ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Leite Nilza: leilão em Ribeirão Preto/SP terá novo formato

GIRO DE NOTÍCIAS

EM 14/11/2018

1 MIN DE LEITURA

1
0

Para vender bens da antiga indústria da Leite Nilza, em Ribeirão Preto, a Justiça alterou o formato do leilão. Os interessados em arrematar devem apresentar uma proposta em envelope fechado que deve ser aberto em março de 2019. A planta de Ribeirão Preto tem mais de 250 mil metros quadrados.

A decisão é do juiz Heber Mendes Batista, da 4ª Vara Cível de Ribeirão e foi publicada na última segunda-feira, 12. Além do terreno na cidade, também entra em leilão a unidade produtiva de Itamonte, no interior de Minas Gerais.  

O mobiliário e maquinário integrantes dessas duas unidades comporão os lotes que devem ser vendidos, no esquema de “venda com porteira fechada”, a não ser que os bens já tenham sido alienados em leilões anteriores. A unidade de Ribeirão Preto está avaliada em R$ 36 milhões. No leilão realizado em abril de 2017, que não apresentou interessado, o lance mínimo era de R$ 27,5 milhões.        

Os compradores deverão ofereceras propostas em envelope lacrado, mediante a apresentação em cartório, até o dia 15 de fevereiro de 2019. A abertura das propostas está definida para o dia 15 de março de 2019, às 14h, no Salão do Júri do Fórum de Ribeirão Preto.

O advogado Alexandre Borges Leite, que é o administrador dos bens da massa falida da Nilza, crê no sucesso da operação. “Nos demais leilões que fizemos com leiloeiro, não tivemos tanto sucesso. Até porque, quando nós fizemos o leilão, já estava naquela crise pesada. Não dava muito para esperar. Agora, com o mercado melhorando, nós temos uma expectativa positiva e acredito que teremos uma solução para essas áreas, que são os ativos consideráveis da Nilza”, explica.

A confiança está baseada no fato de a venda da marca Nilza para a Italac, em 2015, por R$ 7 milhões, ter sido em certame com formato parecido. “Nós já tivemos um leilão desse formato e tivemos sucesso. Foi daí que vendemos a marca e foi aí que vendemos a unidade Campo Belo”, comenta o advogado.

As informações são da revista Revide.

1

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

JAN VAN DEN BROEK

PARANAPANEMA - SÃO PAULO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 14/11/2018

Um dos poucos juízes que conheço, preparado para lidar com as falcatruas por de trás das recuperações judiciais no setor leiteiro. Nos produtores de leite só temos a aplaudir pessoas assim. Parabéns ao Excelentíssimo Senhor Juiz Heber Mendes Batista.

Para mais informaçoes a respeito do caso procurem no diario da comercio, industria e servicos pesquise no tema Nilza e Airex Trading 27/01/11 escrito por Eduardo Schiavoniae
MilkPoint AgriPoint