FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Suas vacas são hóspedes ou prisioneiras? Conforto e nutrição!

POR HAYLA FERNANDES

VACA FELIZ

EM 28/10/2020

5 MIN DE LEITURA

24
33

Vejo todos os dias nutricionistas quebrando suas cabeças com formulações. Trabalhando na terceira casa depois da vírgula procurando a melhor performance do rebanho, melhor prenhez, menor incidência de doenças e indicadores cada vez mais verdes...

Contudo, vejo poucos nutricionistas indo ver as vacas com calma. Me desculpe se esse não é seu caso, colega. Geralmente o NRC é a Bíblia e a balança do vagão é o padre da Igreja, porém a reflexão de hoje não é para contestar dogmas, mas para convidar você a dar um passo atrás e ver que existem outras peças nesse xadrez.

Para uma vaca estar confortável, o que é preciso? Ter sombra e água fresca, já falamos bastante por aqui. Expressar seu comportamento, também já comentamos, porém você já reparou que qualquer hotel é horrível se a comida for escassa ou ruim? Você pode estar em Dubai! Se for obrigado a pegar uma fila enorme e lutar por um prato de comida eu aposto que você pega suas malas e prefere ir à Caldas Novas, contanto que haja comida gostosa e de fácil acesso. Queridos, com vaca é do mesmo jeito! Só que elas não conseguem fazer as malas e ir embora da fazenda. Elas nos contam, mas você precisa entender de "vaquêz" (idioma nativo delas) para atender bem as suas hóspedes.

Como elas nos contam? Fique ligado nas frases mais comuns que as vacas falam todos os dias nas fazendas:

  • “Estou com azia”

Fezes moles! Sim, vacas tem azia! Também chamada de acidose.

Já pensou quão energética é a dieta que preparamos para elas? Já pensou em comer pamonha e coxinha todo santo dia? É mais ou menos isso que acontece quando a forragem está picada demais! A fibra da dieta é pouca e não estimula ruminação. Elas não conseguem produzir bicarbonato na saliva e isso dá uma queimação horrenda! Atenção ao tamanho da partícula quando for colher o milho. Não adianta ficar fazendo teste de peneira para diagnosticar o óbvio, ok? Se a silagem já está pronta, paciência! Vai ter que recorrer a algo para corrigir a fibra efetiva como por exemplo uma outra opção de forragem ou um tamponante (não faz milagre mas toda ajuda é bem vinda).

  • “Estou sem apetite”

Muito comum em vacas de pós parto, pois nesse período é fisiológico que vacas não consigam comer o quanto precisam para aleitar e se recuperar, então elas começam a consumir gordura corporal. Essa gordura corporal é metabolizada e vai para o fígado. Quando esse processo é acentuado (ou seja, se suas vacas estão perdendo muito peso) o fígado fica completamente sobrecarregado e manda um recado: “Coma menos querida, por que eu não estou dando conta!” Pronto! Sua vaca além de estar emagrecendo perdeu o apetite. O que quebra esse ciclo? Glicose! Provavelmente por ingestão forçada! Usar drench assim que viu uma vaca sem comer no pós parto é essencial para não deixar o quadro se agravar. A chance disso acontecer é grande! Pense: essa vaca já está com a imunidade abalada, glicose baixa, fígado ruim. É ou não é um convite para uma doença oportunista?

  • “Boca ruim”

Observar as vacas comendo deveria ser uma matéria nas escolas de veterinária! Tão simples e ninguém faz! Vacas com apetite comem de bocada, deixam um buraco onde está a comida! Vacas que não estão gostando da comida ou que estão doentes esparramam pra lá, pra cá, igualzinho criança que não quer comer. Já viram? Brinca com a comida, conversa, vai dar uma volta e não come por nada. Pois, então! Se suas vacas estão comendo com a boca ruim tem algo errado! Observe se isso ocorre em todos os lotes, se ocorre todos os dias, se são apenas algumas vacas. Essa observação vai direcionar muito da sua energia para a causa real do problema. Observe especialmente vacas em pós parto.

  • “Não estou conseguindo comer. Aqui está muito cheio!”

Bullying meu jovem! Vacas também fazem bullying com novatas do lote, novilhas, vacas menores. O reino animal pode ser bem cruel! Mas é verdade, se você acabou de fazer mudanças no lote lembre-se que vai ter vaca passando fome! Se o espaço de cocho for pequeno é pior ainda, quem come mais e primeiro são as vacas dominantes. O que fazer para isso? Evite movimentações excessivas para que elas não fiquem se hierarquizando toda semana e trabalhe com mais sobra no cocho, para que as pobres tenham acesso à comida que as colegas não conseguiram comer!

  • “Não alcanço a comida”

Já viu cernelhas raladas? Pois bem! Isso são marcas de esforço para se alimentar! Das duas uma: ou você errou feio na construção da contenção das vacas e elas estão esfolando a cernelha ou a comida está longe. Muito comum ocorrer em confinamento onde o cocho é raso. Você coloca o trato para as vacas e conforme elas vão comendo, vão jogando para frente daí o que acontece? Fome! A comida está ali mas elas não alcançam. Hotel dureza esse, hein?! Solução para isso é cocho fundo que não permita que a comida fique longe ou empurrar de hora em hora.   

