FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Embalagens de laticínios valorizam segurança alimentar e sofisticação no ponto de venda

ASSUNTA NAPOLITANO CAMILO

EM 31/03/2020

2 MIN DE LEITURA

0
2

Em recente visita à Santa Catarina, encontramos produtos bem interessantes e com embalagens que atendem as tendências mundiais de consumo: conveniência, sofisticação, segurança, saúde e sustentabilidade.

Estivemos em alguns supermercados de São José e Florianópolis. No Angeloni, toda a linha de produtos fatiados já é embalada em embalagens termoformadas lacradas. Os produtos são preparados numa central de manuseio, o que garante segurança alimentar. A preocupação com saúde é cada vez maior, e produtos com garantia de procedência e com evidencia de violação se houver, ganham pontos.

As embalagens com janelas permitem aos consumidores conferirem o frescor dos produtos. A selagem da termoformação é muito bem aplicada e o design da linha bem resolvido. Assim, reunindo segurança, aspectos de saúde, boa apresentação (sofisticação) e conveniência, a linha de frios está ganhando espaço, com muito sucesso, a considerar pela exposição e variedade.

Na categoria de iogurte para beber chamou a atenção a embalagem da Letti. O frasco transparente (um dos primeiros da categoria) mostra a cor do produto, distinguindo os sabores. Além disso, a marca divulga que o produto é produzido em fazendas próprias com vacas A2A2. O contorno em tom verde suave em ondas remete à leveza do produto desnatado. A ilustração hiper-realista no centro do frasco no mesmo tom de verde completa a obra. No verso, a rotulagem destaca que a embalagem é 100% reciclável. Aqui ficaram evidentes as preocupações com saúde, sofisticação (apresentação) e sustentabilidade.

embalagens lacteos

A embalagem do queijo meia cura da Fazenda Mutuca saltou aos olhos no ponto de venda. O queijo, vendido em pedaços, explorou a questão do “artesanal” com muita “arte” e bastante  cuidado com a apresentação. Primeiro, o produto é embalado a vácuo numa embalagem termoshrink bem acabada. Na sequência, o produto é envolvido num saco-redinha, que remete à redinha usada antigamente para embalar frutas, especialmente, as laranjas. Só este detalhe já leva o consumidor a uma viagem aos bons velhos tempos.

A embalagem do queijo meia cura da Fazenda Mutuca ainda traz uma etiqueta em papel kraft amarrada com uma corda. No verso da etiqueta, a marca conta a história do queijo e da Fazenda, chance de comunicar e engajar os consumidores e torná-los fãs. Na impressão da embalagem primária, a palavra ARTE foi destacada com um selo, agregando valor ao conjunto. Neste caso, a marca se preocupou com a segurança alimentar dos consumidores ao escolher uma embalagem a vácuo para o queijo, mas sem esquecer de destacar o produto no ponto de venda com acabamentos sofisticados. O conjunto ficou sensacional. Parabéns!

Embalagem melhor. Mundo Melhor.

ASSUNTA NAPOLITANO CAMILO

Diretora da FuturePack (Consultoria de Embalagens) e Diretora do Instituto de Embalagens - Ensino & Pesquisa. Articulista, professora e palestrante internacional de embalagens. Recebeu diversos prêmios e é coordenadora de diversos livros.

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

MilkPoint AgriPoint