FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

"Brasil não está de braços cruzados na questão ambiental" , diz CNA

GIRO DE NOTÍCIAS

EM 02/12/2020

1 MIN DE LEITURA

0
0

O presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), João Martins, afirmou hoje que o “Brasil não está de braços cruzados na questão ambiental em relação às exigências” dos países importadores.

Ele disse que os produtores brasileiros conseguem cumprir os requisitos internacionais e que não vê problemas quanto ao eventual bloqueio de importações por causa da agenda de sustentabilidade. De acordo com Martins, a CNA está desenvolvendo, em parceria com o Ministério da Agricultura, um programa de rastreabilidade para a carne bovina.

“Já vai determinar que a carne é produzida onde tem sustentabilidade ambiental. O mundo todo está cobrando de todos. Temos que definir a regra do jogo. O governo tem que definir quais são as obrigações ambientais que serão cobradas dos produtores rurais. Já temos lei ambiental rigorosa e temos tudo para cumprir as exigências internacionais. 

Não vejo nenhum problema nessa área”, respondeu durante coletiva da CNA. “Não serão só os EUA. O mundo inteiro está exigindo saber de onde vem, como é produzido e quais são as características de segurança do produto colocado na prateleira. Vamos ver isso internamente também, a exigência do próprio brasileiro”, afirmou.

“A questão do meio ambiente no comércio internacional veio para ficar e o Brasil tem tudo para entrar nessa competição com diferencial muito positivo”, afirmou a superintendente de Relações Internacionais da CNA, Lígia Dutra. Segundo ela, a cobrança por padrões ambientais “não é coisa apenas de europeu” e diversos países, inclusive a China, principal parceiro comercial do agronegócio brasileiro, estão investindo nessa área.

“O Brasil tem tudo para entrar nessa competição com diferencial muito positivo, a agropecuária tem diferenciais de sustentabilidade que outros países não têm, temos que explorar”, afirmou. Ao comentar a Parceria Econômica Regional Abrangente (RCEP), acordo de livre comércio na Ásia e Pacífico, Dutra afirmou que o Brasil precisa “ficar de olho” e buscar acordos com países asiáticos.

“Tem que ser prioridade para o governo”, afirmou. Segundo ela, o comércio mundial deve ter uma retomada de 7% em 2021 nas perspectivas da Organização Mundial do Comércio (OMC).

Gostou do conteúdo? Deixe seu like e seu comentário, isso nos ajuda a saber que conteúdos são mais interessantes para você. Quer escrever para nós? Clique aqui e veja como!

As informações são do Valor Econômico.

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

MilkPoint AgriPoint