ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

O desafio da mão de obra: o que mais estimula os funcionários a ficarem hoje na leiteria?

GIRO DE NOTÍCIAS

EM 23/08/2018

1 MIN DE LEITURA

7
6

A mão de obra é imprescindível para a produção de leite. Foi por isso que no Interleite Brasil 2018, evento que ocorreu nos dias 8 e 9 de agosto, a Equipe MilkPoint utilizou uma ferramenta para interagir com o público. Uma das principais ideias, foi coletar a opinião dos participantes por meio de enquetes e uma delas levantou o seguinte tema: O que mais estimula os funcionários a ficarem hoje no campo?

A opção que obteve o maior número de respostas foi ‘Condições básicas de vida para o funcionário e a sua família (40%)’. Em segundo ficou ‘Motivação e possibilidade de crescimento profissional (33%)’ e em terceiro, ‘Salário (18%)’.

Confira abaixo o resultado final, que contou com a resposta de mais de 60 usuários: 

mão de obra no campo

Em artigo recente publicado na seção Espaço Aberto do MilkPoint, Decio Luiz Gazzoni, Membro do Conselho Científico Agro Sustentável (CCAS), Engenheiro Agrônomo e pesquisador da Embrapa Soja, disse que o primeiro desafio da mão de obra no campo é quantitativo: “está cada vez mais difícil encontrar cidadãos que aceitem enfrentar o repto de trabalhar no campo. Muitos dos que lá se encontram almejam migrar para as cidades. Quem já está na cidade, dificilmente retorna ao campo, mesmo em um quadro de desemprego, e não obstante ofertas de remuneração maior”. Segundo ele, o segundo desafio é o da qualidade. “A acelerada evolução tecnológica do agronegócio impõe a necessidade de conhecimentos cada vez mais especializados. E a dinâmica acentuada da evolução exige permanente reciclagem. A imposição de regras de sustentabilidade para o agronegócio – seja ambiental, social ou econômica – exige uma qualificação ainda maior de quem aceita o trabalho no campo”.

Aproveitando todo o ensejo desse importante tema, o MilkPoint quer prosseguir perguntando aos seus leitores: O que mais estimula os funcionários a ficarem hoje na propriedade em sua opinião? Gostaríamos de entender como este tema está evoluindo na rotina dos tambos leiteiros.

Agradecemos desde já a sua participação! smiley

7

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

MARCOS OTTONI DE ALMEIDA

FLORIANÓPOLIS - SANTA CATARINA - PESQUISA/ENSINO

EM 24/08/2018

Como disse uma Consultora de Mão de Obra Rural de Minas Gerais, (me desculpem, esqueci o nome dela)
Sem uma estrada, facilmente transitável, durante o ano todo; sem transporte adequado, confortável e acessível; sem um sistema de comunicação, internet e telefone eficiente e disponíveis e sem "BOAS" Escolas, Fica impossível segurar a mão de obra no meio rural
ALDEMIRO DE BRITO

GUZOLÂNDIA - SÃO PAULO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 24/08/2018

Eu acho que ainda vem do goastar daquilo que se faz se o cidadão gostar do que faz o resto tudo se acerta
ai vaai depender tambem do empregador em reconhecer a dedicaç do auciliar
ANTONIO IVAN DAVID

DIAMANTE DO NORTE - PARANÁ - PESQUISA/ENSINO

EM 23/08/2018

Bom dia. Gostaria de saber quem foi consultado: os produtores ou os funcionários. O resultado desta enquete me agradou, é bom saber que procuram bem estar e crescimento profissional (incutido aqui o aumento de salário, que é uma consequência).
RAQUEL MARIA CURY RODRIGUES

PIRACICABA - SÃO PAULO

EM 23/08/2018

Olá Antônio, tudo bem? Obrigada pela participação. No evento, houve uma boa mescla de público: desde funcionários, até produtores de leite e técnicos. Acreditamos que as respostas tenham vindo majoritariamente dos próprios funcionários e dos produtores que têm um contato bem próximo com a sua equipe, sabendo com clareza o que eles buscam. Abraços e continue participando conosco!
HELDER DE ARRUDA CÓRDOVA

CASTRO - PARANÁ - PESQUISA/ENSINO

EM 23/08/2018

Sugiro fazer uma enquete com os trabalhadores de leiteria, principalmente, ordenhadores, com estratificação por idade, sexo, nível de escolaridade, etc. A partir daí fazer o inferências buscando soluções para a permanência desses trabalhadores na atividade.
RAQUEL MARIA CURY RODRIGUES

PIRACICABA - SÃO PAULO

EM 23/08/2018

Ideia anotada Helder! Obrigada pela participação!
DIVANIR RUBENICH

CARLOS BARBOSA - RIO GRANDE DO SUL - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 23/08/2018

Excelente, parabéns pela enquete.
Salário não é o principal item de satisfação ao trabalhador em geral, mas os valores tais quais apresentados o são.
Ainda, no Brasil de hoje falta emprego, mas NÃO FALTA TRABALHO, trabalho sempre haverá, é infinito. Trabalhar tal qual as condições possíveis e assim ter renda, é outra questão.
Exemplo disso é o produtor de leite, que trabalha muito, mas sua remuneração é muito variável e não tem amparo na lei, como seguro desemprego, décimo terceiro, fgts, férias, dia de descanso, jornada de 44 horas, adicional de insalubridade, entre outros. E às vezes ainda paga para trabalhar, pois tem prejuízo, mas não pára de trabalhar.
Portanto, uma condição de trabalho diferente, mais adversa e desconhecida por muitos.
Obs.: na NZ, produtor de leite tem muito "VALOR".
MilkPoint AgriPoint