ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Por que usar pastejo rotacionado?

EDUCAPOINT

EM 06/08/2018

2 MIN DE LEITURA

1
0
O pastejo rotacionado consiste na divisão da área de pastagem em piquetes, que são submetidos a períodos alternados de pastejo e descanso. A utilização deste sistema pode trazer muitos benefícios ao sistema produtivo como um todo e, por isso, tem sido cada vez mais recomendada sua utilização.

O objetivo do sistema de pastejo é fornecer alimento de forma constante, o ano todo, para os animais. Consequentemente, deve-se aumentar o rendimento forrageiro por unidade de área, ou seja, é necessário produzir mais em menor área. Deve-se também reduzir a degradação, ou seja, esse sistema tem que ter longevidade. Além disso, o sistema deve buscar conservar a fertilidade do solo.

Observa-se, então, que o sistema de pastejo sofre a influência do clima, da planta, do solo, do animal e o manejo é uma ferramenta para entender as intempéries e as dificuldades encontradas.



Comida para o animal

Em primeiro lugar e acima de tudo, o sistema de lotação rotacionada é comida para o animal. Dessa forma, esse alimento precisa ser de boa qualidade. Consequentemente, é necessário ter boas condições do solo, sombra para os animais, água limpa e suficiente, cocho para mineralização e manejo.

A maioria dos sistemas de produção em pasto foram estabelecidos em associação com o mau manejo dos componentes solo, planta e animal com rápida degradação do pasto, baixa produtividade animal, reduzindo a competitividade e a lucratividade de empreendimentos pecuários frente às outras alternativas de uso do solo.

Dessa forma, o sistema rotacionado, que respeita a fisiologia do capim, consegue alcançar uma maior longevidade desse pasto. Esse sistema não termina nunca desde que seja feito o manejo correto.

A formação e o manejo das pastagens rotacionadas dependem da escolha das espécies forrageiras, correção da fertilidade do solo, planejamento do pastejo intensivo, divisão dos piquetes, período de descanso e período de pastejo, altura do pasto, ajuste da lotação de animais e adubação de reposição (principalmente nitrogênio).

Por que rotacionar?

O sistema rotacionado foi criado visando principalmente o atendimento das exigências da forrageira, e não o aumento da produção.

Assim, confira abaixo alguns dos benefícios do pastejo rotacionado:



Confira na aula abaixo o professor, Marco Aurélio Factori, explicando sobre o pastejo rotacionado e suas vantagens:

 

Essa é uma das aulas do curso on-line Sistema de lotação rotacionada de pastagem: manejo e aplicação, que está disponível no EducaPoint. No curso, o instrutor, Marco Aurélio Factori, aborda diversos aspectos técnicos sobre o sistema de lotação rotacionada, bem como traz uma visão dos resultados que podem ser esperados na utilização do rotacionado para corte ou leite.

Participe e conheça mais sobre este método de pastejo que pode alavancar a produtividade de sua propriedade! Para isso, assine o EducaPoint.
 
Com planos totalmente acessíveis, a plataforma oferece o que há de melhor e mais atual na pecuária brasileira, e os assinantes têm acesso ilimitado a TODOS os cursos (já são mais de 115 temas).
 
Conheça os planos aqui! Ou experimente sem compromisso realizando um breve cadastro no site: EXPERIMENTE GRÁTIS!

Mais informações:
contato@educapoint.com.br
Telefone: (19) 3432-2199
WhatsApp (19) 99817- 4082

 

1

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

DUARTE VILELA

JUIZ DE FORA - MINAS GERAIS - PESQUISA/ENSINO

EM 12/07/2017

O custo operacional efetivo/litro normalmente aumenta com a intensificação do sistema de produção. Se basear nesse critério, os sistemas menos intensivos são preferidos, o que não é atraente. Entretanto, a margem anual e a taxa de remuneração do capital investido aumentam com a intensificação. Na análise econômica de sistemas de produção, o indicador taxa de remuneração do capital investido é o mais completo porque inclui todos os fatores de produção. Por essa razão, deve ser o escolhido na avaliação do sistema de produção. Assim, os sistemas mais intensivos são normalmente os mais atrativos, uma hipótese que deve ser testada em função das condições regionais onde se localiza a propriedade.



A exploração intensiva de pastagens, por exemplo, é um fator que promove a melhoria da eficiência econômica, mesmo considerando sua vulnerabilidade decorrente das incertezas climáticas e do preço da terra. A adoção de tecnologias, como a fertilização e a irrigação do pasto, permite intensificar a produção e aumentar a capacidade de suporte da pastagem, propiciando condições de se prever, com segurança, a produção de mais forragem para alimentação do rebanho. O pastejo rotacionado é um exemplo clássico de como elevar a produtividade da terra e favorecer a eficiência econômica do sistema de produção.
MilkPoint AgriPoint