Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Você está em: Leite & Mercado > Giro Lácteo

Fonterra revisa para cima expectativas de captação de leite para 2016-17

postado em 21/02/2017

Comente!!!
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

A maior cooperativa de lácteos da Nova Zelândia, Fonterra, revisou para cima sua previsão para captação de leite em 2016-17, apesar da recente seca. "No geral, as captações de leite na Nova Zelândia da Fonterra mostraram sinais de melhora após condições climáticas desfavoráveis ao longo dos meses de pico", disse a cooperativa.

A Fonterra revisou sua previsão para a estação de 2016-17, prevendo que as captações na Nova Zelândia cairiam 5% com relação ao ano anterior. Esta é uma revisão para cima da previsão anterior da Fonterra, de um declínio de 7%. Em janeiro, as captações de leite da Fonterra na Nova Zelândia caíram 1% com relação a ano anterior, uma melhora com relação ao início da estação. Durante o período de 1 de junho até o final de janeiro, as captações caíram 5%. "A revisão se baseia nas condições de seca na Ilha do Norte”, disse Fonterra. A produção total de leite da Nova Zelândia, incluindo a dos produtores que não são membros da Fonterra, está sob pressão devido à seca.

"A produção total de leite em dezembro caiu 3% em relação ao mesmo mês do ano anterior", disse a Fonterra. A produção total de leite de 2016 na Nova Zelândia caiu 2% com relação ao ano anterior. "O clima adverso, particularmente durante os meses de pico colocou pressão para baixo nos volumes”. Mas os preços das propriedades leiteiras na Nova Zelândia continuam resilientes, apesar da seca. O Real Estate Institute da Nova Zelândia informou que os preços para as fazendas leiteiras, medidos em seu índice, subiram 5,2% nos três meses até janeiro de 2017 em comparação com os três meses até dezembro de 2016. Os preços subiram 8,6% com relação ao ano anterior. A produção na Austrália e Nova Zelândia também vêm caindo. Na Austrália, a produção de leite em novembro caiu 6% com relação ao ano anterior.

A produção da União Europeia (UE) diminuiu pelo sexto mês consecutivo, com novembro tendo queda de 4% em relação ao mesmo mês do ano passado. A produção ao longo dos 12 meses até novembro cresceu 1% com relação ao ano anterior. Mas a produção nos EUA está indo contra a tendência de queda em outros lugares, com a produção em dezembro aumentando 2% com relação ao ano anterior. 

A Fonterra atribuiu o aumento da produção a "condições climáticas favoráveis e aos preços dos grãos". E o aumento da oferta está ajudando os EUA a conquistar participação de mercado, com as exportações de leite dos EUA subindo 27% com relação ao ano anterior em novembro. "As exportações dos EUA continuam a crescer com um sexto mês consecutivo de crescimento positivo", disse a Fonterra. "A força de exportação recente fora da Nova Zelândia e da UE parece estar se suavizando”.

As informações são do Agrimoney, traduzidas pela Equipe MilkPoint.
 

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Copyright © 2000 - 2017 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade