FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Projeto de melhoria de silagem e de produção de leite é lançado no Brasil

Uma iniciativa bem-sucedida na Argentina está chegando ao Brasil. É o projeto Silo Mais, que oferece assistência técnica gratuita aos produtores de leite, a fim de que possam melhorar a qualidade e a produtividade das silagens que cultivam nas propriedades. Em fase inicial, o Silo Mais será desenvolvido em municípios das regiões do Alto Parnaíba e do sul de Minas Gerais e do estado de Goiás.

O Silo Mais foi lançado nessa terça-feira 4, no 32º Show Rural Coopavel, em Cascavel (PR). Resultado de parceria entre a multinacional alemã KWS Sementes e a Abraleite (Associação Brasileira dos Produtores de Leite), o projeto fará visitas a propriedades leiteiras para realizar, sem custo algum, análise da silagem que elas estão produzindo. Para tanto, conta com um laboratório móvel (LabMóvel), instalado em um furgão conduzido por um zootecnista.

“O resultado será apresentado durante a visita técnica. O produtor ficará sabendo qual a qualidade da silagem que está produzindo, tendo informações sobre índices nutricionais, como teor de proteína, energia e umidade”, diz o presidente da Abraleite, Geraldo Borges.

O pecuarista ainda receberá orientação sobre como melhorar o balanceamento do produto usado na dieta do gado e sobre como aprimorar a sua eficiência na produção de silagem para o ano seguinte. Isso, sublinha o presidente da Abraleite, também terá reflexos no desenvolvimento dos animais e na qualidade e produtividade do leite.

“Por ser uma iniciativa gratuita que beneficia o produtor, permitindo que tenha ganhos de qualidade e produtividade na silagem, no desempenho das matrizes e no leite produzido, a Abraleite decidiu fazer a parceria com a KWS. Nosso objetivo é apoiar sempre iniciativas com potencial de melhorar a eficiência e a renda do pecuarista leiteiro”, assinala Geraldo Borges, lembrando que o Brasil tem cerca de 1,2 milhão de propriedades no setor.

Milho, soja e sorgo

Com 160 anos e presente em 70 países, a KWS está no Brasil desde 2012, atuando na produção de sementes de milho, soja e sorgo e melhoramento genético de plantas. “O mercado brasileiro é um importante produtor de silagem. O pecuarista quer, cada vez mais, um material de alta tecnologia e com boa rentabilidade”, diz o diretor de negócios da KWS para a América do Sul, Marcelo Salles.

“Esperamos que o Silo Mais tenha no Brasil uma aceitação tão boa quanto está tendo na Argentina, onde já levamos assistência técnica para mais de mil produtores”, pontua Salles. A iniciativa, acrescenta, também busca reduzir o custo de produção dos pecuaristas, evitando que tenham despesas com a análise da silagem.

“O projeto é uma prestação de serviço gratuito ao produtor rural, fazendo com que obtenha melhoramento na produção de silagem”, reforça a gerente de excelência comercial da KWS, Thays Ariyoshi. “Isso está na essência da empresa. Queremos que o produtor de leite e carne otimize sua produção, com redução de custos e desperdícios e melhor aproveitamento dos recursos.”

Responsável pelo LabMóvel do Silo Mais, o zootecnista Marcos Noll, especialista em silagem e conhecido como “Drive Man”, está empolgado com a possibilidade de apoiar o melhoramento da nutrição do gado leiteiro. Em média, ele percorrerá seis propriedades por dia para levar assistência técnica aos produtores para que possam aprimorar a silagem que cultivam.

Além disso, o LabMóvel participará de encontros rurais para fazer análise de silagem, quando deverá atender um número bem maior de produtores de leite por causa da facilidade da logística.

O projeto, voltado principalmente aos pecuaristas que trabalham com sementes da KWS, deve ser estendido a mais dois estados nos próximos meses, com o reforço de mais veículos LabMóvel.

As primeiras análises do Silo Mais estão sendo feitas no Show Rural Coopavel. Também participaram do lançamento o conselheiro da Abraleite Airton Spies, a diretora de marketing das KWS, Bréscia Terra, e o gerente de produto silagem da empresa, Dimas Dal Bosco Cardoso.

As informações são do Agro em Dia.

2

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

DANIEL RIBEIRO DOS SANTOS

ALVORADA DO NORTE - GOIÁS - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 07/02/2020

Muito boa iniciativa,porém a pecuária leiteira no Brasil não tem subsídios e incentivos do governo,para poder minimizar os autos custos e crise no setor,pois é uma atividade muito difícil de lidar,requer muitas exigências do mercado consumidor,porém ninguém quer pagar por isso!
Daniel Ribeiro
Téc Agrícola e produtor rural.
ELUISIO DE SANTANA

LUZIÂNIA - GOIÁS

EM 07/02/2020

Que maravilha.
Os produtores de leite certamente estão radiantes com está boa notícia. Iniciativas assim estimulam o setor, que só tem uma saída para melhorar o lucro: resolvendo a seguinte equação: Produtividade + Qualidade = Quantidade.
Cuidar para não fazer o caminho inverso, ou seja: Permitindo que a quantidade anule a qualidade reduzindo a produtividade.
Meus parabéns para a Abraleite e KWS por esta bela e próspera iniciativa.

Eluísio,
Brasília - DF.