FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

A época do nascimento da bezerra influencia seu desempenho até a desmama?

PRODUÇÃO DE LEITE

EM 10/11/2020

5 MIN DE LEITURA

2
11

O sistema de criação de bezerras é essencial para o sucesso da pecuária leiteira, uma vez que irão garantir a reposição das vacas descarte e o aumento na produtividade por meio da entrada no rebanho de genética melhorada das bezerras. No entanto, muitas vezes esta fase de aleitamento recebe menos investimentos e atenção dos pecuaristas do que o sistema de produção de leite propriamente dito.

Sabe-se que os resultados produtivos e reprodutivos da vaca adulta são reflexos de um bom manejo e condições de bem-estar animal em seus primeiros meses de vida, principalmente evitando o estresse térmico. Quando os animais são expostos a altas temperaturas, alta umidade e excesso de radiação solar, ocorre um conjunto de reações no organismo do animal (comportamentais, fisiológicas ou imunológicas) na tentativa de estabilizar sua temperatura corpórea ideal para manutenção do metabolismo.

 O estresse térmico prejudica o desenvolvimento de bezerras, podendo ocasionar aumento da frequência respiratória, mais susceptibilidade a ocorrência de doenças, menor ganho de peso desde o nascimento até a desmama, alterações nos níveis de proteínas plasmáticas no sangue e aumento da taxa de mortalidade.

Assim, a estação do ano em que esses animais nascem influencia diretamente em seu desempenho, uma vez que, ao decorrer dos meses do ano há mudanças climáticas em relação a temperatura, incidência de radiação, vento, precipitação e umidade.

Resultados preliminares de um trabalho realizado no Centro Oeste goiano, utilizando 143 bezerras da raça Holandesa, comparou o desenvolvimento de bezerras nascidas no verão (novembro a abril) com bezerras nascidas no inverno (maio a outubro).

Os resultados do efeito da estação de nascimento sobre o peso ao nascimento, peso aos 30 e 60 dias, peso a desmama, proteína plasmática no sangue, doenças até o desmame e a mortalidade de bezerras estão apresentados na Tabela 1.

Observou-se que os pesos ao nascimento, 30 e 60 dias, não sofreram influência da estação do ano em quem a bezerra nasceu. Entretanto, bezerras nascidas no inverno desmamaram mais pesadas do que aquelas que nasceram no verão. Isto pode estar relacionado com a melhor absorção das imunoglobulinas do colostro, avaliada pela mensuração da proteína plasmática, que também foi maior nas bezerras nascidas no inverno, desenvolvendo uma imunidade passiva mais robusta em relação as nascidas no verão.

Tabela 1. Efeito da Estação de Nascimento sobre o peso ao nascimento, peso aos 30 dias, peso aos 60 dias, peso aos 90 dias, peso à desmama, proteína plasmática no sangue, doenças até o desmame e a mortalidade de bezerras.

epoca de parição de bezerras e desempenho

Estes resultados alertam quanto a eficiência da colostragem, pois, mesmo sendo alta (proteína plasmática maior que 8,0%) independente da estação em que a bezerra nasceu, aquelas que nasceram no inverno obtiveram resultados superiores com reflexo em maior peso a desmama. Considerando que o processo da desmama é um fator estressante, as temperaturas mais amenas do inverno resultam em maior conforto térmico, reduzindo em parte o estresse sofrido neste período delicado de transição do animal.

Em contrapartida, verificou-se que as bezerras nascidas no inverno tiveram uma maior ocorrência de doenças (65,71%) até o desmame, sendo a pneumonia a principal delas. Isto porque condições ambientais frias, úmidas e mudanças repentinas de temperatura são mais comuns no inverno e os desafios quanto a imunidade são maiores.

Embora a taxa de mortalidade até a desmama não tenha diferido estatisticamente entre as estações, deve-se atentar que numericamente houve maior mortalidade das bezerras nascidas no verão (26,03%) do que as nascidas no inverno (14,29%), o que é representativo a campo.

