FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Limpeza adequada tem impacto direto sobre a qualidade do leite

POR MARCOS VEIGA SANTOS

MARCOS VEIGA DOS SANTOS

EM 15/09/2006

1
0
A coleta a granel do leite resfriado trouxe grandes vantagens para produtores e para as indústrias de laticínios, principalmente em termos de redução do custo do transporte e de rejeição do leite na plataforma.

Grande parte dos laticínios trabalha atualmente com sistema de coleta a cada 48 horas do leite refrigerado a 4ºC. Se por um lado é inegável os avanços na melhoria da qualidade com a refrigeração, não se pode esquecer que para haver manutenção da qualidade durante o período em que o leite fica na fazenda é fundamental que o tanque de expansão esteja funcionando adequadamente, e que o leite tenha uma baixa contaminação.

Em termos tecnológicos, os microorganismos que mais causam problemas de qualidade são aqueles que contaminam o leite durante e após a ordenha. Essa contaminação é altamente dependente das condições de higiene e manejo durante a ordenha e dos procedimentos de limpeza dos equipamentos, utensílios e do tanque de expansão.

Além disso, a temperatura do leite entre o momento da ordenha e do processamento industrial deve ser o mais próxima possível de 4º C para reduzir a multiplicação microbiana e a ação enzimática, as quais afetam negativamente as características do leite, tornando-o inadequado ao processamento em muitas situações.

No que se refere à legislação, atualmente o limite máximo da CBT do leite cru resfriado é de 1.000.000 ufc/ml, contudo, deve-se ressaltar que está previsto para 2011 que esse limite seja reduzido para 100.000 ufc/ml, o que significa a mesma exigência legal dos países europeus e EUA. Dessa forma, deve-se buscar adequar as medidas de manejo e higiene para obtenção de leite que atenda esse patamar de qualidade.

Para avaliar a qualidade microbiológica do leite e suas relações com medidas de higiene em rebanhos leiteiros, foi desenvolvido um estudo pela Embrapa Gado de Leite, que foi publicado recentemente. Esse estudo acompanhou durante um ano a qualidade do leite em 24 rebanhos de Minas Gerais e Rio de Janeiro, cuja coleta do leite era realizada a cada 48 horas. Juntamente com a coleta de amostras de leite para análise microbiológica, foram coletadas informações detalhadas sobre os procedimentos de limpeza de equipamentos, em particular quanto ao uso de detergente alcalino, ácido e sanitizante.

Os rebanhos foram classificados em três grupos: 1) < 100.000 UFC/ml; 2) > 101.000 e <500.000 UFC/ml e 3) > 500.000 UFC/ml, sendo que essas classes foram correlacionadas com os procedimentos de limpeza empregados em cada rebanho.

Dos 24 rebanhos analisados, 83% apresentaram média geométrica em três coletas abaixo de 1.000.000 ufc/ml, e apenas 46% conseguiram produzir leite com CBT menor que 100.000 ufc/ml. Dentre os resultados mais importantes do estudo, observou-se uma associação significativa entre a aplicação de produtos de limpeza e a CBT do tanque. Os rebanhos que apresentavam CBT < 100.000 ufc/ml eram aqueles cujos procedimentos de limpeza do equipamento e do tanque seguiam a recomendação de uso de detergente alcalino, ácido e sanitizante.

Para os rebanhos com CBT entre 101.000 e 500.000 ufc/ml, a limpeza e higienização estava associada com o uso de pelo menos dois produtos de limpeza e as contagens acima de 500.000 ufc/ml estavam associadas com o uso de um ou mesmo nenhum desses produtos.

Tais resultados reforçam, com dados obtidos em condições brasileiras, que com a utilização de procedimentos adequados para limpeza de equipamentos e tanque e um bom resfriamento, pode-se produzir leite com CBT abaixo de 100.000 ufc/ml em sistema de coleta de leite a cada 48 horas.

Fonte:

Arcuri, et al. 2006 (Arq. Bras. Med. Vet. Zootec., v.58, n.3, p.440-446, 2006).

MARCOS VEIGA SANTOS

Professor Associado da FMVZ-USP

Qualileite/FMVZ-USP
Laboratório de Pesquisa em Qualidade do Leite
Endereço: Rua Duque de Caxias Norte, 225
Departamento de Nutrição e Produção Animal-VNP
Pirassununga-SP 13635-900
19 3565 4260

1

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

ANTONIO JORGE DE OLIVEIRA

TAUBATÉ - SÃO PAULO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 27/02/2007

Qual o custo de armazenamento por 48 horas de 500 litros de leite a 3-4ºC em relação ao armazenamento a 8-10ºC?

Prezado Antonio,

Eu não tenho como calcular esse diferencial de custo de energia elétrica, mas a questão é que se o leite for conservado a 8-10oC durante 48 horas, provavelmente o leite terá problemas de qualidade em função de alta carga de psicrotróficos.

Sendo assim, a temperatura de 4oC é aquela que permite o leite se mantido na fazenda por até 48 horas, sem prejuízo da qualidade, desde que haja uma boa higiene de produção.

Atenciosamente,
Marcos Veiga