FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

GDT: importações pouco atrativas com índice global em alta

POR LAVINIA MORAIS

PANORAMA DE MERCADO

EM 16/02/2021

3 MIN DE LEITURA

3
3

Os resultados das negociações no leilão do evento 278 da plataforma Global Dairy Trade (GDT) apresentaram um aumento de 3,0% em relação aos valores do último evento, com o preço médio fechando em US$ 3.746/tonelada – o maior desde junho/14.

No último evento, pudemos acompanhar uma leve desaceleração do valor do índice em relação às quinzenas anteriores. Porém, no evento realizado nesta terça-feira (16/02), voltamos a ver um cenário de forte aumento de preços. Confira no Gráfico 1, a evolução de preços médios praticados nos leilões e suas variações.

Gráfico 1. Preço médio leilão GDT x GDT Price Index; elaborado pela equipe MilkPoint Mercado com dados do Global Dairy Trade.

No evento desta terça-feira, foram negociadas 26.883 toneladas de lácteos, volume 6,4% menor em relação ao negociado na primeira quinzena de fevereiro.

Esse decréscimo pode ser explicado pela ausência de negociação do soro de leite em pó doce (SWP) e do leitelho. Além disso, tivemos uma pequena queda no volume negociado de queijo.

Gráfico 2. Volumes negociados nos eventos do leilão GDT; elaborado pela equipe MilkPoint Mercado com dados do Global Dairy Trade.

Todos os produtos apresentaram variação positiva neste evento, sendo o leite em pó integral o produto que apresentou maior valorização (4,3%), fechando em um preço médio de US$ 3.615/ton.

Em seguida, vieram o queijo e a manteiga, fechando em uma variação de 2,4% e 2,0%, respectivamente. Vale ressaltar que a lactose e o leite em pó desnatado se mantiveram praticamente estáveis, com uma leve variação em seus preços de 0,4% e 0,3%.  

Confira na Tabela 1 o preço médio dos derivados após a finalização do evento e a variação em relação ao evento anterior

Tabela 1. Preço e variação do índice dos produtos negociados no leilão GDT em 16/02/2021.

É importante entender o que vem causando esse aumento de preços no mercado internacional. A demanda chinesa por derivados lácteos vem se mostrando bastante forte, não somente para leite em pó integral, mas, também, para as gorduras e leite em pó desnatado – o que tem resultado nestes patamares de preços nas últimas quinzenas.

Além disso, vale destacar que o “combo” leite em pó desnatado e gorduras, tem se mostrado mais competitivo para quem produz esses produtos do que o próprio leite em pó integral, o que sinaliza que o integral tende a subir nas próximas semanas para recuperar competitividade de preços.

Outra tendência que acaba impactando nos preços internacionais é a própria valorização das commodities no mercado e o dólar mais enfraquecido frente a outras moedas nas últimas semanas.

Em relação aos contratos futuros de leite em pó integral, temos que os preços devem se manter estáveis nos próximos meses. Vemos o mesmo cenário na Bolsa de Futuros da Nova Zelândia (NZX Futures), que nos mostra que os preços de leite em pó devem seguir estáveis até o final do primeiro semestre de 2021 – com uma possível queda apenas em junho.

Gráfico 3. Contratos futuros de leite em pó integral – GDT.

Para entender o impacto das negociações do evento GDT no mercado nacional, podemos considerar o nível de preços de leite em pó integral no leilão GDT (US$ 3.615/ton) e os patamares da taxa de câmbio (R$ 5,39 – média da 2ª semana de fevereiro) e chegar ao preço equivalente a um leite pago no Brasil, que seria de R$ 2,35/litro.

Este valor indica um leite importado pouco competitivo no mercado interno, visto que os valores negociados do leite spot na primeira quinzena de fevereiro fecharam em uma média nacional de R$ 1,85/litro.

O valor também segue acima do leite pago ao produtor no mês de janeiro – fechado na média de R$ 2,03/litro (CEPEA/ESALQ). Sendo assim, pode-se esperar queda no volume de importações de lácteos neste começo de ano. 

LAVINIA MORAIS

Analista de Mercado do MilkPoint Mercado

3

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

MARLUCIO PIRES

EDEALINA - GOIÁS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 17/02/2021

Continuo pedindo explicações a vcs que entendem mais de mercado: pq, por Deus, trouxeram o equivalente a 150 milhoes de litros em janeiro de 2021, com o produto importado sendo tão desvantajoso?
LAVINIA MORAIS

PIRACICABA - SÃO PAULO

EM 17/02/2021

Bom dia, Marlucio. Muito obrigada pelo comentário.

As importações em janeiro refletiram contratos realizados anteriormente, quando as importações ainda eram mais competitivas - embora já se tenha notado uma desaceleração em comparação com os demais meses do segundo semestre de 2020.

A expectativa é que as compras passem a se reduzir ao longo dos próximos meses.
EM RESPOSTA A LAVINIA MORAIS
MARLUCIO PIRES

EDEALINA - GOIÁS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 18/02/2021

Obrigado Lavínia.
MilkPoint AgriPoint