ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Vacas confinadas e vacas a pasto, como se comportam?

COWMED - TRADUZINDO A OPINIÃO DA VACA

EM 28/01/2022

3 MIN DE LEITURA

0
0

O monitoramento animal é um recurso que está disponível e é viável em diferentes sistemas de produção de leite: extensivo, intensivo ou semi-intensivo. No entanto ele irá se comportar de maneiras diferentes de acordo com a individualidade de cada sistema, por isso é muito importante entender o que esperar de cada um.  

Hoje vamos observar como é o comportamento de dois rebanhos monitorados pela Cowmed, sendo um rebanho de leite em sistema intensivo e um em semi-intensivo. Na figura abaixo podemos observar o comportamento de ruminação (linha verde), atividade (linha laranja) e linha de tendência (linha preta) que é calculada com base na média dos últimos 7 dias de uma fazenda em sistema intensivo. 

Avaliação de comportamento de lote de uma fazenda leiteira em sistema intensivo

Figura 1: Avaliação de comportamento de lote de uma fazenda leiteira em sistema intensivo.

Podemos observar que o comportamento de ruminação e atividade desses animais é constante, sofrendo poucas alterações durante o período avaliado, isso acontece pela estabilidade da dieta em um sistema intensivo, e pela rotina de alimentação (alimento disponível sem restrição), onde todo o fornecimento da dieta é no comedouro (DA SILVA; SANCHES, 2020).   

A dieta dos ruminantes é composta por uma fração de alimentos concentrados e uma fração de alimentos volumosos/fibrosos, sendo ofertada na em maior proporção por volumoso, mais de 60%, pois são esses alimentos essenciais para o funcionamento adequado do rúmen (JUNIOR et al., 2007).  

Em sistema intensivo a fração volumosa é geralmente oriunda de alimentos conservados, como silagem de milho, sorgo e pré-secado de pastagem (Azevém-Lolium multiflorum, Aveia- Avena Sativa, Tifton- Cinodum dactilum entre outros).  Esse processo de conservação dos alimentos permite que não ocorra uma flutuação na composição nutricional e garante a estocagem de grades quantidades, isso contribui para fornecer uma dieta mais padronizada aos animais e replete em um comportamento de ruminação mais estável, como foi observado na imagem 1 (DANIEL et al., 2011).  

Já na segunda propriedade (figura 2), o sistema utilizado é o semi-intensivo onde os animais pastejam em um período do dia e recebem suplementação em outro.  

Avaliação do comportamento de lote de uma fazenda leiteira em sistema semi-intensivo

Figura 2: Avaliação do comportamento de lote de uma fazenda leiteira em sistema semi-intensivo.

Observamos que há uma maior variabilidade da ruminação e atividade, isso acontece por essa propriedade utilizar o sistema semi-intensivo. Um fator que contribui para esse comportamento é a necessidade de os animais percorrerem diferentes distâncias para buscar alimento (geralmente pastagem). É comum observarmos em sistemas que utilizam oferta de forragem na forma de pastagem, a divisão da área em piquetes, para melhorar o aproveitamento da forragem, então é inevitável que as vacas tenham que percorrer diferentes distâncias, de acordo com o piquete selecionado, o que influência no consumo dos animais e reflete na ruminação, vacas que caminham mais, consomem menos e ruminam menos.  

Além disso outro fator que irá interferir no comportamento alimentar e de ruminação do lote é a variação na composição da forragem, pois a planta passa por diferentes estágios vegetativos ao longo do seu ciclo, também fatores como disponibilidade hídrica, condições de fertilidade do solo, manejo, temperatura e luminosidade, vão interferir na qualidade da pastagem (SKONIESKI et al., 2011).  

Isso quer dizer que existe um sistema melhor que outro? Não! Existe o sistema que melhor se adapta a sua realidade. Existem diferentes características de cada sistema, ambos possuem suas vantagens e desvantagens.  

É importante, sempre, analisar as condições e as necessidades da propriedade. A escolha do melhor sistema de produção estará relacionada a diversos fatores como característica da raça dos animais, formas de manejo, sistema de alimentação e exigência imposta sobre a produtividade, bem-estar animal, genética e disponibilidade financeira para investimento (ZANIN et al., 2015).  

Algo que não muda e, inclusive, é essencial em qualquer propriedade leiteira é o comprometimento dos seus gestores, a propriedade de leite hoje em dia não pode mais ser tratada como a atividade de subsistência, mas como um negócio. Investir em tecnologias para o campo é vital para produzir de forma responsável e eficiente.  

Quer saber mais sobre o sistema de monitoramento animal COWMED? Clique aqui e acesse ao site ou acesse nossas redes digitais!

Referências disponíveis mediante solicitação.

 

Jordani Borges CardosoJordani Borges Cardoso

Zootecnista- UFPel

Analista de Sucesso do Cliente COWMED

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

MilkPoint AgriPoint