ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

OMS: documento pede proibição do marketing de vários produtos lácteos destinados às crianças

GIRO DE NOTÍCIAS

EM 19/04/2016

1 MIN DE LEITURA

3
0
No começo do ano, a Organização Mundial de Saúde (OMS) lançou um documento pedindo a proibição da promoção e do marketing de vários produtos lácteos para crianças de até três anos de idade. A reação a isso nos Estados Unidos veio nessa semana, quando a Federação Nacional de Produtores de Leite (NMPF) e a Associação Internacional de Alimentos Lácteos (IDFA) pediu que os membros do Congresso insistissem que os Estados Unidos requeressem uma análise mais aprofundada da proposta da OMC desencorajando os pais de fornecer leite e certos produtos lácteos às crianças até 3 anos.



“O documento guia da OMC é uma crítica ao consumo de todos os lácteos pelas crianças dessa idade”, disse o presidente e diretor executivo da NMPF, Jim Mulhern. “Isso vai de encontro com todas as pesquisas internacionais criveis em nutrição e confundirá os consumidores em todo o mundo", completou ele. 

“O guia da OMS deveria focar em como encorajar o fornecimento de alimentos densos em nutrientes para crianças pequenas com uma base nutricional para refeições e lanches”, disse o presidente e diretor executivo da IDFA, Connie Tipton. Ainda de acordo com ele, o documento não deveria restringir o fluxo de informações importantes referentes aos benefícios nutricionais dos alimentos lácteos para crianças pequenas aos pais, cuidadores e fornecedores de cuidados de saúde. 

Em uma carta enviada aos membros do Parlamento e do Senado, ambas as organizações querem que o governo americano insista que a OMS revise esse documento para retificar a sugestão errada de que os lácteos são inapropriados para crianças pequenas. A proposta foi modificada no final de março, mas as recentes revisões ainda contrariam a ciência que mostra os atributos nutricionais únicos do leite.

Os grupos pediram ao Congresso que ele insista para a OMS conduzir uma análise mais aprofundada das bases científicas e as potenciais consequências dessa proposta antes de tomar ações nessa área. Se o guia fosse adotado, poderia ter efeitos negativos para a saúde das crianças de todo o mundo. Ele também contraria amplas evidências científicas de que os lácteos têm um papel significativo e positivo na dieta das crianças.

As informações são do FoodBev.com.

 

3

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

SU CAPELL

EM 13/09/2018

Onde está as referências? gostaria de ler sobre.
PAULO FIGUEIREDO

MIRACEMA - RIO DE JANEIRO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 06/05/2016

Essa "onda" de 'demonização' do leite de vaca como alimento para crianças vem sendo 'orquestrada' num crescendo e não tem outra razão de ser senão o propósito de atender escusos interesses industriais e comerciais de empresas multinacionais que produzem alimentos à base de soja e outros insumos, além de pessoas que passaram a adotar o vegetarianismo como "modo de vida".



Certamente que também a OMS deve estar "infestada" de 'pessoas' que vêm fazendo campanhas mundiais de combate ao consumo de leite e derivados.



Há alguns meses acessei informações a partir de uma ONG sediada na Holanda que vem se empenhando em combater de forma sistemática e falseando verdades sobre o consumo de leite e derivados por humanos, a pretexto de defenderem o meio-ambiente e os animais.



Evidente que não é só na Holanda... em outros países também há organizações comungando do mesmo propósito.



O que a OMS pretende obter com esse 'documento-guia' é prejudicar o mercado lácteo e, em última análise, fulminar com todos - no mundo inteiro - sobretudo  a partir de campanhas sórdidas contra o consumo de produtos de origem animal, em particular o leite e derivados, enfim, desestabilizar todos os que se dedicam à nobre missão de produzir leite, .



Óbvio que se trata de algo da maior gravidade e que precisa ser combatido por TODOS... todas as pessoas de bem - produtores de leite e consumidores - que precisam estar atentas e empenhadas em fazer - cada um a sua parte - para frear até a extinção dessa onda nefasta para a sociedade.



A organização das ações para esse combate é urgente, e também sabemos que é  onerosa, pois os detratores (empresas 'inimigas' e pessoas desinformadas ou mal informadas) - todos mal intencionados, INVESTEM muito 'pesado' (com muito dinheiro) nessa campanha sórdida mundo a fora.

CLEIDIMAR BATISTA DE PAULA

GOIÂNIA - GOIÁS - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 19/04/2016

Pelo que vemos no artigo não é só aqui no Brasil que os profissionais da área de saúde andam muito desinformados em relação aos benefícios do consumo de produtos lácteos. O leite é um dos alimentos mais nobres que existem e seu consumo frequente por crianças está relacionado a um melhor desenvolvimento físico e mental, além de prevenir uma série de enfermidades, pois torna o sistema imune mais competente.

Tudo isso comprovado por pesquisadores das mais renomadas universidades em todo mundo.

Isso muito me entristece pois pessoas menos esclarecidas ao verem publicações contrárias ao consumo de lácteos pegam aversão pelos produtos.
MilkPoint AgriPoint