ENTRAR COM FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

MG: equipamento desenvolvido pela UFJF que identifica adulteração no leite é patenteado

Um equipamento desenvolvido pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) que é capaz de verificar a qualidade do leite produzido pelas indústrias recebeu a patente do Instituto Nacional de Propriedade Intelectual (INPI). É a primeira vez que alguma criação da instituição recebe um reconhecimento do tipo. 

A máquina, que é portátil e funciona com bateria recarregável, é de fácil manuseio, pois pode ser levada até os locais de produção e armazenamento do leite. Ela mede a temperatura e faz o processamento que avalia se a qualidade da bebida é adequada ou não, verificando a porcentagem de água acrescentada. Segundo a pesquisadora Maria José Bell, que participou do projeto, foram dez anos de pesquisa para chegar ao resultado final. 

"A nossa proposta era ter uma metodologia que fosse rápida e simples para acusar a adição de água, um problema que percebemos ser bastante comum. A nossa ideia era criar um método físico que pudesse detectar a adição de água de uma forma simples e confiável", conta.


Equipamento desenvolvido pela UFJF que verifica a qualidade do leite recebeu patente (Foto: Reprodução/TV Integração) 

Além disso, o equipamento consegue detectar casos de fraude, como a presença de sal, soda cáustica e outras substâncias que possam afetar a qualidade do leite. De acordo com o pesquisador Virgílio de Carvalho dos Anjos, coordenador do programa em Tecnologia de Leite da UFJF, atualmente, o método que verifica o leite e que é reconhecido pelo Ministério da Agricultura, é feito em outro tipo de aparelho.  "Ele é chamado de crioscópio e mede o ponto de congelamento do leite, mas infelizmente ele é um equipamento que é suscetível a falsificação", diz. 

A UFJF tem 118 projetos de pesquisa que aguardam a concessão de patentes. A gerente de propriedade intelectual do Núcleo de Inovação Tecnológica da universidade, Albertina Souza, diz que são vários os critérios para a conquista do registro, que garante a exclusividade de exploração à instituição. 

As informações são do jornal O Globo, resumidas pela Equipe MilkPoint. 

1

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

DIVANIR RUBENICH

CARLOS BARBOSA - RIO GRANDE DO SUL - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 12/06/2018

Parabéns aos inventores da Máquina. A qualidade do leite precisa evoluir muito no Brasil.
Aqui no RS, a Operação "Leite Compen$ado" do Ministério Público fez um pente fino nos fraudadores e o que se viu de indivíduos, transportadores e indústrias que adulteravam o leite foi inacreditável. Houveram multas, prisões e até fechamento de empresas.