  • “Estou esbaforida, nem pensar em bater essa feijoada todo dia”

Esse é o sinal mais claro, mais visível. Vacas em pé embaixo da sombra, babando, ofegantes e a comida no cocho esquentando. Esse é o problema mais comum nas fazendas brasileiras, especialmente no verão e você provavelmente vai ter que pensar num plano para melhorar isso. Seja dando banhos, pensando em sombras que não virem lama, construindo um barracão, enfim... tudo depende do projeto financeiro e modelo que o seu negócio permite.

  • “Meu pé está doendo muito!”

Você consegue ir num restaurante e comer super bem com uma dor enorme no pé? Mancando? Provavelmente só vai pedir um ifood e ficar na cama até melhorar, concorda? As vacas que lutem! Elas com ou sem problema de casco tem que ir até a comida e as vezes é looooooonge, muito longe! Mais uma vez, observação das vacas que estão curvando levemente a coluna para andar (escore 3) e atrasando a passada pode prevenir que um problema de casco fique grave.

Concluo dizendo que os programas de formulação são excelentes! Os conceitos de nutrição devem ser utilizados, contanto que se veja o que as clientes estão dizendo! Numa imensa quantidade de vezes o que é formulado com tanto capricho não chega à boca de quem deveria. Se não formos ver as vacas e ensinarmos nossos funcionários a fazerem o mesmo, nunca as veremos comendo bem, com média alta e saúde. Envolva seus funcionários ao invés de dizer que eles não se importam. Se você mostrar várias vezes o comportamento das vacas e o quanto a rotina de trabalho deles é importante para entregar o que elas querem, eu tenho certeza absoluta de que sua fazenda vai dar um salto! Porque não será mais apenas você esbravejando com seu técnico que o leite não sobe e reclamando que a mão de obra é ruim. Serão todos (produtor, técnico e funcionários) olhando coisas realmente importantes e levantando a mão antes da média cair. Como um time!

Forte abraço! Espero que todos se esforcem para ser fluentes em vaquêz! Curta e deixe seu comentário se isso fez sentido!

HAYLA FERNANDES

Descrição: Médica veterinária pela UFG, mestre em sustentabilidade e pecuária e consultora técnica. Proprietária do perfil @vaca_feliz_oficial no Instagram. Contato: (62) 99949-5588.

24

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

HÉLIO HENRIQUE VILELA

UBERLÂNDIA - MINAS GERAIS - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 30/11/2020

Muito boa sua matéria! Simples, objetiva e com ótimas analogias. Realmente, é o que descreveu!
WALTER JOÃO DA SILVA

COLORADO DO OESTE - RONDÔNIA

EM 30/10/2020

Excelente a matéria sobre alimentação das vacas comparando com hotel. Muito boa e fácil assimilação para qualquer público.
ÂNGELO JOSÉ DE OLIVEIRA

MACHADO - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 30/10/2020

Boa tarde
Li seu artigo ontem Hayla.
Gostei tanto que resolvi dar uma volta no estabulo de minha propriedade mas com uma visão de hospede de um bom hotel.
Me assustei.
Acho que se minhas vaquinhas pudessem escolher muito provavelmente hoje teria poucos vacas ou nenhuma vaca no meu "hotel."
Ja iniciei algumas mudanças aqui.Mas tenho que fazer uma revolução .
Mas o importante que passei a ver algumas coisas de modo diferente e isto tudo por por causa de seu artigo.
Parabens pelos comentários.
HAYLA FERNANDES

GOIÂNIA - GOIÁS - INDÚSTRIA DE INSUMOS PARA A PRODUÇÃO

EM 01/11/2020

Olá Sr. Ângelo, li seu comentário várias vezes!
Essa é a razão de eu escrever, essa é a razão de eu levantar todos os dias: Ver que posso ajudar com um pouquinho todos os dias.
Fico muito feliz e obrigada pelo feedback.
Continue assim, pequenas mudanças diárias são muito melhor do que uma revolução apenas uma vez.
Forte abraço
JERRI TEIXEIRA ZANUSSO

PELOTAS - RIO GRANDE DO SUL - PESQUISA/ENSINO

EM 30/10/2020

Parabéns pela matéria Hayla! Muito legal a forma de abordar o assunto, ótimas analogias.
ÂNGELO JOSÉ DE OLIVEIRA

MACHADO - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 29/10/2020

Otimo comentario.Pura verdade.
EDUARDA PEREIRA VIANA

ARAÇATUBA - SÃO PAULO - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 29/10/2020

Excelente, Hayla!! As comparações foram sensacionais, e mostra bem como é a realidade e como isso impacta na produção. Parabéns!!
LISSANDRO STEFANELLO MIOSO

