FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

'Devido a dificuldades, o leite na NZ deve crescer muito pouco daqui para frente', diz especialista

O professor Hamish Gow, da Massey University, na Nova Zelândia, ofereceu ao público do Interleite Brasil 2019, que ocorreu nos dias 07 e 08 de agosto em Uberlândia/MG e reuniu cerca de 1000 pessoas, uma apresentação sobre a “Situação atual, os desafios e as oportunidades da Nova Zelândia”. Hamish é bacharel em Comércio Agrícola pela Lincoln University em 1991 e mestre e doutor em ciências pela Cornell University.

Ele mostrou o impacto da formação da Fonterra no ano de 2001 no negócio leite e frisou que um dos principais objetivos da cooperativa foi se tornar um dos maiores negócios lácteos do mundo. A criação da Fonterra fundiu todas as cooperativas de laticínios do país, exceto a Westland e a Tatua.

Gráfico 1 – Com a entrada da Fonterra, a produção de leite na Nova Zelândia continuou se expandindo.

Em meados de 2007, a China passou a ser o principal mercado da Nova Zelândia e até hoje, é o maior importador de lácteos do país. O forte crescimento das importações chinesas deu fôlego para o negócio leite na Nova Zelândia, mantendo o crescimento verificado nos últimos 30 anos. Veja imagem abaixo:

Figura 1 – Os 10 principais destinos de exportações lácteas da Nova Zelândia.

“Basicamente, nós surfamos na onda chinesa e assim, a atividade cresceu muito, porém, ao mesmo tempo, houve um endividamento em função do valor crescente da terra, tanto que em 2014 e 2015, o setor sofreu uma crise e, de lá para cá, o crescimento tem sido errático”, disse ele.

Hamish explicou que para tentar resolver essa questão e trazer liquidez aos produtores, a Fonterra criou o programa Trade Among Farmers, que permitiu que os produtores vendessem as suas cotas, mas continuar com o direito de vender leite para a cooperativa.

Gráfico 3: Crescimento parado e financiado pela dívida.

“Os produtores aumentaram a liquidez e se expandiram principalmente na Ilha Sul, que apresentava melhores condições para o crescimento. Porém, esse leite adicional em grande parte foi destinado aos concorrentes da Fonterra, que não exigiam investimentos para fornecer leite”. Vale destacar que a Fonterra exigia NZ$ 5,5/kg de sólidos entregue para o produtor ter direito de fornecer o leite à empresa.

Por esse fator e outros, o especialista acredita que o leite crescerá muito pouco daqui para frente no país. Além disso, na opinião dele, a Fonterra vem pagando consistentemente mais aos produtores do que poderia e criando um endividamento para si. Não é à toa que as dificuldades financeiras enfrentadas pela empresa, contribuíram para a decisão da cooperativa e da sócia Nestlé de vender a Dairy Partners Americas (DPA) no Brasil.

Além do negócio no Brasil, operações na China também estão à venda. Nesta semana, inclusive, a empresa anunciou a sua intenção de vender uma parte da sua participação (de 18,8%) na fabricante chinesa de fórmulas para bebês, a Beingmate.

As dificuldades reportadas pela gigante neozelandesa podem ser vistas em recente matéria reproduzida pelo MilkPoint. Veja aqui

De acordo com Gow, a situação da empresa vem se deteriorando, com perda do valor de mercado, fazendo com que o endividamento fique elevado para o tamanho da empresa, algo que provavelmente não terminará bem. Ele ainda reforçou que acredita que essas circunstâncias podem implicar em oportunidades muito positivas para o leite brasileiro. 

Vale a pena ler também:

China deve aumentar importações em 8,8 bilhões de litros/ano de 2018 a 2028, diz especialista

Interleite Brasil 2019: 'as autopropelidas nos proporcionaram aplicar conceitos não possíveis antes'

Casa cheia no Interleite Brasil 2019! 

REALIZAÇÃO

PATROCINADOR MASTER

PATROCINADOR OURO

PATROCINADOR PRATA

PATROCINADOR BRONZE

APOIO

 

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.