FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Crescem os lucros globais da Cargill

GIRO DE NOTÍCIAS

EM 08/01/2020

1 MIN DE LEITURA

0
0

A americana Cargill, maior companhia de agronegócios do mundo, encerrou o segundo trimestre de seu ano fiscal de 2020, em 30 de novembro de 2019, com lucro líquido global de US$ 1,19 bilhão. O resultado foi 61% maior que o registrado no mesmo trimestre do exercício anterior, turbinado pela venda da participação da empresa no fundo CarVal Investors. O lucro operacional ajustado cresceu 19% na mesma comparação, para US$ 1,02 bilhão, e a receita subiu 4%, para US$ 29,2 bilhões.

A melhora dos resultados operacionais foi garantida pelo crescimento das vendas nos negócios de proteína e nutrição animal e pela área de serviços industriais e financeiros. No primeiro caso, o desempenho foi favorecido pelo momento positivo para o mercado de carnes em virtude da epidemia de peste suína africana na Ásia. A Cargill se beneficiou deste momento após recentes aquisições, investimentos e transformações internas nas operações de nutrição animal e de aves.

A companhia também informou que se antecipou às mudanças de regras para a navegação marítima internacional que começam a valer neste ano, o que ajudou seu negócio de transportes. Por outro lado, a Cargill continuou a sentir os impactos negativos das incertezas comerciais entre Estados Unidos e China e de problemas climáticos na América do Norte na área de originação e processamento.

A multinacional destacou, ainda, que várias linhas de produtos globais de ingredientes alimentares tiveram resultados mais fracos, como adoçantes e amidos na Europa e no Brasil e óleos comestíveis na América do Sul. No caso das vendas de cacau e chocolate, os resultados ficaram estáveis.

Em novembro, a Cargill começou a produzir em escala comercial, por meio de sua joint venture com a holandesa DSM, o adoçante feito a partir da planta estévia EverSweet, sem calorias, na fábrica da companhia em Nebraska. A produção é feita com fermentação de moléculas específicas da folha de estévia e demanda muito menos matéria-prima. O adoçante é voltado para a indústria de alimentos e bebidas.

A companhia também aproveitou a divulgação dos resultados para anunciar que, em dezembro, adotou a meta de reduzir a emissão de gases de efeito estufa em 30% até 2030 e manteve objetivo anterior de reduzir as emissões em 10% até 2025.

As informações são do Valor Econômico.

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

MilkPoint AgriPoint