ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Importações chinesas de carne suína bateram recorde em maio

GIRO DE NOTÍCIAS

EM 26/06/2019

1 MIN DE LEITURA

0
0

Em relatório diário, a equipe de pesquisa da corretora XP Investimentos destacou a disparada das importações de carne suína da China, que sofre com os reflexos negativos do surto de peste suína africana. A medida pode beneficiar os frigoríficos do Brasil.

Conforme informou ontem a agência Bloomberg, os chineses importaram um volume recorde de carne suína em maio. No período, as compras dos chineses totalizaram 556,2 mil toneladas de carne suína e miúdos, conforme dados da Administração Geral de Aduanas da China.

Para os frigoríficos brasileiros, a maior demanda da China se reflete positivamente nos preços da carne exportada. Conforme dados divulgados ontem pela Secretaria de Comércio Exterior (Secex), o preço médio da carne suína exportada pelo Brasil no acumulado das primeiras três semanas de junho foi de US$ 3.353 por tonelada, valorização de 48,4% ante maio deste ano e de 72,3% sobre o mês de junho do ano passado.

Também em maio, as importações chinesas de soja chegaram a 7,3 milhões de toneladas, queda de 24% na comparação com o mesmo mês de 2018, segundo a Administração Geral de Aduanas. No acumulado de 2019, as importações do grão do país caíram 12%, para 31,7 milhões de toneladas.

De acordo com a agência Reuters, as importações chinesas de soja do Brasil somaram 6,3 milhões de toneladas em maio, o que representou mais de 85% das compras do país asiático. Mas, na comparação com o mesmo mês do ano passado, as compras da China de soja brasileira caíram 31%. A queda das importações de soja da China reflete o surto de peste suína africana. Como a doença está reduzindo drasticamente o plantel de suínos da China, o maior do mundo, a demanda do país por ração é prejudicada.

No caso do milho, finalmente, as importações da China atingiram 746,5 mil toneladas de milho em maio, queda de 1,1%. Nos cinco primeiros meses de 2019, as compras aumentaram 41%, para 2,4 milhões de toneladas.

As informações são do jornal Valor Econômico.

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

MilkPoint AgriPoint