ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Produtores alagoanos vão incentivar consumo do leite C

GIRO DE NOTÍCIAS

EM 25/10/2002

1 MIN DE LEITURA

1
0
Com a predominância do leite longa vida, o tradicional "barriga mole" praticamente desapareceu das prateleiras do varejo. A mudança ajudou a modernizar a indústria de laticínios, mas trouxe, em contrapartida, perdas para o consumidor e para o produtor. Para o pecuarista, o leite tipo C é bem melhor e, com menor custo de embalagem, remunera melhor a matéria-prima.

Para incentivar o consumo do leite tipo C e seus derivados, a Cooperativa de Produção Leiteira de Alagoas (CPLA) e a Associação dos Dirigentes das Usinas de Beneficiamento de Leite (Adleite) decidiram realizar, a partir de novembro, uma campanha destacando as vantagens do produto. De acordo com o presidente da CPLA, Ricardo Barbosa, é importante que seja feito um trabalho de conscientização, mostrando as vantagens do leite tipo C, que é mais saudável que o longa-vida porque não passa por processos químicos, conservando todas as vitaminas.

Barbosa acredita que a campanha vai ampliar o consumo do leite tipo C nos próximos meses, gerando emprego e renda, e aponta como fundamental neste processo a parceria do governo do Estado, com o desenvolvimento do Programa Social do Leite e do Programa de Merenda Escolar. Segundo ele, hoje são vendidos 12 mil litros de leite tipo C para o governo. O próximo passo é buscar uma parceria com os prefeitos e implantar o leite C na merenda das escolas municipais.

Barbosa acredita que, com o aumento do consumo de leite pasteurizado, os produtores vão poder investir em seus animais, além de movimentar a economia local, proporcionando o surgimento de pequenas e médias indústrias de laticínios.

Fonte: Gazeta de Alagoas, adaptado por Equipe MilkPoint

1

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

ANTONIO VIEIRA FILHO

AFOGADOS DA INGAZEIRA - PERNAMBUCO - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 26/10/2002

Gostaria de corrigir o colega Ricardo Barbosa, quando ele fala que o leite pasteurizado é mais saudável que o longa vida. Isso não é verdade, as diferenças são insignificantes e o processo de esterilização é físico (térmico) como é o de pasteurização, e não químico como ele afirma.

Outro detalhe é que as indústrias que beneficiam o leite longa vida são fiscalizadas pelo SIF, o que lhes assegura a qualidade que o consumidor espera.

Recentemente coletamos amostras de leite de uma pequena indústria da cidade de Arapiraca e que fornece leite para esse programa aqui na cidade de Palmeira dos Índios e, para surpresa nossa, esse leite estava fraudado com adição de água (24%). Informamos o caso ao pessoal da Secretaria da Agricultura, que é responsável pelo SIE, órgão responsável pela fiscalização estadual e nenhuma providência foi tomada.

Atenciosamente,

ANTONIO VIEIRA FILHO
MilkPoint AgriPoint