FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Perspectivas para o mercado de grãos

GIRO DE NOTÍCIAS

EM 17/02/2021

3 MIN DE LEITURA

1
2

milho – Praça Campinas/SP – fechou janeiro com 85,5 R$/Sc, superando o pico de 2020. Em fevereiro, a parcial se mantém estável em relação a janeiro, devido ao aumento de oferta interna do milho, que segura o aumento de preços.

Já para o farelo de soja, o cenário é bem diferente: Com a parcial de fevereiro – cotada em 2920 R$– já superando o fechamento de janeiro, de 2835 R$/ton. A escassez da oferta de soja e a expectativa da colheita da nova safra movimentam ainda mais as valorizações nos preços.

Quanto a expectativa de preços de soja e milho ao longo do ano, temos que:

  •  Para a soja, elo menos, a expectativa é de equilíbrio de preços entre Jan e Fev. O fechamento em janeiro foi 51,8 maior em relação a janeiro de 2020, e a projeção para fevereiro é aumento de 51,3% em relação ao mesmo mês do ano passado. 
  • Para o milho, espera-se um equilíbrio de preços, ou uma leve queda deste de janeiro pra fevereiro. Janeiro fechou com aumento de 28,7% em relação a janeiro de 2020, e para fevereiro de 2021 o valor deve ser 27,3% maior do que fev de 2020. 
  • Para a ração, Janeiro fechou com valor 38,4% maior do que o mesmo mês em 2020. E em fevereiro, espera-se aumento de 37,4%.

As exportações de milho fecharam janeiro em queda em relação a dezembro, com – 49%. Porém, quando comparamos com o mesmo período de 2020, temos aumento de 11% nas exportações do produto.

Já as importações, que fecharam dezembro em alta, tiveram redução de 99,8% em janeiro. Em relação a janeiro de 2020 não foi diferente, com queda de 99,7%.

No caso da Soja, houve diminuição brusca nas exportações no mês de janeiro, que foram 82% menores do que dezembro e 97% do que janeiro de 2020. Isto se dá pelo baixo estoque do produto e a espera da nova safra para novas exportações.

Com a oferta tão limitada, a importação de Soja acabou subindo 11% em relação a Dez e, quando comparamos a janeiro de 2020, houve aumento impressionante de 317% em importação do produto.

Segundo o relatório do USDA de fevereiro, liberado ontem, houve leve queda na produção de milho mundial (-0,02%) e no Brasil (-0,7%). Já para os estoques finais da safra 20/21 do produto, houve aumento de 1% na expectativa mundial e queda de 3,1% no Brasil.

Para a soja, o cenário de produção também foi de levíssima queda na expectativa, com -0,03% no mundo e -0,5% no Brasil. Em termos de estoques finais, também houve redução de -1,1% no mundo e -2% no Brasil.

O índice RMCR, que mede a rentabilidade do produtor de leite, fechou janeiro em queda em relação a Dezembro, com 27,1 R$/vaca/dia. A parcial de fevereiro continua a diminuir, com -7% em relação a janeiro, cotada em 25,1 R$. A queda da rentabilidade está ligada a alta nos preços dos grãos, aliada a expectativa de queda do leite pago ao produtor no próximo mês.

Ainda assim, o RMCR de Janeiro de 2021 foi 21% maior do que em 2020, e fevereiro deve ser 7% maior do que em 2020.

Com isso, o cenário de mercado de grãos se dá com:

  •  O milho apresentando aumento da oferta no mês de fevereiro, o que, por um lado, pode manter os preços congelados e, pelo outro, alavancar as exportações. 
     
  •  A soja, com estoque baixíssimos, continua a valorizar, mesmo que sem comercializações. Vale lembrar que mais de 60% da safra 20/21 de soja já foi comercializada. Com a colheita da safra chegando, é possível aceleração das negociações. Visto que o setor de rações se mantém longe de novas negociações por enquanto, aguardando novos estoques dos produtos. A necessidade de soja faz com que, em algumas localidades, seja necessário importar o produto. Já o mercado internacional está com alta expectativa na colheita da safra, com os olhos voltados para o Brasil.

Com isso, temos no cenário de leite:

  • O RMCR em queda, traz preocupação com possível redução da produção, acometendo a cadeia leiteira. Além disso, o poder de compra do produtor de leite é menor do que a de outros setores, o que atenua ainda mais a situação. Resta ao produtor ter na colheita de silagem uma boa produção, para poder balancear a dieta e não perder produtividade na fazenda.

Com este cenário alarmante, é necessário estar atento ao mercado de grãos.

1

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

MARLUCIO PIRES

EDEALINA - GOIÁS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 18/02/2021

Só uma correção: farelo de soja subiu 108%. Tenho as notas fiscais, de 57.40 saco de 40 kg, pra 119.80 nesse ano. Milho de 44.50 pra 73. Meu leite subiu de 1.45 Livre pra 1.90. Cenário está terrível, pois na entressafra do milho, já se fala em 100 reais a saca. Mas concordo quanto ao cenario alarmante
MilkPoint AgriPoint