ENTRAR COM FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Oriente Médio se desponta pelo alto potencial no consumo de lácteos

O Oriente Médio está se tornando cada vez mais maduro para produtos proteinados que contribuem com a saúde e o bem-estar dos consumidores. Porém, na região ainda não há uma enorme demanda por alimentos e bebidas esportivas especificamente desenvolvidas para quem frequenta academias e pratica atividades físicas.

Essa é a visão de Simon Penfold, gerente geral do Oriente Médio e África da NZMP, braço de ingredientes b2b da Fonterra. Simon destaca que querem crescer e acelerar o mercado de saúde e bem-estar na região. “Os consumidores do Oriente Médio estão começando a controlar a saúde e podem enxergar essa solução por meio dos produtos lácteos”.

Penfold, que está há oito meses nessa função, falou durante a feira Gulfood em Dubai. A empresa apresentou seus ingredientes nutricionais, incluindo o NZMP Fat-Filled Milk Powder e o NZMP Buttery Blend. Também, uma nova linha de proteínas em pó pronta para misturar, a “white label", foi desenvolvida para atender as necessidades dos consumidores focados em nutrição esportiva e estilo de vida ativo da região.

"Existe uma clara necessidade de ingredientes básicos lácteos para atender às necessidades nutricionais do dia a dia para a maioria dos consumidores em todo o Oriente Médio. No entanto, os fabricantes de alimentos e bebidas precisam se preparar para mudanças. Podemos ver que a demanda por nutrição esportiva, nutrição infantil e soluções de bebidas de alta proteína estão aumentando, e esperamos que o interesse nessas soluções continue crescendo. Eu diria que o mercado produtos de nutrição esportiva especializados de alto nível ainda não está evidente, mas virá", acrescentou.

Lançamentos de novos produtos ricos em proteína mais que dobraram entre 2012 e 2017 no Oriente Médio e África, de acordo com a Mintel Global New Product Database. Penfold antecipa que essa tendência continuará e dará forma ao desenvolvimento de alimentos e bebidas no Oriente Médio e na região da África.

"Quero ver um produto da NZMP sendo consumido todos os dias e não importa se é um ingrediente acessível ou premium", acrescentou. "O importante é que continuemos construindo confiança e conscientização, além de destacar que nosso grande ponto forte é termos a Nova Zelândia – com seus rebanhos a pasto -  como fonte da matéria-prima", completou. 

Enquanto a Arábia Saudita continua sendo um pilar fundamental para o negócio da empresa no Oriente Médio, Simon também identifica o Irã, a Argélia, a Nigéria, o Egito e os Emirados Árabes Unidos como mercados que oferecem um potencial de crescimento considerável.

"Depois de mais de 40 anos operando neste mercado, estamos entendendo a região e as diversas necessidades de seus consumidores”, acrescentou.

As informações são do Dairy Reporter, traduzidas pela Equipe MilkPoint.

 

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.