ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

O efeito da onda de calor extremo no desempenho de vacas leiteiras

POR ISRAEL FLAMENBAUM

COWCOOLING - FLAMENBAUM & SEDDON

EM 30/04/2021

6 MIN DE LEITURA

0
2

O verão de 2020 será lembrado como um dos verões mais quentes em Israel em décadas. O verão aqueceu muitos setores agrícolas, incluindo a indústria de lácteos

Além das condições de alta carga de calor durante o verão, duas ondas de calor incomuns se destacaram em particular. A primeira onda de calor ocorreu em maio e a segunda no início de setembro, conforme pode ser visto na figura 1.

Figura 1 - produção média diária de leite (kg) por vaca em Israel em 2020. (linha azul 2019, linha vermelha 2020)

Neste artigo, gostaria de apresentar os eventos das ondas de calor de setembro. Descreverei primeiro as características de setembro do ano passado, em comparação com os anos anteriores e, a seguir, apresentarei seu impacto negativo no desempenho de reprodução em fazendas leiteiras israelenses.

Acima de tudo, é do meu interesse apresentar neste artigo o desempenho reprodutivo durante este período desafiante, num grupo de fazendas leiteiras que conseguiram, apesar da intensa onda de calor, manter as taxas de concepção próximas dos níveis alcançados na meses de inverno.

 

As condições climáticas em setembro de 2020 

A fim de caracterizar as condições climáticas prevalecentes em setembro de 2020 e compará-las com os anos anteriores, usei um índice de carga de calor (Índice de Temperatura e Umidade - THI), e o defini para duas regiões representativas e principais da indústria de lácteos em Israel (vale quente e costa), o número de horas por mês com condições extremas de carga de calor prevaleceu (acima do THI 80). Essas informações são apresentadas na figura 2.

Figura 2 - Número total de horas em setembro, onde a carga de calor foi superior a THI 80, em duas importantes regiões leiteiras em Israel

Do apresentado na figura 2, pode-se ver claramente que setembro de 2020 foi particularmente quente, quando mais de 40% de todas as horas do mês estavam acima de THI 80, o dobro do mês de setembro do ano normal.

Foi surpreendente ver que quase não havia diferença na intensidade da carga de calor entre a área do vale e a região costeira. Isso provavelmente se deve à maior umidade relativa do ar na região litorânea, que provavelmente se “compensa” com as altas temperaturas que geralmente são registradas nos vales quentes, porém menos úmidos.

Do apresentado na figura 1 também pode ser visto que alguns “Setembros Quentes” adicionais ocorreram também em 2010 e 2015, mas a intensidade da carga de calor nestes anos foi inferior à de 2020.

 

Desempenho de fertilidade no rebanho israelense nos anos de 2016 a 2020

Os dados de concepção nos diferentes meses do ano para os anos 2016-2020, nas vacas adultas das fazendas leiteiras cooperativas de grande porte são apresentados na Figura 3.

Figura 3 - Taxa de concepção de vacas adultas das fazendas cooperativas nos diferentes meses dos anos 2016-2020

 

Características reprodutivas em setembro de 2020 

As taxas de concepção para todas as inseminações, feitas em todas as 160 fazendas leiteiras cooperativas de grande escala de Israel (aproximadamente 70.000 vacas), são apresentadas na tabela 1, comparando as inseminações feitas em todos os meses de verão de 2020 (junho - setembro), àquelas feitas apenas em setembro deste ano.

Tabela 1 - Taxas de concepção (CR), desde a primeira e todas as inseminações, fitas em todos os meses de verão de 2020 (junho - setembro), comparadas com as fornecidas apenas em setembro

Do descrito na tabela 1, podemos ver uma diminuição significativa na taxa de concepção nas inseminações realizadas em setembro de 2020, em comparação com as inseminações realizadas ao longo de todo o verão.

A taxa de concepção diminuiu de 23% para 17% nas primeiras inseminações e para 14% em todas as inseminações realizadas em setembro de 2020. É interessante observar que a porcentagem de fazendas leiteiras, nas quais a taxa de concepção foi inferior a 15%, variou entre 40% e 60% do número total de fazendas em setembro, em comparação com não mais de 10% nas inseminações realizadas durante todo o verão.

