FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Trump ameaça França com tarifas até 100% sobre vinho e queijo

Depois de um compromisso firmado entre Washington e Paris em Biarritz para diluir os efeitos do imposto de Emmanuel Macron sobre as gigantes tecnológicas, a administração norte-americana ameaça retaliar a França com tarifas adicionais — até 100% — sobre a importação de produtos franceses, como o vinho, o queijo Roquefort e outros queijos típicos, iogurtes, produtos de cosmética ou mesmo malas de mão.

A intenção foi revelada por Washington depois de o Gabinete do Representante dos Estados Unidos para o Comércio avaliar os impactos do novo imposto francês para as multinacionais norte-americanas e concluir que o “GAFA” — acrônimo pelo qual é conhecido o novo imposto, por afetar a Google, a Apple, o Facebook e a Amazon — é “inconsistente perante os princípios prevalecentes da política fiscal internacional e é excepcionalmente oneroso para as empresas norte-americanas abrangidas”, refere a Reuters.

A Administração Trump ameaça ainda retaliar contra a Itália, a Áustria e a Turquia se estes países seguirem o exemplo francês. O momento em que o faz tem significado. Apesar dos avanços e recuos na “guerra comercial” sino-americana, Washington e Pequim continuam a negociar entre si para tentar impedir a entrada em vigor da nova vaga de taxas dentro de poucos dias (a 15 de Dezembro). Mas o motivo não é apenas este. A intenção norte-americana foi revelada na segunda-feira, a poucas horas de começar em Londres uma conferência da NATO (Organização do Tratado do Atlântico Norte), entre os chefes de Estado e de Governo dos membros da Aliança Atlântica, onde estará Trump.

Ao todo, o valor de tarifas que os Estados Unidos admitem lançar contra a França ronda os 2,4 bilhões de euros de dólares (mais de 2,6 bilhões de euros), representando um agravamento da carga fiscal face aos níveis de tributação atuais (o vinho francês e outros produtos europeus são atualmente alvo de uma taxa alfandegária de 25% quando entram nos Estados Unidos).

A resposta norte-americana já motivou uma primeira reação do governo francês, com o ministro da Economia, Bruno Le Maire classificando as ameaças da Administração Trump como “inaceitáveis”, cita o jornal Le Monde. “Não é o comportamento que esperamos dos Estados Unidos para com um dos seus principais aliados, a França, e de uma forma geral para com a Europa”, afirmou o governante já nesta terça-feira.

As informações são do Público.

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.