fazem toda a diferença nesse processo. Usamos o chamado Conhecimento, Habilidade e Atitude (CHA) para medir o grau da equipe de manutenção para operação das atividades.

Dessa forma, é possível saber o que você mais precisa em seu time: treinamento, mais pessoas preparadas ou mais colaboradores com vontade de fazer a diferença. A habilidade técnica também é fundamental, pois ajudará na agilidade de resolução de problemas no dia a dia.

 

Pilares de Manutenção Preventiva, Corretiva e Preditiva

Consideramos os pilares de operação/planejamento do sistema de gestão. A manutenção preventiva e corretiva são os tipos mais comuns encontrados na maioria das empresas, sendo que a preditiva ainda gera dúvidas em muitos gestores. De uma forma geral, a diferença entre elas está no objetivo de cada ação.

Isso porque a preventiva — como o nome sugere — é feita antes que algum problema aconteça já a corretiva é realizada quando algo já impede o funcionamento da máquina ou equipamento, ou seja o equipamento escolhe quando parar.

Por outro lado, a preditiva, consiste na verificação regular dos equipamentos, buscando antecipar problemas e evitar que a manutenção corretiva aconteça, reduzindo os custos. Vamos ver nos tópicos abaixo cada uma delas:

 

O que é manutenção preventiva?

A manutenção preventiva é aquela feita de maneira a prevenir problemas. Em geral, são feitas intervenções programadas pela equipe de Manutenção, evitando que surjam falhas nos equipamentos e maquinários.


 

O que é manutenção corretiva?

A manutenção corretiva é aquela que busca corrigir os problemas ou as falhas que os itens já estejam apresentando. Por isso, ela é uma manutenção não programada e, na maioria das vezes, envolve ações mais drásticas, como substituição de peças e componentes danificados ou extremamente desgastados.


 

O que é manutenção preditiva?

Na preditiva, as ações são baseadas na inspeção sistemática e na observação frequentes das modificações dos parâmetros ou condições de desempenho das máquinas e equipamentos.


 

Qual a importância dos Indicadores de Manutenção?

Um bom gestor deve estar municiado de números que refletem à realidade do setor e, com bases nestes, tomar decisões estratégicas.

 

O que são Indicadores de Manutenção?

Um indicador é uma métrica. Ou seja, um indicador é um dado quantitativo que lhe informa como está a performance de um determinado processo, ativo ou setor, quando comparado com alguns outros dados de benchmarking

 

Quais são os principais Indicadores de Manutenção?

Os Indicadores de Manutenção estão divididos em duas categorias principais:

  • Indicadores de manutenção que evidenciam o efeito de manutenção no desempenho dos negócios;
  • Indicadores de Manutenção que estão ligados diretamente à Confiabilidade e Disponibilidade dos ativos.

 

 Veja a seguir exemplos de indicadores:

 

  • MTBF: é a sigla para Mean Time Between Failures — que em português significa tempo médio entre falhas;
  • MTTR: é a sigla para Mean Time to Repair — que em português significa Tempo Médio para Reparo;
  • Disponibilidade Inerente;
  • Confiabilidade;
  • Custo de Manutenção / Faturamento;
  • Custo de Manutenção/ Unidade Produzida;
  • Backlog (tradução: trabalho em atraso);
  •  HH (Homem/Hora) — empregado por Tipo de Manutenção;
  •  Fator de Produtividade da Mão de Obra;

 

É claro que envolve muitos fatores para uma boa gestão de manutenção, a qual não é fácil e precisa ser tratada como um pilar importante para o negócio, pois os custos sem uma boa gestão podem ser exorbitantes.

 

Custo

Muitos laticínios não fazem ideia de quanto custa sua operação, sendo de extrema importância mapear o custo total da manutenção pelo volume total de produção. Além desse cálculo, é interessante criar o custo de parada de operação, por exemplo: se sua drenoprensa quebra e gastamos em torno de 2 horas para intervenção, calcula-se o custo dessas 2 horas de produção parada.

Cada empresa tem uma forma particular de medir isso, muitas calculam pelo custo do produto em processo e algumas pelo custo do produto acabado. Independente da forma de cálculo, esse é um ótimo indicador para fomentar ainda mais a gestão da manutenção preventiva.

Outros indicadores de custos que muitas vezes não atribuímos à gestão da Manutenção são: perdas em processo — como vazamentos devido problemas em bombas –,  juntas danificadas etc. Vários exemplos que, se pararmos para observar nosso processo com atenção, certamente teremos muitas oportunidades.

 

Produtividade

Por fim, o pilar produtividade, o qual acredito ser o menos praticado nos laticínios. Muitas vezes temos a gestão da Manutenção apenas como "arrumar coisas", mas podemos olhar para esse processo de uma forma diferente, pois essa equipe detém grande conhecimento do processo e pode ajudar muito na busca pela melhoria contínua.

Grandes oportunidades de redução de perdas; melhoria de processo e aumento de produtividade podem vir de projetos realizados por essa equipe, como, por exemplo: aumento de produtividade em máquinas de envase de produto devido À redução de quebras; redução de paradas; redução de setup etc; redução de tempo de CIP ou melhoria da performance, por meio de mudança de bombas; redução de trechos de tubulações; reposicionamento e/ou instalações de spray ball etc.

De toda forma, estabelecer um bom sistema de Gestão de Manutenção e mantê-lo não é algo fácil, principalmente em tempos de crise, pois optamos sempre  por cortes, se percebemos que nossos equipamentos não estão quebrando e neste ponto que "mora o perigo."

Uma vez que não rodamos o sistema por completo, corremos riscos de impactos muito maiores por planta parada, por isso a frase que iniciamos o artigo: “Se você acha muito caro manter uma boa gestão de manutenção dos seus equipamentos, experimente não a ter”.

Gostou do conteúdo? Deixe seu like e seu comentário, isso nos ajuda a saber que conteúdos são mais interessantes para você. Quer escrever para nós? Clique aqui e veja como!

Boa leitura!

DANILA SANTOS

Gerente Industrial, experiência de mais de 17 anos em industrias alimentícias, especialmente em Laticínios. Química Industrial, Especialista em Queijos pela UOV/UFV, MBA Gestão Industrial pela FGV

WASHINGTON WAGNER DA SILVA

Coordenador de Manutenção, experiência de mais de 21 anos em manutenção industrial. Engenheiro Mecânico, Pós-graduado em Engenheira de manutenção e Especialista e hidráulica/PCM.

2

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

LEONARDO FAQUINI

SÃO PAULO - SÃO PAULO - INDÚSTRIA DE LATICÍNIOS

EM 22/06/2021

Excelente Artigo. Otima abordagem e reflexao.
ARIELY ILIDIA FERREIRA

SÃO PAULO - SÃO PAULO - INDÚSTRIA DE LATICÍNIOS

EM 22/06/2021

Muito bom!!!!
MilkPoint AgriPoint