Portanto, podemos concluir que a estação do ano ao nascimento de bezerras, influenciadas pelo estresse térmico, está correlacionada com a saúde e a vitalidade das mesmas até o desmame.

A partir deste estudo, percebe-se que o sistema de criação de bezerras deve receber maiores cuidados e atenção dos produtores, principalmente em relação a saúde, sanidade e bem-estar animal, pois tais fêmeas serão as futuras matrizes da propriedade.

Assim, evidencia-se a necessidade de maiores precauções em relação a estação de nascimento das bezerras. No inverno, deve-se buscar minimizar os efeitos da estação para que não se tenha elevados índices de ocorrência de doenças, protegendo-os de intempéries. Já no verão, os cuidados com colostragem e conforto térmico dos animais são essenciais. Dessa forma, maiores desempenhos são alcançados, evitando elevadas taxas de mortalidade e prejuízos.

Gostou do conteúdo? Deixe seu like e seu comentário, isso nos ajuda a saber que conteúdos são mais interessantes para você. Quer escrever para nós? Clique aqui e veja como!

 

Autores

Kelly Rocha Rodrigues: Zootecnista pelo Instituto Federal Goiano - Campus Rio Verde.

Letícia Ribeiro Marques: Zootecnista pelo Instituto Federal Goiano Campus Rio Verde. Mestranda em Zootecnia no Instituto Federal Goiano - Campus Rio Verde.

João Vítor Nogueira Almeida: Médico Veterinário pelo Instituto Federal Goiano Campus Urutaí. Mestrando em Zootecnia no Instituto Federal Goiano - Campus Rio Verde.  

Thaisa Campos Marques: Médica Veterinária pela Universidade Federal de Lavras. Mestre pelo Instituto Federal Goiano Campus Rio Verde. Doutora pela Universidade Federal de Goiás. Bolsista do Programa Nacional de Pós-doutorado/CAPES/Programa de Pós-Graduação em Zootecnia do Instituto Federal Goiano - Campus Rio Verde. 

Karen Martins Leão: Médica Veterinária pela Universidade Federal de Uberlândia. Mestre e doutora pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP - Botucatu). Professora e pesquisadora do Instituto Federal Goiano - Campus Rio Verde.

 

Referências

Broucek, J. Kisac, P. & Uhrincat, M. (2009). Effect of hot temperatures on the hematological parameters, health and performance of calves. International Journal of Biometeorology, 53 (2):201-208.

Jones, C. & Heinrichs, J. (2013). Heat stress in dairy calves. Penn State Extension, College of Agricultural Sciences 1 – 7.

Kim, W. S., Lee, J. S., Jeon, S. W., Peng, D. Q., Kim, Y. S., Bae, M. H., Jo, Y. H. & Lee, H. G. (2018). Correlation between blood, physiological and behavioral parameters in beef calves under heat stress. Asian-Australasian Journal of Animal Sciences, 31(6):919-925.

Santos, G. T., Damasceno, J. C., Massuda, E. M., & Cavalieri, F. L. B. (2002). Importância do manejo e considerações econômicas na criação de bezerras e novilhas. Anais do II Sul-Leite. 239-267.

Souza, B. B., Silva, I. J. O., Mellace, E. M., Santos, R. F. S., Zotti, C. A. & Garcia, P. R. (2010). Avaliação do Ambiente Físico Promovido pelo Sombreamento sobre o Processo Termorregulatório em Novilhas Leiteiras. Agropecuária Científica no Semiárido, 6:59-65.

2

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

TIAGO PEREIRA GUIMARÃES

RIO VERDE - GOIÁS - PESQUISA/ENSINO

EM 11/11/2020

Parabéns aos pesquisadores, ótimas informações.
VÂNIA MARIA GUIMARÃES

GUARDA MOR - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 10/11/2020

A disseminação de informações traz conhecimento ao produtor e interfere diretamente no resultado da atividade.
MilkPoint AgriPoint