FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Conforto do produtor também está ligado à maior produção de leite

GIRO DE NOTÍCIAS

EM 15/09/2020

3 MIN DE LEITURA

1
1

Além do conforto para o gado leiteiro, o conforto dos produtores e colaboradores também é fundamental para a melhor produção de leite. É o que apresenta artigo técnico feito por profissionais da Associação dos Criadores de Gado Holandês no Rio Grande do Sul. Segundo o estudo, o mais referenciado e que pode demonstrar maior interferência na produtividade dentro da propriedade é o conforto animal, o qual está relacionado aos manejos e instalações oferecidas aos animais, nesse caso, os bovinos leiteiros. Entretanto é necessário levar em consideração também outro ângulo desse conceito que trata do conforto do produtor e colaboradores.

Segundo o artigo, é preciso entender que o produtor em pleno conforto físico e psicológico desempenha suas atividades muito melhor, apresenta resultados mais eficientes e incentiva seus colegas e seus funcionários. O estudo também salienta que, assim como as vacas precisam de uma cama confortável para que sintam-se livres e em seu pleno bem-estar, o produtor/funcionário precisa de uma boa noite de sono, em local adequado para que, no dia seguinte, ao acordar cedo para realizar a primeira ordenha, esteja descansado e disposto a desempenhar da melhor forma os manejos necessários. "Nesse mesmo sentido, a ergonomia do funcionário deve ser levada em consideração para evitar lesões por esforço demasiado; assim como os animais que precisam de instalações adaptadas ao perfil do sistema produtivo. Podemos citar, como exemplo, a angulosidade das rampas de acesso, a largura de portas e de portões e a distância da sala de ordenha", destaca o artigo.

Conforme o estudo da Gadolando, oferecer instalações que estejam em seu completo funcionamento contempla ambos os lados da nossa análise (conforto animal e humano). Na sala de ordenha, o piso deve ser adequado para que o animal não tenha quedas, da mesma forma para o funcionário. O espaço deve ser amplo para que as vacas não se apertem e parem no local correto para que o funcionário consiga de maneira fácil e ágil colocar as teteiras e iniciar a ordenha. "Esse espaço está relacionado ao trânsito de uma ou mais pessoas, levando em consideração os demais equipamentos, mangueiras e produtos que estejam no local", destaca o artigo.

Ainda neste ambiente, conforme os técnicos, o produtor precisa que o manejo seja o mais prático possível, para que possa realizar as coletas individualmente de maneira que consiga identificar o animal que esta sendo coletado, viabilizando a realização do Controle Leiteiro Oficial cujo seu manejo é extremamente importante, permitindo a adequação da produtividade e favorecendo o conforto na gestão do rebanho. "Preocupar-se com a saúde e qualidade de vida dos animais está diretamente relacionado às práticas saudáveis de produção, longevidade dos animais e eficiência na produção de leite. Conceitualmente, quando nos referimos ao bem-estar animal, estamos tratando das cinco liberdades dos animais, quais sejam: livre de fome e sede, livres de dor e doenças, livres de desconforto, livres de medo e estresse e livres para expressar seu comportamento natural", observa o estudo.

O artigo explica ainda que entender o comportamento natural dos animais é fundamental para que possamos melhorar os manejos realizados ao decorrer da atividade. Por exemplo, a vaca, naturalmente, vive em grupo, pois são animais gregários. Decorrente disso, existe uma hierarquia social no grupo onde existem vacas dominantes e vacas submissas, interferindo diretamente na competição por alimento, sombra e água. "Ao oferecer aos animais uma maior qualidade de vida, permite-se uma maior produtividade e, com isso, possibilita-se ao produtor mais conforto, alinhando-se aos conceitos discutidos anteriormente", complementa.

O artigo foi escrito pelo superintende Técnico da Gadolando, José Luiz Rigon, pela superintendente Administrativa da entidade, Márcia Gonçalves, pelo inspetor Técnico Yago Machado e pela doutoranda em Melhoramento Genético pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs), Maíza Scheleski da Rosa. O estudo completo se encontra no site da Gadolando em www.gadolando.com.br.

1

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

ANA VALERIA

HAVANA - PRODUÇÃO DE LEITE

HÁ UM DIA

La produccion es baja por el teterboro de Los pastis y falta bienestar animal.
MilkPoint AgriPoint