FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Sindilat espera apoio do governo federal após suspensão da taxa de antidumping

O governo federal decidiu suspender a tarifa sobre importação de leite europeu e da Nova Zelândia. A taxa vinha sendo aplicada desde a resolução de 2001, como medida de proteção ao produto nacional. A medida encerra a cobrança antidumping sobre o leite em pó, integral e desnatado. A alíquota era de 14,8% para o produto vindo da União Europeia e de 3,9% para o item da Nova Zelândia. A decisão do Ministério da Economia, por meio da Secretaria Especial de Comércio Exterior e assuntos internacionais, foi publicada na circular nº 5, no Diário Oficial da União (DOU), desta quarta-feira (06/02). 

Segundo o presidente do Sindicato da Indústria de Laticínios do Rio Grande do Sul (Sindilat), Alexandre Guerra, a expectativa agora é que o governo federal também flexibilize outras demandas do setor lácteo nacional, como o programa de escoamento da produção e outras linhas de pré-comercialização do leite.  

Recordou ainda que o Ministério da Agricultura antecipou a criação de uma política nacional do leite, que beneficiaria a produção nacional. Além disso, no dia 12 de fevereiro ocorrerá a reunião da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva do Leite, em Brasília, que terá a participação do Sindilat, onde serão discutidas as demandas do setor.

As informações são da Assessoria de Imprensa do Sindilat. 

7

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

MAURO

BRASÍLIA - DISTRITO FEDERAL - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 18/02/2019

Governo só vai sobretaxar leite em pó importado se houver invasão do produto
18 de fevereiro de 2019

Source: http://feeds.folha.uol.com.br/emcimadahora/rss091.xml
ADEMIR LUIZ TASSI

LONDRINA - PARANÁ - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 08/02/2019

Tenho lá minhas dúvidas com a redução de impostos, pôde crer que o produtor vai continuar na pior. A margem vai melhorar para os demais elos da cadeia produtora, menos pro produtor, pois este não define o preço. Teria que haver um preço mínimo, em todo torno de R$ 1,70 ao produtor.

Ademir Luiz Tassi
Produtor Noroeste do PR
GEISSON SCHIRMANN VASCONCELOS

EM 07/02/2019

O leite por ser um produto extremamente básico a vida, poderia ter uma tributação menor, eu não defendo tributo zero; mas com menos impostos o consumidor iria consumir mais e o produtor poderia ter uma margem de lucro razoável pelo seu trabalho e investimento. O produtor recebe muito pouco R$ 1,00 por litro (com lucro de R$ 0,10 centavos) e o consumidor paga muito caro R$ 2,50 e os governos (U,E,M) lucram em média 30% do preço final, ou seja não investem nada e não trabalham 365 dias e lucram em média R$ 0,75 centavos por litro de leite que eu tiro aqui na leitaria. Isto é MUITO INJUSTO! Outras atividades do agro também têm tributação alta, mas o lucro líquido é muito pouco no leite, quando não há oscilações de preço e trabalhamos no vermelho. Com investimento muito alto e trabalhar dez horas por dia, 365 dias por ano, cansativo e desanimador!
ROBERVAL DONIZETI BRONZATTI

TANABI - SÃO PAULO

EM 07/02/2019

Vamos dar garapa pro povo brasileiro, é isso que o governo quer, Cana tomando conta do planeta.
MÁRIO SCHNEIDERS

TRÊS DE MAIO - RIO GRANDE DO SUL - INSTITUIÇÕES GOVERNAMENTAIS

EM 07/02/2019

Precisamos assegurar a garantia do preço para os produtores brasileiros , os que realmente fazem nossa economia girar! Produtor deve ser cobrado ,mas precisa receber incentivos para cada vez mais produzir e melhorar sua renda e a renda da região e do país. Melhor investimento é no setor produtivo, que dá origem a diversos subprodutos que desencadeia um grande quantidade de empregos em toda a cadeia produtiva, e isso deve ser levado em conta. Produtor rural familiar quer fazer investimento poderia ser sem juro , pois ai ele aumenta produção e isso gera mais imposto em toda a cadeia. Produção produção significa progresso e isso faz com que a economia cresça . Governo precisa incentivar e não reprimir produção colocando taxas e mais taxas, mas sim oportunidades para melhorar e aumentar produção.
Mário Schneiders
Secretário da Agricultura
Nova Candelária,RS.
GEISSON SCHIRMANN VASCONCELOS

EM 07/02/2019

Também precisamos de redução tributária na cadeia do leite para que o consumidor compre mais e o produtor possa ficar no campo produzindo com algum lucro! No caso do leite, por ser um produto extremamente básico a vida, poderia ter uma tributação menor, eu não defendo tributo zero; com menos impostos o consumidor iria consumir mais e o produtor poderia ter uma margem de lucro razoável pelo seu trabalho e investimento. O produtor recebe muito pouco R$ 1,00 por litro (com lucro de R$ 0,10 centavos) e o consumidor paga muito caro R$ 2,50 e os governos (U,E,M) lucram em média 30% do preço final, ou seja não investem nada e não trabalham 365 dias e lucram em média R$ 0,75 centavos por litro de leite que eu tiro aqui na leitaria. Isto é MUITO INJUSTO! Outras atividades do agro também têm tributação alta, mas o lucro líquido é muito pouco no leite, quando não há oscilações de preço e trabalhamos no vermelho. Com investimento muito alto e trabalhar dez horas por dia, 365 dias por ano, cansativo e desanimador!
MÁRIO SCHNEIDERS

TRÊS DE MAIO - RIO GRANDE DO SUL - INSTITUIÇÕES GOVERNAMENTAIS

EM 11/02/2019

Sabem que não é bom pro Brasil ou seja para o produtor brasileiro, precisamos logo tomar uma atitude para garantir e estruturar o nosso agricultor.!!!