FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Classificação de alimentos ultraprocessados: definição e reflexão

GIRO DE NOTÍCIAS

EM 03/12/2020

2 MIN DE LEITURA

0
0

A classificação Nova que classifica alimentos pelo grau de processamento, tem ganhado atenção com a recente discussão em relação ao guia alimentar brasileiro. O principal ponto de polêmica parece ser o uso do termo ‘'ultraprocessado'’ e há menções de que o termo é “inadequado”, sendo “mais enganoso do que explicativo” “Esta classificação é muito ampla e genérica. Alimentos que nada têm a ver entre si coexistem nesta classificação dentro da mesma categoria” 

Esta divisão é um sistema de classificação de alimentos criado por uma equipe de pesquisadores liderada pelo professor Carlos Monteiro, da Universidade de São Paulo. A Nova categoriza os produtos alimentícios pela “extensão” e “finalidade” do processamento, em quatro categorias: alimentos minimamente processados; ingredientes culinários processados; alimentos processados; e alimentos ultraprocessados. 

“Se o termo ‘'ultraprocessado’' fosse um ‘código’ para alimentos pobres em nutrientes e densos em calorias (como bebidas com açúcar, doces e salgadinhos), então eu poderia concordar [que estes alimentos estejam relacionados com obesidade e outras doenças crônicas]. 

Definição de ‘'alimentos ultraprocessados’'

A principal crítica em relação à classificação Nova parece ser a definição deste tipo de  alimentos. É importante notar que essa definição vem mudando ao longo dos anos, o que aumenta a polêmica em relação à sua validade científica.

A primeira vez que o termo aparece na literatura científica é em 2009, em um comentário na Revista Public Health Nutrition. Nesta publicação, Monteiro afirma que, “em relação à saúde e nutrição, a questão não é o alimento nem os nutrientes, mas o processamento”. 

Uma nova publicação é feita pelo  grupo do Monteiro em 2016, a classificação NOVA “em sua forma atual e revisada”, que “classifica todos os alimentos e produtos alimentícios em quatro grupos claramente distintos, especificando o tipo de processamento empregado na sua produção e a finalidade subjacente a este processamento”, de acordo com os autores.

Talvez a falta de clareza da definição apresentada até então tenha motivado o grupo a publicar um outro comentário em 2019, novamente na revista Public Health Nutrition (9), intitulado “Alimentos ultraprocessados: o que são e como identificá-los”. Nessa publicação, os autores especificam que ingredientes como açúcar, óleos, gorduras e sal podem estar presentes em nestes alimentos. Aditivos que prolongam a duração do produto podem ser usados em alimentos dos grupos ingredientes culinários, alimentos processados e ultraprocessados.

A classificação Nova se propõe a classificar alimentos de acordo com seu grau de processamento. Porém, utiliza definições que incluem elementos relacionados a ingredientes, nutrientes, conveniência, palatabilidade, entre outros, mas não o processamento em si.

Confira a matéria completa, clique aqui.

Gostou do conteúdo? Deixe seu like e seu comentário, isso nos ajuda a saber que conteúdos são mais interessantes para você. Quer escrever para nós? Clique aqui e veja como!

As informações são da Associação Brasileira de Engenharia de Alimentos, adaptadas pela Equipe MilkPoint.

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

MilkPoint AgriPoint