ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

RS: Federação dos Trabalhadores na Agricultura reforça apelo para evitar colapso do setor de leite

GIRO DE NOTÍCIAS

EM 25/02/2021

3 MIN DE LEITURA

0
0

“É preciso ter um olhar diferenciado para a cadeia leiteira, que visualize a considerável alta nos custos de produção e as constantes quedas nos preços pagos pelo litro, fatos que estão levando diversas famílias a abandonarem a atividade”, a Federação dos Trabalhadores na Agricultura no Rio Grande do Sul (Fetag-RS) diz em nota, manifestando preocupação com a queda de de 4,40% no preço de referência do leite ao produtor no mês fevereiro, anunciada na terça-feira (23) pelo Conseleite/RS. A entidade também cobra do governo federal medidas de apoio à pecuária leiteira, que precisa de ajuda “antes que entre em colapso.”

A Fetag-RS diz reconhecer que houve reajuste no preço de referência, principalmente quando o valor pago em fevereiro de 2020 é comparado ao praticado no mesmo mês de 2021. “Mas, o custo produção subiu muito mais neste período. Para que se tenha ideia, apenas nos últimos seis meses, o valor a ração animal teve reajuste de 45% e os medicamentos tiveram alta de 40%. Nos dois primeiros meses de 2021, o preço do adubo foi reajustado em 20%. Todas essas altas, diminuem o lucro de famílias que dependem da atividade para sobreviver”, pontua a nota.

“O governo federal precisa olhar com atenção para o produtor de leite, com políticas que garantam uma rentabilidade justa, fazendo a sua parte principalmente no que se refere às importações do Mercosul, que inundam o mercado nacional numa concorrência desleal com nossos produtores”, ressalta o comunicado.

A federação também faz, na nota, um apelo aos laticínios.  “Para as indústrias, fica o pedido para que elas reconheçam o produtor e a sua produção ao não fazer leilões de leite por preços abaixo do custo de produção, valorizando o preço no momento das vendas aos supermercados e não deixando que o produtor fique com todo o prejuízo sozinho.”

Leia, abaixo, a íntegra da nota da Fetag-RS:  

Na manhã de terça-feira (23), foi realizada a reunião mensal do Conseleite. Na oportunidade, foi informado que a projeção do valor de referência do litro leite para o mês de fevereiro é de R$ 1,37, uma queda de 4,40% em relação ao mês de janeiro, quando ficou em R$ 1,43.

O novo valor de referência é um fator preocupante para a FETAG-RS, para o Movimento Sindical e para os seus Sindicatos filiados, pois as seguidas quedas nos preços acabam sendo sentidas apenas pelo produtor, já que as indústrias repassam o aumento nos seus custos apenas para quem produz e não para os supermercados.

O cenário atual é de preços mais baixos nas gôndolas, mas com prejuízos para o produtor, que está recebendo cada vez menos e pagando cada vez mais para poder produzir, praticamente inviabilizando a atividade leiteira no estado.

É preciso ter um olhar diferenciado para a cadeia leiteira e que visualize a considerável alta nos custos de produção e as constantes quedas nos preços pagos pelo litro, fatos que estão levando diversas famílias a abandonarem a atividade.

A FETAG-RS reconhece que houve reajuste no preço referência, principalmente quando comparamos o valor que era pago em fevereiro de 2020 com o preço praticado em fevereiro de 2021, porém, o custo produção subiu muito mais neste período. Para que se tenha ideia, apenas nos últimos 6 meses, o valor a ração animal teve reajuste de 45% e os medicamentos tiveram alta de 40%. Nos dois primeiros meses de 2021, o preço do adubo foi reajustado em 20%. Todas essas altas, diminuem o lucro de famílias que dependem da atividade para sobreviver.

Também se faz necessário salientar que, enquanto para algumas cadeias produtivas o momento é positivo, a do leite está em queda livre. Vale lembrar que os aumentos nas demais atividades acabam elevando os custos dos produtores de leite.

O governo federal precisa olhar com atenção para o produtor de leite, com políticas que garantam uma rentabilidade justa, fazendo a sua parte principalmente no que se refere as importações do Mercosul, que inundam o mercado nacional numa concorrência desleal com nossos produtores.

Para as indústrias, fica o pedido para que elas reconheçam o produtor e a sua produção ao não fazer leilões de leite por preços abaixo do custo de produção, valorizando o preço no momento das vendas aos supermercados e não deixando que o produtor fique com todo o prejuízo sozinho.

A cadeia leiteira precisa de ajuda antes que o setor entre em colapso, o que fatalmente irá ocorrer se mais e mais famílias abandonarem a atividade.

As informações são do AGROemDIA.

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

MilkPoint AgriPoint