ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
FAÇA SEU LOGIN E ACESSE CONTEÚDOS EXCLUSIVOS

Acesso a matérias, novidades por newsletter, interação com as notícias e muito mais.

ENTRAR SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

FAO: índice de preços dos alimentos cai; lácteos recuam 3,5%

GIRO DE NOTÍCIAS

EM 06/06/2022

2 MIN DE LEITURA

0
0

Os preços mundiais dos alimentos caíram em maio pelo segundo mês consecutivo, após atingirem um recorde em março, segundo a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO).

O índice de preços da entidade atingiu uma média de 157,4 pontos no mês passado, ante 158,3 em abril. Ainda assim, o número está 29,2 pontos (22,8%) acima do seu valor no mês correspondente do passado ano.

A queda em maio foi liderada por recuos nos índices de preços de óleos vegetais e lácteos, enquanto o índice de preços do açúcar também caiu em menor proporção. Cereais e carnes aumentaram.

forum milkpoint mercado

O indicador de preços dos cereais da FAO aumentou 2,2% em relação ao mês anterior, para 173,4 pontos, liderado pelos preços do trigo, que subiram 5,6% em relação a abril e 56,2% em relação ao valor correspondente no ano anterior.

“Os preços internacionais do trigo, em média apenas 11% abaixo do recorde alcançado em março de 2008, subiram em resposta à proibição de exportação anunciada pela Índia e às preocupações com as condições das colheitas em vários países exportadores líderes, bem como perspectivas de produção reduzidas na Ucrânia devido à guerra”, explica a FAO, em relatório.

Os preços internacionais do arroz também subiram em geral, enquanto os preços dos grãos forrageiros e do milho caíram em sintonia com as condições de safra ligeiramente melhores nos EUA, suprimentos sazonais na Argentina e o início iminente do principal colheita de milho no Brasil.

O indicador para carnes chegou a 122 pontos e estabeleceu um novo recorde histórico, com alta de 0,6% em maio, mesmo com os preços mundiais da carne bovina permanecendo estáveis e os da carne suína caindo. “A alta foi impulsionada por um forte aumento nos preços internacionais da carne de aves, refletindo as interrupções contínuas na cadeia de suprimentos na Ucrânia e casos recentes de gripe aviária em meio a um aumento na demanda na Europa e no Oriente Médio”, diz a FAO.

O índice para óleos vegetais da FAO caiu 3,5% em relação a abril, para 173,4 pontos. Os preços dos óleos de palma, girassol, soja e canela caíram.

No caso dos laticínios, a queda do índice foi de 3,5% em relação ao mês anterior, para 141,6 pontos. Os preços do leite em pó caíram mais, devido às incertezas do mercado devido aos contínuos bloqueios do covid-19 na China, enquanto as vendas robustas no varejo e a alta demanda de restaurantes no Hemisfério Norte impediram que os preços do queijo caíssem significativamente, afirma a FAO.

Por fim, o indicador de açúcar recuou 1,1% em relação a abril, para 120,3 pontos. Segundo a FAO, a safra abundante na Índia impulsionou as perspectivas de disponibilidade global e o enfraquecimento do real em relação ao dólar, juntamente com os preços mais baixos do etanol, também pressionaram os preços mundiais do açúcar para baixo.

As informações são do Valor Econômico, adaptadas pela equipe MilkPoint. 

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

MilkPoint Logo MilkPoint Ventures