FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Exportação de leite longa vida pela Lactalis ao Uruguai gera reações

A exportação de 300 mil litros de leite longa vida pela Lactalis do Brasil ao Uruguai — a primeira em maior escala pela empresa ao país vizinho — gerou reação negativa por parte de um suplente de senador local, Sebastian Da Silva, do Partido Nacional. Tradicionalmente, o Brasil é um importador de lácteos do Uruguai e não costuma enviar volumes significativos desses produtos ao mercado uruguaio. Não há tarifa de importação entre os dois países por fazerem parte do Mercosul.

Na terça-feira, o parlamentar publicou no Twitter que uma parte do carregamento de leite longa vida estava chegando ao país, num tom crítico ao partido Frente Ampla, do presidente uruguaio Tabaré Vázquez, e a empresas de lácteos. “Neste preciso momento, estão ingressando 100 mil litros de leite fluido importado do Brasil por Rivera. Tanto empenho em unir os produtores de leite está dando seu resultado. O sindicato de Conaprole, Murro, Benech e toda a Frente Ampla que assumam suas responsabilidades”, diz ele em tuíte reproduzido pelo jornal uruguaio El Observador.

O produto em garrafa pet, com a marca Parmalat, foi exportado pela Lactalis do Brasil à Parmalat do Uruguai, que irá distribuí-lo ao varejo. No mundo, a Parmalat é controlada pela francesa Lactalis.

A reportagem do El Observador afirma que a importação de leite longa vida, que tem menor valor agregado, pelo país não é muito comum, e que a queda do real ante o dólar tem tornado as exportações do Brasil competitivas.

Ao Valor, Guilherme Portella, diretor de relações institucionais da Lactalis do Brasil, disse que a venda faz parte da estratégia da empresa, anunciada no primeiro semestre, de exportar lácteos a países da América do Sul. Inicialmente, a Lactalis embarcou bebidas lácteas, depois leite condensado e manteiga ao Uruguai.

Segundo ele, a exportação de leite longa vida foi “possível por causa do posicionamento da marca” no país. Além disso, o fato de o produto ser envasado em garrafa facilitou a logística. O leite longa vida foi produzido na unidade da Lactalis em Teutônia, no Rio Grande do Sul, e entrou no Uruguai pela cidade de Rivera, na fronteira com Santana do Livramento (RS).

Portella acrescentou que a Parmalat no Uruguai não produz o leite longa vida em garrafa, apenas em embalagem Tetra Pak. A Parmalat tem duas unidades no país. Uma em Cardona, onde produz queijos, leite em pó e leite longa vida e outra em Salto. Nessa unidade, as linhas são semelhantes, mas a produção de leite longa vida está paralisada, segundo o executivo.

Para o diretor da Lactalis do Brasil, a exportação de lácteos ao Uruguai “é natural”. “É um fluxo que a empresa pretende fazer. Achamos que é natural que ocorra entre países”, disse. Segundo ele, a Lactalis “pretende explorar as potencialidades na América do Sul com um todo”.

A Lactalis não revela o valor do negócio, mas estimativas do mercado indicam que esteja avaliado em cerca de R$ 900 mil.

Ao El Observador, o presidente do Instituto Nacional do Leite (Inale), Ricardo De Izaguirre, disse que o leite longa vida importado do Brasil vai concorrer com o leite fresco, que representa 7% das vendas de lácteos do Uruguai.

Leitores reagiram à reportagem sobre a importação de leite publicada no El Observador. Em comentários no site do jornal, um leitor criticou o fato de um país produtor de leite importar o item. Outro lembrou a Operação Leite Compensado, iniciada em 2013 e que já teve várias fases. A operação do Ministério Público investigou suposta adulteração de leite no Rio Grande Sul.

As informações são do jornal Valor Econômico.

4

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

OLMIR ANTONIO DE OLIVEIRA

EM 24/10/2018

Sem análise ampla é complicado fazer qualquer comentário, só em termos iniciais é que existem interesses dos mais diversos envolvidos, desde as da questão da logística, da player lá e aqui e até a do país deles, então sem análise sem comentário.
Mas só adentrando ao tema produção de proteínas, poderia dizer a respeito do setor leiteiro, mas como trato mais coisas a respeito de pontualidade de setor em player que não tem o foco nesse nicho e ou da especialidade de bubalino, ai para processos e interesses verticais da player, mas o foco maior é para produção de proteína, carne, em especial para duas raças tidas como para cortes nobres. Dai diria para ser sintético, a favor da verticalização no sistema de produção, vertical literal no construtivo, de dimensões multiplicas nas primeiras casa das dezenas de milhares de metros, formando quadrado pela altura dos pavimentos, para ambientes fora dos chamados estresses, ganhos de escala conforto e controles, até de coletas de itens conhecidos como poluentes ambientais mas sobretudo os que afirmar destruir o ozónio, mas com ampla capacidade de fazer compilar e agregar diverso fornecedores diretos e indiretos para o sistema, desde os de fertilização, ..... equipamentos,..... até fenações, alugueis de gestoras,.... A principio do ideal, é estado do sudeste, mas Sc, Pr, é boa alternativa, o Uruguai é sempre tido como boa opção em país, mas sem dúvidas em termos de custos e retorno de investimentos, financiamento, mercado, tecnologias, equipamentos, .... o Usa aparece no topo, depois se tem europeus, os dos famosos cangurus..... Mas de fundo é uma discussão, ai já só o que é foco, as questões ambientais e ozónio, e a postura para o player em sistema que muda, evoluir, amplia possiblidades e sistemas. Faz parte é do sistema, expor discutir e acordar e até informar.
Parabéns pela matéria,....
LUIS EINAR SUÑE DA SILVA

GOIÂNIA - GOIÁS - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 02/10/2018

Tabaré Vasques é Frente Amplio, o PT do Uruguay.
Com um mercado consumidor interno pequeno, o país é voltadoo basicamente para as exportações.
É inconsequente e nefasta uma exportação destas ao pequeno Uruguay.
Fico indignado com a irresponsabilidade e a desgraça que atos como este podem causar a economia de nosso país irmão.
DIVANIR RUBENICH

CARLOS BARBOSA - RIO GRANDE DO SUL - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 29/09/2018

Parece estarem experimentando o que nós já recebemos deles.
LUIS EINAR SUÑE DA SILVA

GOIÂNIA - GOIÁS - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 02/10/2018

As importações do Uruguay são grãos de areia na nossa economia.
Veja os dados no MAPA.
Pobre Uruguay, levando a fama das ações inconsequentes dos governos atuais.