Em contrapartida, quase não houve diferença no percentual de propriedades leiteiras de “alta fertilidade”, onde o percentual de propriedades ficou em torno de 10% das propriedades, nos dois períodos testados.

Naturalmente, estamos interessados em encontrar as fazendas leiteiras que conseguiram atingir taxas de concepção relativamente altas, mesmo em condições extremas de carga de calor.

Para isso, classificamos todas as 160 fazendas cooperativas, de acordo com a taxa de concepção de todas as inseminações realizadas em setembro de 2020, e selecionamos as vinte fazendas com a maior taxa de concepção e as vinte com a menor taxa de concepção no período analisado. Os resultados desta avaliação estão apresentados na tabela 2.

Tabela 2 - Taxa de concepção por inseminações realizadas em setembro de 2020 em vinte fazendas leiteiras com maior e menor porcentagem de taxa de concepção.

A partir do apresentado na tabela 2, podemos ter os seguintes insights:

Em relação à taxa de concepção em novilhas, não foi encontrada diferença entre os dois grupos de fazendas, o que era de se esperar, uma vez que não é costume resfriarmos novilhas no verão.

No entanto, a taxa de concepção das novilhas foi relativamente mais baixa do que o esperado nesta faixa etária, e caiu mais de 10 unidades percentuais, quando comparada à taxa de concepção obtida nos meses de inverno.

Não é inconcebível que se esta tendência continuar, haverá espaço para discutir a possibilidade de resfriar também as novilhas em Israel nas inseminações realizadas nos meses de verão, ou pelo menos estar preparado para isso durante os períodos de carga excepcional de calor.

A taxa de concepção na primeira lactação de vacas adultas do grupo de "alta fertilidade" foi em torno de 30%, em inseminações realizadas em meses com carga de calor extrema. Em contraste, a taxa de concepção das mesmas vacas do grupo de "baixa fertilidade" variou entre 14% nas vacas de primeira lactação e 7% nas vacas adultas, sem dúvida, taxas de concepção muito baixas.

Se somarmos a isso os dados da tabela 1, que mostram que havia mais de 90 fazendas no país nesta situação, então, o impacto negativo para a queda da fecundidade em nível nacional pode ser particularmente grande.

O que é interessante é que aqui também, como pode ser visto na tabela 2, existe um conjunto de fazendas leiteiras, localizadas em diferentes partes do país (vales quentes, litoral e zona serrana), atingindo taxas de concepção de 30% ou mais em vacas adultas.

A maioria das fazendas deste grupo são conhecidas por nós como aquelas que, ao longo dos anos, implementam meios e protocolos de resfriamento eficazes no verão. Nessas fazendas, encontramos um índice de proporção de verão para inverno mais alto (que aparece no relatório anual emitido no final de cada ano pela Associação de Criadores de Gado de Israel), em comparação com a proporção média nacional.

Os resultados obtidos nestas fazendas nos confirmam que é possível, pela correta instalação e operação de meios de resfriamento desenvolvidos em Israel, e de acordo com as recomendações de instituições profissionais, evitar o declínio da fertilidade de verão das vacas, mesmo em períodos caracterizados. por carga de calor extrema, maior do que o normal.

 

O ponto brasileiro

Se levarmos esses números à indústria de lácteos brasileira, as condições climáticas em grande parte do país, principalmente nos principais "estados leiteiros" são quase o ano todo, muito semelhantes às descritas para setembro de 2020 em Israel.

Isso significa que as "perdas de fertilidade" de um lado e os benefícios potenciais esperados do resfriamento das vacas, do outro lado, deixam grande espaço para melhorias nas fazendas brasileiras pela instalação e operação adequadas de meios de resfriamento das vacas, como costumamos fazer com nossa nova empresa estabelecida recentemente neste país.

Gostou do conteúdo? Deixe seu like e seu comentário, isso nos ajuda a saber que conteúdos são mais interessantes para você. Quer escrever para nós? Clique aqui e veja como.

ISRAEL FLAMENBAUM

Especialista no estudo do estresse térmico em vacas leiteiras, professor na Hebrew University of Jerusalém, tem ministrado cursos e treinamentos sobre o assunto em diversos países.

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

MilkPoint AgriPoint