FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Dairy Vision: "queremos transformar a NotCo na empresa alimentar de mais rápido crescimento no país"

“A NotCo é uma foodtech chilena fundada em 2015 com o intuito de revolucionar a indústria de alimentos. Utilizamos inteligência artificial própria - o Giuseppe - para recriar os alimentos que amamos, porém, apenas com plantas. Nossa missão é mudar sem mudar. Atuamos no Brasil desde maio deste ano com a Not Mayo (maionese feita a partir de grão de bico). Até o final do ano lançaremos o Not Milk e o Not IceCream”. Foi assim que Luiz Augusto Silva, CEO da NotCo no Brasil iniciou o bate-papo com a Equipe AgriPoint.

Giuseppe é o software responsável por cruzar todas as informações de um gigantesco banco de dados para obter as combinações de moléculas ideais na criação de cada alimento. O nome do robô é uma homenagem a Giuseppe Arcimboldo, pintor italiano renascentista famoso por criar figuras humanas a partir de frutas e legumes. O software aprende com suas tentativas e erros e, para ensiná-lo, a NotCo conta com um time completo de chefs de cozinha trabalhando em período integral. Tudo o que estiver fora do esperado, é detectado por esses profissionais.

Luiz será um dos palestrantes do Dairy Vision 2019, evento que ocorrerá nos dias 26 e 27 de novembro em Campinas/SP. O tema da sua apresentação será “Reinventando o alimento através da tecnologia”.

Mas de onde surgiu a ideia da NotCo?

O cientista e empreendedor chileno Pablo Zamora molhava uma batata frita em uma maionese feita 100% a partir de vegetais quando fez uma projeção chocante. Em apenas três anos, utilizando produtos da empresa que ajudou a criar, toda pessoa será capaz de cozinhar, do início ao fim e sem restrições, as refeições que consome hoje passando longe de qualquer ingrediente de origem animal. Segundo ele, a Not Company, ou NotCo, empresa que criou junto aos parceiros Matias Muchnick e Karim Pichara, está muito perto de conseguir desenvolver as três bases necessárias para possibilitar essa realidade.

Vale destacar neste ano, a empresa recebeu um aporte de Jeff Bezos, CEO da Amazon e homem mais rico do mundo, por meio do fundo familiar Expeditions. A rodada de investimento totalizou US$ 30 milhões.

Em abril, a NotMayo chegou aos supermercados brasileiros da rede Pão de Açúcar, a partir de uma parceria da NotCo com o GPA. Segundo Luiz, que trabalhou a anteriormente na Danone, a tecnologia da empresa permite acelerar a pesquisa e desenvolvimento no setor, fazendo com que a NotCo tenha oportunidade de recriar os mais diversos alimentos e oferecer ao consumidor um alimento de base vegetal sem que tenha que abdicar do sabor ou da experiência de consumo.

“A demanda por produtos plant-based é crescente e, além disso, é uma questão de sustentabilidade.  Oferecemos uma solução sustentável a todos os consumidores, e não apenas aos de nicho, já que nossos produtos mantêm o sabor que todos gostam. Um desafio é que ainda esbarramos em questões tributárias que não nos permitem competir diretamente com um produto ‘tradicional’”, completou. 

Para as carnes, a equipe está desenvolvendo a gordura, o sangue, responsável pela suculência e até a estrutura fibrosa que permitirá reproduzir com exatidão os diferentes cortes encontrados no mercado. Para isso, entre os ingredientes, há moléculas de cacau e beterraba, por exemplo. Em publicação recente, os cientistas da NotCo revelaram que a estrutura mais difícil de reproduzir até o momento foi o leite., Porém, revelam que o resultado em textura, sabor e cheiro é ‘impressionantemente preciso’.

not milk

E o negócio é financeiramente sustentável?

Por incrível que pareça, os empreendedores garantem que o método de produção da NotCo é ainda mais barato que o da indústria tradicional. Para garantir produtos acessíveis, a NotCo definiu que sempre terá produção local nos países onde operar, minimizando gastos com importações. No Brasil, já há parcerias com fazendeiros, distribuidoras e empacotadoras. Sendo assim, o consumidor paga menos ou o mesmo preço de um produto feito da maneira tradicional.

“Queremos transformar a NotCo na empresa alimentar de mais rápido crescimento no país, liderando o food tech disruption e permitir que todos tenham a oportunidade de provar os nossos produtos”, concluiu. E para finalizar, fez um convite: “venha participar o Dairy Vision 2019. Como sempre, este é um importante evento e este ano especialmente, está cheio de novidades para o setor”.

Será mesmo que essas previsões se confirmarão, gerando forte disrupção no setor? Ou será um nicho restrito? O ato de alimentar-se vai muito além dos nutrientes, passando por questões culturais, políticas e econômicas, entre outras. A visão do MilkPoint é a de que o alimento natural, que remonta às nossas mais profundas raízes, sempre terá valor e apelo, e talvez cada vez maior, à medida que soluções totalmente novas como as propostas pela NotCo, ganham força. Mas coexistirá com outras alternativas sem dúvida. Também, a produção animal é atividade econômica e social para mais de um bilhão de pessoas no mundo, a maioria em situação de risco sob o âmbito da renda. Ainda, acreditamos que a produção animal possa ser parte da solução da questão ambiental, a partir do aumento de produtividade e de pesquisas que permitam ao setor ser neutro em carbono, por exemplo. Mas não podemos nos furtar de olhar o novo - e dialogar com ele - até para sabermos com quem estamos competindo.

Afinal, o setor lácteo passa por profundas transformações no Brasil e no mundo. Estas transformações têm diversas vertentes e carregam como consequência um cenário difuso, em que não se pode mais classificar o setor como algo uniforme: certamente haverá vários “setores” dentro do que se convencionou chamar de indústria de laticínios, com rentabilidades, perspectivas e crescimento muito distintos. A transformação passa por diversos pilares, podendo-se destacar: protagonismo crescente do consumidor, novas tecnologias e inovação aberta. O Dairy Vision é o evento mais exclusivo do setor no Brasil e um dos principais do mundo. A cada ano, cresce em número de participantes e empresas, sinal de que a proposta do evento é vencedora. Serão mais de 20 apresentações e debates com um único objetivo: dar uma oportunidade concreta para que os executivos tenham insights relevantes, daqueles que podem mudar o rumo de seus negócios. Faça a sua inscrição com desconto até o dia 30/09!

Leia aqui artigo sobre o tema escrito pelo CEO da AgriPoint, Marcelo Carvalho.

1

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

ANDRÉ GONÇALVES ANDRADE

ROLIM DE MOURA - RONDÔNIA - INDÚSTRIA DE LATICÍNIOS

EM 09/10/2019

O mundo e seus paradoxos!

De um lado apelo pelos orgânicos, sem industrialização, sem conservantes, sem "agrotóxicos", etc. E do mesmo lado, ou do outro lado, sei lá, os produtos de laboratórios!

Seria tão mais fácil atender as necessidades humanas a partir do bom senso!