FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Surto de coronavírus afeta a recuperação dos preços do leite nos EUA

Os produtores de leite de Wisconsin e outros produtores estão sentindo o impacto da incerteza comercial causada pelo surto de coronavírus.

A doença respiratória matou centenas de pessoas na China e levou os Estados Unidos a suspender temporariamente a entrada de viajantes que chegam do País ou pessoas que estiveram recentemente lá, se não forem cidadãos dos EUA.

Mark Stephenson, diretor de análise de políticas de laticínios da Universidade de Wisconsin-Madison, disse que os preços futuros do leite caíram drasticamente na semana passada, à medida que o número de casos de coronavírus continuava crescendo.

Ele disse que a reação do mercado vem de preocupações sobre como o surto se espalhará e que impacto terá sobre as exportações de laticínios. "É uma grande preocupação quando você tem o maior importador de produtos lácteos do mundo com um problema como o coronavírus", disse Stephenson.

Stephenson disse que os EUA e outros grandes produtores de leite como a Nova Zelândia e a União Europeia vendem produtos lácteos para a China. E se o País parar de importar tanto, esses produtos inundarão o mercado.

Essa incerteza causou o maior impacto nos preços do leite. Mas Stephenson disse que existem outros fatores que podem desacelerar as exportações. "Você pode achar que é difícil levar produtos para o país e movê-os. Vimos várias outras lojas, lojas de alto perfil, que estão fechando e simplesmente não estão abertas para negócios", disse Stephenson. "As pessoas estão sendo incentivadas a se abrigar nas comunidades e simplesmente não viajam, não se encontram. Então, se eles não estiverem fazendo isso, será muito mais difícil vender produtos lácteos".

Ele disse que outros mercados de commodities também reagiram ao surto de coronavírus, da carne suína à soja.

Steven Deller, professor de economia agrícola e aplicada da UW-Madison, disse que a incerteza generalizada do mercado traz preocupações ainda maiores. "Há coisas que acontecem, como o coronavírus, que são completamente imprevisíveis e que podem realmente influenciar a economia", disse Deller. "A economia dos EUA está muito boa, mas temos problemas com alguns de nossos parceiros comerciais".

Deller disse que muitas economias europeias estão à beira de uma recessão. Combinado com a saída do Reino Unido da União Europeia e os impactos econômicos desconhecidos do coronavírus na China, muitas relações comerciais permanecem incertas.

"Isso vai se espalhar e afetar a economia dos EUA? Essa é uma possibilidade muito real", disse Deller. "Como estamos crescendo apenas 2,5%, não é necessário muito esforço para entrar em uma recessão leve".

Stephenson concorda. E ele disse que a incerteza também pode moldar a maneira como os produtores de leite de Wisconsin continuam se recuperando após cinco anos de baixos preços do leite.

Ele disse que os preços do leite começaram a melhorar no final de 2019, à medida que a produção desacelerava e os estoques de laticínios eram reduzidos nos EUA.

"Estávamos prevendo que isso implicaria em algumas melhorias de preço aqui, quando chegamos à primavera. Mas, de fato, os mercados têm procurado alguma direção adicional", disse Stephenson. "Eu acho que a próxima informação é exatamente o quão grande será a produção de leite. Isso provavelmente seria demonstrado por informações que tivemos sobre o fluxo de leite na primavera que, na minha opinião, provavelmente seria leve principalmente devido à falta de qualidade e de quantidade de forragem em muitas fazendas".

A produção de leite aumenta naturalmente na primavera, criando o que é conhecido como "primavera flush" no mercado. Mas as vacas não conseguem produzir tanto leite quando a qualidade da alimentação é reduzida. Os desafios climáticos do ano passado ao longo da estação de cultivo afetaram a qualidade das forragens como a alfafa e reduziram a colheita para alguns agricultores.

Stephenson disse que não está claro quanto tempo levará para os mercados de leite absorverem o impacto do coronavírus antes de voltar ao normal.

As informações são do Wisconsin Public Radio, traduzidas pela Equipe MilkPoint.

1

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

OLMIR ANTONIO DE OLIVEIRA

EM 26/02/2020

A matéria esta muito boa e oportuna. Sou de fé, crente que o nosso país não será atingido diretamente, mas como estamos em "mundo" cada vez mais "globalizado", via os diversos meios de comunicações, a parte mais preocupante são as viajam na velocidades das telecomunicações e das imaginações e oportunismo das pessoas, ai o perigo é as de má fé. Concordo que crescimento baixo da economia é perigoso, o percentual estimado para a nossa economia é ainda pior e nos dá mais preocupação. Mas temos tudo para ficarmos isentos dessas ocorrências e oportunismos. A boa fé leva a crer que as soluções das pontualidades da nossa economia e do sistema de trabalho e produtividade passam pelas nossas iniciativas, ai as de mobilização e solidariedade, por que não afirmar que são de reconhecimento, incentivo, valorização, dos nossos trabalhadores, em ética, produção, produtividade, dedicação, empenho,..... Sendo totalmente à politico, mas de opinião própria e noções do valor da solidariedade e mobilizações, tal como sugeridos em função da minha condição, me imposta, recebida como resultado de várias décadas de perseguições descabidas, desmotivadas e sem razão,..... Ratifico, tal como já feito em outras ocasiões do passado e agora para vigorar, para pagamento nos três meses seguintes data base o dia cinco, parcelas mensais do equivalente a vinte das queridas verdinhas, para formato linear, independente do cargo, função, graduação e ou assemelhado com anotação em carteira, é atualização e colaboração a favor da economia e do poder aquisitivo e melhoria do perfil do trabalhador, a solidariedade e mobilização, na parte pessoal é determinação dada a condição, sendo á politico, é solicitada a boa fé, livre aceitação, espontânea, e ou não de outros players, ai até inclusive os do agro.
Faz parte do nosso tempo, os problemas sempre existiram, os meios de estão mais modernos ágeis, mas temos os meios para não nos deixar envolver por eles, problemas e até mesmo a vírus e seus sintomas.... A boa fé afirma isso.