ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
FAÇA SEU LOGIN E ACESSE CONTEÚDOS EXCLUSIVOS

Acesso a matérias, novidades por newsletter, interação com as notícias e muito mais.

ENTRAR SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

NRC 2021: ajustando a forma física da dieta

FAMÍLIA DO LEITE

EM 28/07/2022

4 MIN DE LEITURA

0
6

Atualizado em 25/07/2022

A nova atualização do NRC traz duas opções para ajustar a forma física da dieta.

Desde o NRC (2001), os avanços científicos para determinação da quantidade de fibra insolúvel em detergente neutro fisicamente efetiva (FDNfe) da dieta adequada foram limitados devido à falta de padrão e métodos de análise validados. Dessa forma, devido ao pouco progresso obtido em relação ao conceito de FDNfe, o comitê do NRC então optou por utilizar em sua atualização o conceito de FDN da forragem (FDNf) para estimar a efetividade da dieta.

O NASEM (2021) justifica que a FDNf é mais importante que a FDN total da dieta, pois há uma grande correlação entre a FDNf e o pH ruminal, com efeitos no consumo de matéria seca (CMS).

Assim, a recomendação é que ao formular uma dieta deve-se observar se a FDNf está com o mínimo 15 a 19% (MS), a depender do teor dietético de FDN total e amido. Sendo que é recomendado um mínimo de 25% de FDN total na dieta, desde que o tamanho de partícula esteja adequado, o amido seja proveniente de milho seco moído e esteja dentro dos valores recomendados abaixo de 30% e as vacas consumam a dieta totalmente misturada (TMR).

Além disso, a efetividade de alimentos não forragem foi considerada 50% da FDN de forragem, visto que esses possuem efetividade na ruminação.

Assim, o NASEM 2021 ou NRC 2021 recomenda que para cada 1% de decréscimo na FDNf abaixo de 19%, é necessário um aumento de 2% na FDN total e o máximo de amido deve ser reduzido em 2%, como descrito na Tabela 1.

Tabela 1. Recomendações de inclusão de FDN total e amido em relação ao nível de FDNf.

NRC 2021
Adaptada de NASEM (2021).

Uma FDNf ótima para vacas em lactação maximizando a ingestão de energia e reduzindo os riscos de acidose se encontra entre 17 e 27% da MS da dieta. Valores acima podem limitar o CMS devido ao maior tempo de retenção ruminal e, consequentemente, afetar negativamente a produção de leite.

Além disso, a quantidade de FDNf precisa ser maior para garantir a saúde ruminal quando as dietas são altamente fermentáveis, como na suplementação com milho úmido ou reidratado, porém, em dietas contendo tamponantes (como bicarbonato de sódio ou óxido de magnésio), as quantidades podem ser menores.

Outro novo conceito proposto na nova atualização do NRC é a FDN fisicamente ajustada (FDNpa).

Assim, há uma exigência do tamanho das partículas recomendada na dieta para alcançar um determinado valor de pH ruminal avaliando a interação de alguns componentes da dieta como FDN, FDNf, amido e percentual de forragem, por exemplo. Dessa forma, a depender de um valor de pH desejado, o nutricionista deve ajustar a proporção de partículas retida em cada peneira do Separador de Partículas Penn State (PNPS).

Logo, o comitê recomenda a PNPS com as peneiras de 19, 8 mm e o fundo apenas, desconsiderando a peneira de 4 mm. O comitê justifica que a percentagem da TMR com base na MS que deve ficar retida na peneira de 8 mm da PNPS é recomendada pelo sistema de acordo com o pH desejado pelo nutricionista e pela quantidade de material retida na peneira de 19 mm. Caso o valor encontrado não esteja dentro da porcentagem estabelecida, será o indício de que o pH ruminal desejado não será alcançado, podendo afetar negativamente a saúde ruminal.

Além disso, nesse novo sistema sugerido pelo comitê é possível predizer o tempo de ruminação necessário e o CMS para o pH ruminal, uma vez que o pH reflete a produção de energia, absorção, metabolismo e neutralização de ácidos provenientes da fermentação.

Para a utilização da FDNpa foi desenvolvido um aplicativo para celular denominado MUNCH for Dairy Cows que precisa das seguintes informações da dieta e animal para uma adequada predição:

  • Matéria seca da dieta
  • %forragem e %forragem úmida
  • % FDNf, %FDN %FDA
  • % Amido
  • % PB
  • Peso corporal
  • pH ruminal desejado
  • %TMR na peneira de 19 mm

Esse sistema busca relacionar o efeito de vários componentes da dieta com a saúde ruminal. Porém, são necessárias análises químicas dos componentes da dieta e da MS do retido em cada compartimento da PNPS, o que pode tornar mais laborioso o ajuste da dieta. Ainda, este pode não se encaixar para dietas ricas em volumosos, como as dietas de vacas secas, por exemplo.

O novo sistema ainda reforça a necessidade de análises constantes dos alimentos, especialmente forragens, devido à grande variação quanto aos terrores de MS e FDN e alimentos de alta inclusão na dieta. Em especial, alimentos ensilados em silos de superfície que apresentam grande variação no teor de MS em relação a silos tipo trincheira.

Gostou do conteúdo? Deixe seu like e seu comentário, isso nos ajuda a saber que conteúdos são mais interessantes para você.

Autores

Júlia Travassos da Silva - Estudante de Pós-graduação em Zootecnia UFV
Kellen Ribeiro de Oliveira - Estudante de Pós-graduação em Zootecnia UFV
Polyana Pizzi Rotta - Professora Bovinocultura de Leite UFV

Referências bibliográficas:

NASEM, 2021. Nutrient Requirements of Dairy Cattle. 8th rev. ed. Natl. Acad. Press, Washington, DC.

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

MilkPoint Logo MilkPoint Ventures