ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Silagem de milho e capim Capiaçu: qual é melhor?

MARCO AURÉLIO FACTORI

EM 23/06/2021

5 MIN DE LEITURA

7
12

Atualizado em 22/06/2021

Oi pessoal, tudo bem? Como vocês estão? Hoje iremos falar um pouco sobre silagem de Milho versus o Capim Capiaçu, tanto para corte e fornecimento no cocho, como para silagem.

Antes de mais nada, preciso salientar algumas coisas. Cada propriedade que visitamos encontramos situações diferentes, mas, quase todas, com problemas de nutrição. Esta nutrição que me refiro é aquela mal feita ou as vezes, não feita.

Na maioria dos lugares, não se tem uma preocupação com a alimentação dos animais tanto quanto a saúde deles. Eu falo muito isso em minhas andanças e palestras, pois quero dizer que é muito importante falarmos e fazermos nutrição. Em muitas propriedades, nos deparamos que muitos começam errado, ou seja, ao invés de começarem a casa pelo alicerce, começam pelo telhado.

São inúmeras as vezes que chego à alguma propriedade e preciso alterar a nutrição. Com a nutrição errada, teremos muitos problemas que, dentre eles, podemos citar a ineficiência nos custos (ou seja escolha de um alimento mais caro), déficit nutricional (pela escolha do alimento que não irá atender as exigências do animal), e, por último a combinação destes dois fatores, causando erros graves que, por muitas vezes, resulta no término da atividade.

Então vamos ao que interessa. Para quem serve a silagem de milho? Para que animais ela pode ser fornecida? Em se tratando de carne, e, principalmente do leite, pode ser fornecida para todas as categorias animais.

Mas por que o "pode" e não o "deve" ser fornecida?

Em se tratando de características nutricionais, a silagem de milho possui por volta de 8 % de proteína Bruta (PB), e quando bem feita, ao redor de 65% de nutrientes digestíveis totais (NDT). Quanto às características para ser ensilada, atende todos os requisitos em relação ao teor adequado de matéria seca no ponto ótimo de corte, além de carboidratos solúveis, baixo poder tampão (baixa resistência em alterar o pH) e ainda produtivo. Em resumo, ótimo material para ser ensilado, porém, em alguns casos e lugares, com baixa produção.

Para exemplificarmos, em Botucatu/SP, minha cidade Natal e em Pardinho/SP, cidade vizinha, as produtividades de massa verde atingem até 60 toneladas por hectare, enquanto regiões como Presidente Prudente/SP, a média está ao redor de 30 toneladas de massa verde por hectare. Isso na safra, ok?

Esquecendo um pouco da silagem de milho, vamos falar um pouco do Capim Capiaçu, cortado verde para oferecer no cocho, ou para fazer a silagem. Como sempre digo, tudo evolui e, ao mesmo tempo, novos materiais estão sendo lançados para atender nossos sistemas de produção.

Mas não podemos esquecer que o capim Capiaçu é um capim, e no seu ponto ótimo de corte está com ao redor de 20 a 25% de matéria seca, ponto não recomendado para ensilagem, ou melhor, seria preciso algumas técnicas como a pré-secagem, para deixar o material mais apropriado para a ensilagem.

Outro fator importante, é que para o corte e fornecimento no cocho para os animais, o teor de PB será ao redor de 12 a 13% e o NDT por volta de 55%. Diga-se de passagem, valores muitos bons e dignos de proporcionarem a uma vaca de produzir por volta de 10 litros de leite dia, isso em relação a PB e NDT.

para a ensilagem, em função do teor de água, os produtores esperam um pouco mais para cortar e ainda crescer mais para dar mais volume, como falam, e com certeza a qualidade diminui um pouco, apresentando menores teores de PB, principalmente.

Para tanto, um fator que devo salientar é que, ao esperar um pouco mais para deixar o capim crescer até o ponto adequado, a qualidade diminui. Por um lado, teremos mais massa, ou kg por hectare, com um teor de matéria seca mais adequado, mas ofereceremos um produto com menor qualidade aos animais, e mais, colocaremos neste material mais “passado” do seu ponto, um pouco mais de custos. A pergunta é simples: é isto que estamos procurando para vacas de leite? É somente um alimento mais barato? E a qualidade? 

Para falarmos de custos médios, digo "bem médios mesmo", um kg de massa seca de silagem de milho hoje, está custando para ser produzida, por volta de R$ 0,42. Um kg de massa seca de capim Capiaçu ensilado hoje, deve estar ao redor de R$ 0,30. A pergunta é simples: Qual eu uso? A maioria de vocês, com certeza, disse o Capiaçu. Eu já falo que depende. Mas depende de que? E mais, porque o Capiaçu é mais barato?

Vou começar pela segunda pergunta. Primeiramente, ao cortarmos o material para ser fornecido no cocho (aquele Capiaçu que falei ser de melhor qualidade do que o ensilado) é melhor ao nosso ver para o animal produzir leite, não é? Sim, é. Mas já comparam a produtividade do Capiaçu em capineira para corte e com o Mombaça em pastagem? Todos com certeza responderam que sim, e é mais produtivo. Mas já computaram nesta conta os custos do corte em comparação ao custo zero do pastejo, em relação a mão de obra e mecanização para cortar? Parece que coloquei uma duvida na cabeça de vocês, não é? Ok.