GRAVATAÍ - RIO GRANDE DO SUL - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 29/10/2020

Espetacular !!!
... o vaquêz se aprende com boas observações diárias do rebanho.
ALBERTO JUAN

MÍDIA ESPECIALIZADA/IMPRENSA

EM 29/10/2020

Muy Bueno el Enfoque ... No pensar que todo se resuelve en el escritorio, con la Calculadora....
Yo digo siempre que hay que " oler ( ó cheiro ) de las vacas en el comedero y el barro ( lama ..), y ver que siente una vaca cuando otra le da una guampada (chifre..)
Espero tu opinion sobre los horarios , a que hora es mas conveniente poner el alimento en el cocho, o batea.
Si pastorean Campo Natural , Avena , o Pradera de trebol
..
HAYLA FERNANDES

GOIÂNIA - GOIÁS - INDÚSTRIA DE INSUMOS PARA A PRODUÇÃO

EM 01/11/2020

Hola Alberto. Muchas gracias por tu comentario. Creo en eso.
Te lo digo que los horarios de hacer la alimentacion estan muy relacionados a tu manejo y la disponibilidad de hacerlo. Trabajes con por lo minos 3 tratos al dia, si puedes hagalo más.
El padron de la dieta es tan importante cuanto la cuantidad, tenga la premisa que la comida debe ser exactamente la misma todos los dias en los mismos horarios, mismo que no sea 100% correcta tecnicamente te aseguro que van poner más leche en las vacas que una dieta correcta hoy y mañana otra y despues de mañana otra.
Gracias
JOÃO LEONARDO PIRES CARVALHO FARIA

MONTES CLAROS - MINAS GERAIS - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 29/10/2020

Fantástico!
Prático, técnico, objetivo e didático!
EMANUEL EXPÓSITO TENÓRIO LUNA

RECIFE - PERNAMBUCO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 29/10/2020

Parabéns.
SOLANGE CRISTINA CANESIN DE OLIVEIRA

ASTORGA - PARANÁ - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 29/10/2020

Muito bom... concordo em tudo!!
ELIZEU PEREIRA SOUTO FILHO

FORTALEZA - CEARÁ - OVINOS/CAPRINOS

EM 29/10/2020

Excelente texto! Parabéns pela forma direta, esclarecedora e humorada que você abordou esse tema tão importante e que muitas vezes é tratado com desleixo em nossas fazendas leiteiras.
JORGE ALBERTO CAVALCANTI DE LIVEIRA

MACEIO - ALAGOAS - PESQUISA/ENSINO

EM 29/10/2020

Artigo muito importante!!!
Parabéns!!!
BRUNO DOS SANTOS PONTES

CRISÓLITA - MINAS GERAIS

EM 29/10/2020

Se todos nós tivermos consciência nas paltas levantadas aqui realmente tem algumas coisas que realmente passam despecebidos
Parabéns a milkpoint,.Assim dicionários, padrões e principalmente as nossas vacas agradecem
MARCELO PEREIRA DE CARVALHO

PIRACICABA - SÃO PAULO

EM 28/10/2020

Excelente Hayla! Lá na frente, isso vai dar um livro obrigatório para produtores, estudantes e técnicos :)
HAYLA FERNANDES

GOIÂNIA - GOIÁS - INDÚSTRIA DE INSUMOS PARA A PRODUÇÃO

EM 01/11/2020

Conte comigo!
CARLA BITTAR

PIRACICABA - SÃO PAULO - PESQUISA/ENSINO

EM 28/10/2020

Hayla,
sempre uma delícia ler seus textos! Muito bom! Conforto é tudo nessa vida, seja pra vacas, pra bezerros e até pra gente.
Se cuide aí!
s2
HAYLA FERNANDES

GOIÂNIA - GOIÁS - INDÚSTRIA DE INSUMOS PARA A PRODUÇÃO

EM 01/11/2020

Obrigada Carla! Eu que agradeço pelo comentário! Feedback valioso para mim.
ROBERTO JANK JR.

DESCALVADO - SÃO PAULO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 28/10/2020

Ótimo Hayla.
JUAREZ GONÇALVES MOREIRA

BANDEIRA DO SUL - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 28/10/2020

Nota 10, é bem isto q acontece.
Parabéns pela matéria.
Juarez
ANGELICA TEREZINHA BARTH WOUTERS

LAVRAS - MINAS GERAIS - PESQUISA/ENSINO

EM 28/10/2020

Matéria muito interessante. Tem que saber observar para ter um diagnóstico! Às vezes basta um peqeuno ajuste no manejo, sem necessidade de entupir os animais de antimicrobianos, adsorventes de micotoxinas, "protetores" hepáticos, extratos de óleos essenciais de nem sei o que.
PATRICIA GOLDFEDER

CAMPANHA - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 28/10/2020

Adorei!!!!
Gostaria de ler mais textos assim...linguagem leve,prática e focada.
conseguiu o objetivo.parabens
MilkPoint AgriPoint