ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Produtores de leite são beneficiados com tecnologia que pode triplicar a produção

GIRO DE NOTÍCIAS

EM 09/04/2021

2 MIN DE LEITURA

0
3

Os produtores de leite das micro e pequenas empresas de Pernambuco, têm colhido resultados positivos com a participação na operação do Sebraetec.

O plano inclui a produção de rebanhos bovinos por meio da transferência de embriões com alta herdabilidade, trazendo inovação e tecnologia aos produtores de leite para aumentar a produtividade de suas propriedades rurais. 60 pecuaristas foram beneficiados com 254 vacas prenhas das raças Holandês, GIR, Girolando, Jersey, Jersolando, Guzerá e Guzolando, só em 2020. 

A iniciativa é realizada no âmbito do programa Agronordeste, resultado de uma parceria entre o Sebrae e o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Tem como missão promover a competitividade e o desenvolvimento sustentável dos pequenos negócios e estimular o empreendedorismo.

Segundo o analista do Sebrae Jefferson Fernandes, os animais que estão nascendo têm três vezes mais capacidade de produzir leite do que os animais não modificados geneticamente.

“Nós ficamos muito felizes quando vemos o nascimento desses animais nas pequenas propriedades. Sem apoio do Sebrae esses pecuaristas não teriam esse tipo de tecnologia no rebanho. Acaba fazendo diferença em todos os sentidos. A produtividade aumenta consideravelmente, já que um animal melhorado geneticamente pode produzir até trinta litros de leite por dia, enquanto os outros produzem dez litros. A competitividade deles também cresce. Quando veem os resultados, muitos se animam e querem montar um rebanho melhorado, para se posicionarem melhor no mercado”, afirma.

Onze municípios pernambucanos foram atendidos pelo programa no total, entre eles Itaíba, Buíque, Pedra, Venturosa, Garanhuns, São Bento do Uma e Águas Belas. Apesar das inseminações terem começado em março do ano passado, coincidindo com a pandemia, Fernandes considera que os resultados são animadores.

“Os bezerros estão nascendo e a expectativa é que daqui a um ano e meio eles já estejam dando leite. Os pecuaristas atendidos estão muito animados em fazer novas inseminações. Mesmo com a pandemia, nós conseguimos mobilizar as pessoas e, cumprindo todos os protocolos de segurança, demos continuidade ao programa. Sabemos que o agronegócio é fundamental para o funcionamento de toda a economia do país”, observa o analista do Sebrae.

Rogério Almeida, é um dos produtores de gado leiteiro beneficiados com o programa. Morador da cidade de Capoeiras (PE), ele viu sua bezerra geneticamente modificada nascer neste mês. “Estou muito feliz, é muito interessante ver o que a tecnologia e a inovação podem fazer pelo agronegócio. Em 2021, já me programei para inseminar mais dois animais. Meu plano é poder montar um rebanho só com gados melhorados geneticamente”, diz.

O produtor conta que ficou sabendo do programa durante um encontro promovido pelo Agronordeste. “Sou muito grato por participar dessa iniciativa. Eu soube através de um dos consultores do Sebrae. Agora recomendo para todos os meus conhecidos. Inclusive, já falei da minha experiência na associação de produtores de leite que participo. O pessoal está animado”, acrescenta Almeida.

As informações são do Sebrae, adaptadas pela equipe MilkPoint. 

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

MilkPoint AgriPoint