Mas se ensilarmos, não teremos mais massa de forragem e não ganharei no volume? Sim, teremos mais volume, mas, se ele tem menos qualidade eu não perderei em produção de leite por vaca dia? Será que isso compensa?

Será que com este material, mais fibroso para ser cortado e ensilado,  é possível fechar a dieta de uma vaca de alta produção? Eu não consigo, e vocês? Cuidado. Não considere em sua resposta, aquela vaca de alta produção que está secando ou está em balanço energético negativo pós parto, ok?

Pessoal, acho que já causei reflexões na cabeça de vocês demais por hoje, mas como nós temos que dar nossa opinião, vamos lá. Cuidado com capins produtivos demais. Para ser produtivo, ele precisa crescer, e para crescer, precisa de mais fibra para se sustentar.

Se ensilo na fase errada, posso prejudicar meu produto final, a silagem, ou seja, depois de tudo feito, concluir que ficou uma porcaria. Ainda, a silagem é cara, mas é boa. Como dizemos, vaca de leite que come uma boa silagem de milho, jorra leite. Exagero um pouco, mas é mais fácil a vaca produzir leite comendo um material melhor, não acham?

Enfim, a silagem de Capiaçu é mais barata que a de milho, mas o animal produz menos leite. Faça contas! A silagem de milho é melhor, mas é mais cara. Faça contas!. O capim Capiaçu produz mais por hectare, mas a qualidade é inferior e não atenderá seu animal mais produtivo. Faça contas! 

Para terminar, será que uma dieta influenciará na qualidade final do leite? Sim, influenciará. Já pensou nisso? Então, ao nosso ver, embora mais barato ou mais caro, é indicado somente para determinadas situações. Façam contas e pensem nisso!

Gostou do conteúdo? Deixe seu like e seu comentário, isso nos ajuda a saber que conteúdos são mais interessantes para você. Quer escrever para nós? Clique aqui e veja como. 

Atenção, leitores! Sempre com o intuito de proporcionar a melhor experiência para nossos usuários, estamos realizando uma pesquisa para ouvir você! Para responder é bem simples, basta clicar aqui e preencher o formulário. As dez melhores contribuições ganharão uma cortesia para nosso novo evento Interleite Experience ou para o Dairy Vision, maior evento sobre tecnologia e inovação em lácteos

MARCO AURÉLIO FACTORI

Consultor, Factori Treinamentos e Assessoria Zootécnica.

7

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

ELIANA FERNANDES

EM 05/07/2021

Ótima explanação. Boa discussão, gerou bons comentários, mas não podemos esquecer que cada uma tem sua realidade e limitações, que o que funciona para um talvez não dê muito certo para outros. No fim o que importa é conseguir o bom com o que se tem no momento.
SEBASTIÃO MAGNO DE FREITAS

ENGENHEIRO CALDAS - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 01/07/2021

Ôpa é muito bom
SEBASTIÃO MAGNO DE FREITAS

ENGENHEIRO CALDAS - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 01/07/2021

O capiaçu vai ser sempre o mais recomendado economicamente.
Faça conta.
A cada 70 a 90 dias tenho volumoso
E não precisa plantar de novo.
Faça conta.
E o milho?
A cada 120 dia + 30 de fermentação.
E terei que plantar tudo de novo.
DANIEL DA SILVA

PAINS - MINAS GERAIS

EM 01/07/2021

Esse ano colhi no primeiro corte do capiaçu 85 toneladas de materia verde por hectare. Material foi depositado em dois silos que tenho concretado, sendo que um ficou só com capiaçu e outro com 500 toneladas de milho e umas toneladas de capiaçu na frente. Comecei a tratar com o capiaçu e quando passei para o milho tive 15% de aumento no leite. No entanto, pela diferença de produtividade posso colocar duas vacas para a mesma área plantada usando capiaçu, então não perco em produtividade de leite e ainda tenho mais uma cria. Faça as contas! Detalhe: eu crio bufalas!!!!!
ARIMATEIA GUEDELHO

PALESTINA DO PARÁ - PARÁ - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 29/06/2021

Gostei da palestra.
RUBENS STHÊFAN CASTILHO DOS SANTOS

PALOTINA - PARANÁ - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 25/06/2021

Parabéns Marco pelo texto! o assunto é bem polêmico entre produtores e consultores.
Minha opinião vai de encontro com a do João Leonardo, são alimentos diferentes, para realidades distintas; sem dúvidas a silagem de milho é muito superior a uma silagem de capiaçu. O que tenho observado, que essa capineira tem sido muito utilizado por produtores que têm área restrita para produção de volumoso, mesmo eles sabendo que o custo final da dieta ficará maior, devido ao maior uso de concentrado.
JOÃO LEONARDO PIRES CARVALHO FARIA

MONTES CLAROS - MINAS GERAIS - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 24/06/2021

Alimentos totalmente diferentes, para regiões e estratégias diferentes!
MilkPoint AgriPoint