ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Superintendência do Cade aprova venda de Itambé à Lactalis

GIRO DE NOTÍCIAS

EM 30/01/2018

2 MIN DE LEITURA

0
0

A Superintendência Geral do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou, sem restrições, a venda da Itambé Alimentos pela Cooperativa Central dos Produtores Rurais de Minas Gerais (CCPR) à francesa Lactalis. O despacho com a decisão deve ser publicado hoje no Diário Oficial da União.

Após a publicação, há um prazo de 15 dias - que vence no dia 14 de fevereiro - para eventuais recursos à decisão. Se algum recurso for apresentado, o tema será encaminhado para análise do tribunal do Cade que, então, tomará uma decisão. Caso nenhum recurso seja apresentado, o Cade emite certidão confirmando a decisão da superintendência.

Com a eventual confirmação, Lactalis e CCPR poderão concluir a operação, que é questionada pela Vigor Alimentos, hoje controlada pela mexicana Lala. A Vigor era sócia da CCPR na Itambé e considera que a venda para a Lactalis feriu o acordo de acionistas na empresa mineira.

A CCPR anunciou a venda da Itambé ao grupo francês no dia 5 de dezembro, um dia depois de ter concretizado a recompra, por cerca de R$ 600 milhões, de 50% de participação que tinha na empresa de lácteos. A possibilidade de recompra estava contemplada no acordo de acionistas de CCPR e Vigor, que previa direito de preferência para a CCPR na Itambé caso a Vigor fosse vendida. A venda da Vigor pela J&F à Lala deflagrou o exercício de preferência.

A Vigor entrou na Justiça contra o negócio em dezembro, mas este mês o desembargador César Ciampolini, da Câmara de Direito Empresarial do Tribunal de Justiça de São Paulo, validou a recompra de 50% da Itambé pela CCPR, e a posterior venda de 100% das ações da Itambé à Lactalis. No entanto, em sua decisão, Ciampolini determinou que a Lactalis não pode exercer os direitos de acionista "até eventual decisão em contrário do juízo arbitral". A operação também será analisada pela Câmara de Arbitragem Brasil-Canadá.

A decisão da Superintendência Geral do Cade indica que o órgão considerou que a compra da Itambé pela Lactalis não gera problemas concorrenciais, conforme uma fonte familiarizada com o tema. A Vigor entrou como "terceira interessada" no ato de concentração sobre a compra da Itambé pela Lactalis. Uma das alegações da Vigor é que a operação geraria concentração na captação de leite para processamento no país. Pela decisão da superintendência do Cade, entretanto, a concentração não teria ficado comprovada.

Procuradas pela reportagem ontem, CCPR e Lactalis não se pronunciaram. A Vigor também não se manifestou.

Embora a eventual confirmação do negócio pelo Cade permita a transferência das ações da Itambé à francesa Lactalis, a decisão do desembargador César Ciampolini ainda gera dúvidas sobre o futuro da operação.

Em recente entrevista ao Valor, o presidente da Itambé, Marcelo Candiotto descartou a possibilidade de a venda da empresa à Lactalis ser revertida pela câmara de arbitragem. A avaliação entre os advogados da Itambé é que se a Vigor provar em arbitragem que houve algum dano a ela, terá direito a uma indenização, mas que o negócio com a Lactalis seria irreversível.

Para a Vigor, contudo, a câmara pode desfazer a operação. Em nota, no dia 18 de janeiro, a empresa informou que "a decisão judicial [de Ciampolini] preserva seus direitos, já que impede a Lactalis de assumir qualquer papel de acionista da Itambé até a decisão do Tribunal Arbitral, que julgará o mérito da questão".

As informações são do Valor Econômico.

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

MilkPoint AgriPoint