ENTRAR COM FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Iogurte pode ser um ótimo anti-inflamatório, dizem cientistas americanos

Cientistas americanos descobriram que o consumo regular de iogurte pode ajudar a reduzir inflamações crônicas (quando o corpo "ataca" órgãos e sistemas), prevenindo doenças cardiovasculares, artrite, asma e obesidade. O estudo foi realizado pela Universidade de Wisconsin, nos EUA, e publicado no periódico científico Journal of Nutrition na segunda, dia 14 de maio.

consumo regular de iogurte e a sua ação anti-inflamatória

"Comer 230 ml de iogurte desnatado antes de uma refeição é uma estratégia viável para melhorar o metabolismo pós-refeição e, portanto, ajudar a reduzir o risco de doenças cardiovasculares e metabólicas", comenta o pesquisador Ruisong Pei, um dos autores do estudo, em comunicado enviado à imprensa. Como parte do sistema imunológico do corpo, a inflamação é a primeira linha de defesa contra doenças e lesões. Mas, ela acaba sendo prejudicial quando a resposta inflamatória dura muito tempo.

Os medicamentos anti-inflamatórios – como ácido acetilsalicílico, naproxeno, hidrocortisona e prednisona – reduzem os efeitos da inflamação crônica, melhorando o revestimento do intestino. Ou seja, as drogas atuam na prevenção da formação das endotoxinas, que são moléculas pró-inflamatórias criadas pelos micróbios que vivem em nosso sistema digestivo, e que são liberadas na corrente sanguínea. O problema, alertam os especialistas, é que os remédios possuem inúmeros efeitos colaterais desagradáveis e até perigosos.

Com isso, os pesquisadores americanos vêm analisando as propriedades benéficas dos laticínios há pelo menos 20 anos. "Existem resultados mistos ao longo dos anos, mas um artigo recente mostra que as coisas apontam mais para o efeito anti-inflamatório, particularmente nos laticínios fermentados", afirma Brad Bolling, professor assistente da Universidade de Wisconsin e co-autor da pesquisa, no mesmo comunicado à imprensa. Ele cita ainda um artigo científico de 2017 que revisou 52 ensaios clínicos. "Eu queria entender o mecanismo mais de perto, especificamente o funcionamento do iogurte", completa Bolling.

No estudo publicado na segunda (14), a equipe da universidade americana avaliou 120 mulheres na pré-menopausa, sendo 50% consideradas obesas e as demais sadias. Durante nove semanas, metade das participantes consumiram 350 ml de iogurte desnatado todos os dias. Enquanto isso, o grupo de controle comeu apenas pudim sem leite. Além disso, no decorrer da pesquisa, as voluntárias tiveram o sangue retirado para análise. Os resultados indicam que o consumo contínuo de iogurte pode ter um efeito anti-inflamatório em todo o corpo", diz Brad Bolling.

De qualquer forma, os pesquisadores ainda não conseguiram encontrar os compostos presentes no iogurte que são responsáveis pela ação anti-inflamatória. "O objetivo é identificar os componentes e, em seguida, obter provas em seres humanos para apoiar o mecanismo de ação no corpo. Essa é a direção que estamos seguindo. Em última análise, gostaríamos de ver esses componentes otimizados nos alimentos, especialmente para situações médicas em que é importante inibir a inflamação por meio da dieta. Achamos que essa é uma abordagem promissora", afirma Bolling.

As informações são da Revista Encontro.

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.