ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
FAÇA SEU LOGIN E ACESSE CONTEÚDOS EXCLUSIVOS

Acesso a matérias, novidades por newsletter, interação com as notícias e muito mais.

ENTRAR SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

O setor lácteo pode ser atrativo para o mercado de capitais?

DAIRY VISION

EM 03/12/2021

5 MIN DE LEITURA

0
0

De forma geral, o setor lácteo não tem sido atrativo para o mercado de investimentos, quando comparado a outros segmentos. “São poucos os agentes que olham com interesse para os lácteos”, disse Bruno Silva, em sua apresentação no Dairy Vision 2021, realizado online nos dias 17, 18, 23 e 24 de novembro, com mais de 400 participantes. Bruno é responsável pela Arlon no Brasil, um fundo de investimentos focado no setor do agronegócio e alimentação, que investiu na Betânia Lácteos, agora unida à mineira Embaré.

Essa falta de interesse pode ser explicada por um conjunto de fatores, entre eles investimentos que no passado não foram bem-sucedidos, como a LBR, Parmalat e LAEP, por exemplo. Além disso, ainda há um histórico de problemas relacionados a fraudes no passado recente, além de volatilidade, exposição ao mercado de commodities e margens baixas. Essa combinação de características afugenta o mercado de capitais.

Mas o gestor da Arlon tem uma visão diferente. A história é contada por um mercado em crescimento mesmo em períodos de crises, bom retorno sobre o capital investido quando bem gerido — acima de outras empresas de alimentos brasileiras — e empresas que, consistentemente, conseguem crescer e ganhar market share.

Além disso, é uma cadeia de valor considerável. O complexo brasileiro de lácteos fatura aproximadamente R$ 100 bilhões ao ano, crescendo cerca de 6 a 7% ao ano. Não são números “chineses”, mas é um crescimento contínuo e isso é muito valioso, na opinião do gestor. Também, ele salienta que há uma série de oportunidades como a agenda focada em sustentabilidade e saudabilidade, que pode ser aproveitada pelas empresas.

Entretanto, é necessário que as empresas do setor entendam as opções estratégicas existentes e se posicionem para obter o máximo de valor dentro da estratégia traçada. Uma das opções é apostar em produtos com maior valor agregado, com canais de distribuição específicos e ser protagonista nesses canais.

Outra opção é ser um grande player das principais commodities lácteas: leite UHT, leite em pó e queijos. Para isso, as empresas precisam considerar competências gerenciais essenciais, que necessitam de escala e consolidação do mercado:

 

  • Diversificação de portfólio

É importante estar presente nos três principais lácteos comoditizados, para gerenciar a volatilidade de preços e margens, uma vez que a correlação de margem entre o leite UHT, em pó e os queijos é relativamente baixa e, alguns casos, até negativa. Pode-se, por exemplo, ganhar dinheiro em um momento em uma commodity, e perder em outra. Quem só tem um produto, fica mais sujeito aos problemas decorrentes da volatilidade.

Dessa maneira, a flexibilidade e diversificação de portfólio permitem lidar melhor com a volatilidade, conseguindo margens de contribuição mais estáveis ao longo do tempo.

 

  • Manufatura flexível

Para a diversificação de portfólio, é preciso ter uma manufatura flexível, isto é, que tenha capacidade industrial para adequar e produzir o mix de produção mais rentável para o momento. Desse modo, o leite cru é direcionado para a fabricação do produto com a melhor margem.

 

  • Flexibilidade na captação de leite

A flexibilidade também é importante na aquisição da matéria-prima nas bacias leiteiras. Os laticínios devem ter uma forte capacidade de originação de leite nas bacias que em operam,  além de possuir uma capacidade de originação diversificada em outras bacias.

Caso o preço do leite nas principais bacias esteja mais elevado em comparação às outras, as empresas precisam ter flexibilidade para adquirir a matéria-prima em outras bacias com menores preços. Em outras palavras, é necessário ter uma estratégia de aquisição de matéria-prima flexível para um melhor gerenciamento do preço de compra do leite.

 

  • Boa capacidade de distribuição

A cadeia de distribuição precisa ser muito bem pensada e elaborada para redução de custos e satisfação máxima dos clientes. A distribuição capilar - última etapa do processo de transporte dos produtos e mais cara de toda cadeia de suprimentos — é de fundamental importância para os laticínios conseguirem colocar no mercado aquilo que desejam vender em maior quantidade no momento: leite UHT, leite em pó ou queijos.

 

Analisando os 4 itens acima, percebe-se claramente a estratégia sendo aplicada na fusão Betânia e Embaré: complementariedade de portfólio; bacias distintas; redes de distribuição também distintas.

Certamente a palavra-chave para o sucesso competitivo dos laticínios é a flexibilidade para mix de produção e escala. Atuando nas quatro frentes citadas anteriormente, é possível gerenciar a volatilidade do mercado e despertar o apetite dos investidores pelo mercado de lácteos. Na visão dele, o setor tem a tarefa de educar o mercado de investimentos, desconfiados pelos problemas do passado.

Embora o setor tenha margens apertadas, como o capital investido é relativamente baixo, é possível obter retornos sobre o capital investido na casa dos 20% ao ano, consistentemente. “Não são todas as empresas, mas há players muito bons que estão posicionados entre as empresas de alta rentabilidade mesmo se comparadas ao cenário internacional”, explica.

O Dairy Vision 2021 ocorreu online nos dias 17, 18, 23 e 24 de novembro. Desde 2015, o evento se consolidou com um dos principais fóruns de discussão da cadeia do leite mundial. Este ano, o Dairy Vision proporcionou uma verdadeira experiência e mudança de mindset aos mais de 400 participantes, trazendo questões desde tendências de consumo, oportunidades, desafios, mercado, estratégia, concorrência plant-based até uma comunicação mais próxima com os consumidores.

Se você não participou, ainda dá tempo de se inscrever a aproveitar todo o conteúdo! Todas as palestras e debates ficarão disponíveis por 60 dias na plataforma do evento. Clique aqui, faça sua inscrição e se junte aos mais de 400 líderes do setor lácteo mundial.

Não perca essa chance de ampliar seus conhecimentos, diversificar seu leque de visões, enxergar as oportunidades e desafios sob outra ótica. Faça parte do futuro do leite, faça parte do Dairy Vision 2021!

O Dairy Vision 2022 ocorrerá em Campinas, na Expo Dom Pedro, nos dias 22 e 23 de novembro. Para o que ano que vem, o MilkPoint programa um Dairy Vision híbrido, com um evento presencial que permitirá um intenso networking e troca de experiências, com a possibilidade de assistir online às palestras. Nos vemos lá!

 

*Fonte da foto do artigo: Freepik

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

MilkPoint AgriPoint