ENTRAR COM FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Brasil e Austrália debatem parcerias de cooperação no setor do agronegócio

Promover e estimular a colaboração científica, educacional e comercial do agronegócio brasileiro e australiano foi o grande objetivo do 1º Workshop Brasil-Austrália em Agritech, realizado nos dias 16 e 17 de maio, na Faculdade de Agronomia Luiz de Queiroz, da Universidade de São Paulo (ESALQ - USP), em Piracicaba. Promovido pelo Austrade - braço do Consulado da Austrália para promoção de negócios e investimentos, o encontro reuniu cerca de 60 pesquisadores, professores, alunos e empresários do setor de agronegócios.

“O Brasil tem um grande conhecimento em agricultura e pecuária, além de grande variedade e produtividade. Já a Austrália apresenta grande desenvolvimento tecnológico e eficiência. Esse evento é uma oportunidade para cada país apresentar suas melhores práticas, mostrar seus potenciais e incentivar a troca, estimulando a parceria e a contribuição em projetos que irão beneficiar ambos. Trabalhar em conjunto trará ótimos resultados para o desenvolvimento do setor”, destacou o consul geral da Austrália, Greg Wallis.

Pesquisadores e representantes da University of New England, da Charles Sturt University, da USP-ESALQ, da Embrapa, da Fapesp, da Simbiose Agro e da embaixada australiana abordaram, em uma tarde de palestras e discussões no primeiro dia do evento, uma série de temas: as oportunidades existentes entre os dois países, a agricultura de precisão e a utilização de tecnologias remotas para senso e levantamento de dados, as tendências e inovações para o gado, os estudos em genética para obter melhores resultados na produção, e ainda sustentabilidade e biossegurança aplicadas à agricultura.

Cenário

A Austrália, grande produtora de carne bovina, algodão e hortifrúti, recebe anualmente do Governo australiano investimentos de cerca de 10 bilhões de dólares australianos em pesquisas e no desenvolvimento de novas tecnologias. “Atualmente, cerca de 70% dos projetos financiados pelo Conselho de Pesquisa Australiano (Australian Research Council) envolvem colaboração internacional”, aponta o Conselheiro de Educação e Ciência da Embaixada Australiana na América Latina, Niclas Jonsson. Hoje, mais de 20 mil brasileiros estão na Austrália realizando cursos de línguas, projetos científicos, pesquisa e extensão ou a trabalho.

As informações são da Assessoria de Imprensa. 

"Se você aproveitou o conteúdo do MilkPoint durante o ano de 2016, saiba que nossa equipe o preparou com toda a dedicação para você! Vote em nós para o Troféu Agroleite: nos dê esse presente! Clique aqui para votar no MilkPoint como melhor mídia digital"
 

0

COMENTÁRIOS SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Seu comentário será exibido, assim que aprovado, para todos os usuários que acessarem este material.

Seu comentário não será publicado e apenas os moderadores do portal poderão visualizá-lo.

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.