FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Teteira e seus cuidados!

Retomaremos o assunto sobre Teteiras, devido as impressões que tivemos após as últimas viagens pelo Brasil realizando treinamentos sobre o sistema de ordenha. Muitas vezes os produtores de leite, veterinários, consultores e vendedores externos que prestam assessoria aos produtores de leite apresentam dúvidas recorrentes.

Essas dúvidas são referentes a grande quantidade de modelos de teteiras existentes, suas diversas características, matéria primas utilizadas e sobre como entender catálogos de teteiras.

Em outros textos publicados no site da Inabor e no MilkPoint já encontramos bastante informação sobre o tema porem, desta vez, tentaremos ser mais práticos e ilustrativos para que essas dúvidas sejam minimizadas por todos que de alguma maneira ou outra atuam na pecuária leiteira.

Já falamos sobre os tipos de tetos encontrados e classificados no Brasil e quem conhece sabe da diversidade que é um rebanho de vacas leiteiras.

Mas a intenção agora é de auxiliar a escolha do modelo de teteira através da leitura do catalogo e entender se as medidas ali descritas são compatíveis com seu sistema de ordenha.

Vou exemplificar pelo modelo mais comum atualmente utilizado no Brasil, ou seja, Teteira de 2 anéis.

Abaixo disponibilizo exemplos de versões existentes desse modelo:

Nas imagens acima temos um modelo de Teteira e suas variações; são 3 exemplos de teteira 2 anéis, entretanto notem que possuem diferença na descrição. Se olharmos para a parte da teteira em contato com a vaca possui diâmetros diferentes que está entre 23 a 24 mm, isso condiz com os tipos de tetos encontrados.

 Existem modelos de variação menor para tetos de diâmetros menores. Se observarmos, por exemplo, na imagem ao lado o orifício é de 18 mm, frente ao padrão standard de 24 mm. Entretanto é bom reforçar que não é só o diâmetro do encaixe ao teto que é menor, o massageador também tem um tamanho menor para melhor vedação da teteira ao teto.

 

A próxima medida está relacionada ao anel de encaixe ao dispositivo / capa metálica, que também é importante ficarmos atentos.

 

Essa parte é responsável pela fixação da teteira ao dispositivo / capa metálica sendo assim o anel da teteira deverá ser maior que o diâmetro de encaixe no dispositivo / capa metálica.

 

 

 

 

Entretanto não esquecer que alguns modelos possuem o anel oval utilizando um dispositivo / capa metálica com orifício oval e não redondo.

 

 

 

 

Dispositivo / Capa Metálica para Teteira 2 Anéis redonda.

Diâmetros podem variar conforme a imagem ao lado entre 17 a 19 mm

 

 

Essa parte da teteira (o tubo curto ou pé) é que faz a ação de fixar ao niple do coletor e ainda dar resistência ao produto no movimento de vai e vem além de vedar a entrada de ar em excesso quando as teteiras estiverem dobradas.

 

O pé da teteira é o que vai encaixado nessa parte do coletor, que as vezes pode ser cortado em obliquo, o que favorece a vedação na troca de vaca, ou reto, o que não força a borracha. Enfim as duas maneiras tem os seus pros e contras.

 

Aqui entra uma dica importante para que não ocorra rompimento ou até mesmo rasgo no tubo curto do leite ou pé, como é chamado essa parte da teteira.

Medida Externa do Niple do Coletor

Medida Interna do Tubo de Leite da Teteira

Ø 11 mm

Ø 8 mm

Ø 12,5 a 13 mm

Ø 9,5 a 10 mm

Ø > 13

Ø 15,5 a 16 mm

 

Conforme as imagens acima no exemplo das 3 teteiras verificamos diferenças entre elas no diâmetro desta porção da teteira. O valor informado no catálogo da teteira é de sua vazão, sendo assim devemos ter cuidado nessa medida.

O ato de ordenhar por si só é uma operação que deverá ser realizada em harmonia com os animais, com muita prudência, entretanto sem lentidão para que possamos ordenhar os animais dentro de um tempo razoável de exposição ao vácuo. A ordenha é normalmente realizada duas vezes ao dia e o único produto em contato com o animal é a teteira. A mesma também é uma parte do equipamento que fica sob a vaca correndo risco de pisoes e batidas, o que pode vir a danificar as partes da peça que estão expostas, como cabeça e tubo curto do leite, enfim partes fora do dispositivo / capa metálica.

A parte crítica sempre está no massageador que está dentro de um copo inox devidamente protegido, sendo a porção do produto que trabalha massageando, realizando abertura/fechamento durante o ciclo do pulsador no período da ordenha e essa parte sim não poderá apresentar defeitos.

Em sistemas canalizados de ordenhas uma das deformações que encontramos muito comum nas teteiras, são nos equipamentos que utilizam jetters/spray. É a deformação dos lábios e do orifício de encaixe no teto (cabeça) devido sua permanência por muito tempo acoplado aos jetters/spray, muitas das vezes não drenando o equipamento por completo ficando resíduo de água e detergente na parte interior da teteira podendo levar a desgaste precoce.

Há outros tipos de teteiras, outros designs pois há dezenas de empresas de ordenha operando no Brasil, cada qual com seu conceito e configuração de sistemas.

Também podemos ter diferenciais técnicos na produção de uma teteira como massageador com diferentes espessuras de parede para maximizar o ciclo do pulsador e também quanto ao desenho do massageador que pode variar de redondo, quadrado ou triangular, cada uma com sua peculiaridade técnica para um bom funcionamento.

E por ultimo e não menos importante o comprimento do dispositivo / capa metálica deverá satisfazer, de forma a não esticar em excesso, mas também não deixar frouxa a teteira no seu interior. Já falamos sobre o assunto mais vale repetir, o ideal é entre 5% a 17% de estiramento da teteira no interior do dispositivo para promover uma tensão boa para ordenha.

Esperamos ter contribuído um pouco mais sobre esse tema e seus detalhes técnicos. Reforçamos novamente a importância de acompanhamento no sistema de ordenha por profissionais capacitados que auxiliarão nesse quesito, assim promovendo o bom desempenho do equipamento de ordenha.

O setor de suporte da Inabor estará sempre a disposição para auxiliar e prestar auxílio aos clientes e usuários dos nossos produtos. Confiram nosso site www.inabor.com.br a calculadora de uso para saber o tempo ideal de troca das teteiras para não comprometer a ordenha e a saúde do animal, verifique também os demais textos publicados no site www.Milkpoint.com.br sobre teteiras, sistemas de ordenhas e de leite no geral. 

 Excelente Lactação a todas a fazendas.

                                                                                                                  Por Lissandro Stefanello Mioso

Med. Veterinário / Consultor Técnico

Para saber mais entre em contato pelo box abaixo:

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.