ENTRAR COM FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Bolívia e Equador terão rebanhos certificados pela Girolando

Com quase 2 milhões de animais registrados no Brasil, a Associação Brasileira dos Criadores de Girolando está expandindo as fronteiras pela América Latina. Para garantir que o número de rebanhos certificados seja cada vez maior no continente, a entidade acaba de assinar convênio técnico com associações de criadores da Bolívia e do Equador.
 
O diretor de Relações Internacionais da Girolando, Guilherme Marquez, destacou que a raça está em franco crescimento em vários países, mas há a necessidade de certificar oficialmente a qualidade dos animais. “A Bolívia e o Equador já têm rebanhos muito bons e agora estão dando um passo certeiro para ter um rebanho de alto valor genético, como já é o brasileiro. Não existe qualidade sem o registro genealógico, pois ele é a garantia para o pecuarista e para o mercado de que o animal está dentro dos padrões raciais definidos para a raça”, assegura Marquez.
 
Desde 1989, a Girolando é responsável no Brasil pelo Serviço de Registro Genealógico da raça, que surgiu no país e hoje é responsável por 80% da produção leiteira nacional. A partir de agora, o serviço de registro de animais Girolando passa a ser realizado com exclusividade no Equador pela Associação de Criadores de Gir e Girolando do Equador (Asogyre). A assinatura do convênio ocorreu no dia 6 de outubro, durante a Expoferia Ganadera 2018, em Guaiaquil. Assinaram o convênio o diretor de Relações Internacionais da Girolando e o presidente da Asogyre, Carlos Alberto Neira.
 
A Expoferia Ganadera 2018, ocorrida de 5 a 8 de outubro, ainda contou com julgamento de Girolando no sábado, 6, comandado pelo jurado brasileiro Marcello Cembranelli. Ele ainda ministrará palestras nos dias 11 e 12 de outubro no Seminário Internacional do Equador. Entre os temas que serão abordados estão o controle leiteiro como ferramenta de gestão e seleção, a internacionalização da raça e a evolução de fêmeas Girolando de acordo com o biótipo leiteiro de cada composição racial. O seminário é promovido pela cooperativa local Tonicorp.
 
Já na Bolívia, quem conduzirá o serviço de registro será a Associação Boliviana dos Criadores de Zebu (Asocebu). O convênio foi assinado no final de setembro durante a Expocruz, em Santa Cruz de La Sierra, pelo diretor Guilherme Marquez e o presidente de Asocebu, Mario Ignacio Anglarill. “O convênio também vai gerar outros benefícios para a pecuária leiteira da Bolívia, tais como transferência de tecnologias e, ainda, cursos de capacitação dos técnicos”, diz Anglarill.
 
As informações são do jornal Diário do Comércio.

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.