ENTRAR COM FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Lactalis quer popularizar no Brasil marca famosa na França

Os queijos e manteigas da marca Président são muito populares na França. No Brasil, porém, são vistos como produtos premium pela maioria dos shoppers. Para ganhar mais espaço para Président no mercado brasileiro, a Lactalis, dona da marca, decidiu fabricar parte do portfólio em seis das 14 fábricas da companhia no Brasil.

Já são feitos por aqui queijo prato, muçarela, provolone, gruyere, gouda, manteiga e requeijão. Variedades como brie e camembert, que possuem denominação de origem controlada, continuam sendo trazidas da França.

Ampliar as vendas de queijos especiais é uma das metas da Lactalis para o mercado nacional. André Salles, presidente da empresa no Brasil, informou que está replicando o modelo bem-sucedido de uma estratégia que ele implantou quando esteve a frente da Brasil Kirin. Na cervejaria, o executivo apostou em cervejas especiais, a exemplo de Eisenbahn,  por garantirem margens mais altas.

No ano passado, a Lactalis faturou R$ 3,6 bilhões no Brasil. A empresa é vice-líder do mercado nacional de lácteos. 

As informações são do portal Exame.

3

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

EDGARD

BELO HORIZONTE - MINAS GERAIS - ESTUDANTE

EM 13/07/2018

Não é que os produtos da marca Président sejam vistos como "premium" pelos consumidores.
O problema chama-se preço.
E nada mais.
A vaca é a mesma. Vacca. O leite, branquinho.
Mas o preço é insuportável e antipático.
Mudem a forma de enxergar o mercado e verão a marca explodir em vendas.
Afinal de contas, dinheiro não nasce igual a capim.
NELIO RAMOS

GOIÂNIA - GOIÁS - INDÚSTRIA DE LATICÍNIOS

EM 13/07/2018

Edgar, me desculpe contraria-lo mas talvez seja necessário "apurar" um pouco mais o teu paladar, pois infelizmente no Brasil, muita gente acha que queijo prato, tipo lanche; esférico e gouda, são a mesma "coisa"!
Não o são! Há diferenças em seus processos, que como são segredos de cada fabricante, caso você não seja um especialista, não vai "descobrir"! Há necessidade de que você possa participar de uma exposição ou curso, muitas vezes oferecido por fabricantes, que a gente tem oportunidade de degustar uma enormidade de sabores (em torno de 12 a 15 tipos), sempre começando com os mais suaves e terminando com os de sabores mais pronunciados, como os camenbert! Concluo dizendo que caso vc tenha oportunidade, faça uma visita ao Mercadão da Cantareira, em São Paulo, capital, e vá a uma das dezenas de lojas, que podem te oferecer uma série de "amostras" de iferentes tipos de queijo, inclusive o famoso "Grana Padanno" e talvez você poderá concluir que o que conta é a qualidade (Premium ou não) e não o preço que vc paga!

Mas tudo vem do leite branquinho e nem sempre da vaca!
NELIO RAMOS

GOIÂNIA - GOIÁS - INDÚSTRIA DE LATICÍNIOS

EM 12/07/2018

Excelente matéria! Somos um dos maiores paises do mundo e devemos seguir os caminhos corretos para possuir produtos de alto valor agregado, como os queijos Premium!